Calce Uma Causa

Como ter uma boa noite impacta a saúde

Como ter uma boa noite impacta a saúde

Muitas pessoas querem saber como ter uma boa noite de sono. Afinal, com a rotina agitada e as mudanças causadas pela pandemia de COVID-19, é normal que o sono sofra alterações, como a insônia e até o sonambulismo.

Para te ajudar a entender um pouco mais sobre os benefícios e a importância de uma boa noite de sono, preparamos um conteúdo com algumas informações e dicas. Confira!

A importância de uma boa noite de sono na saúde

Não saber como ter uma boa noite de sono pode trazer muitos impactos negativos na rotina. Quando dormimos pouco, o corpo entende que não descansou o suficiente e, no dia seguinte, economiza energia. Assim, as atividades são prejudicadas por conta das horinhas a menos de repouso.

Também é comum que as noites mal dormidas atrapalhem o aprendizado, a memória e a concentração no trabalho, diminuindo a produtividade e a energia ao longo do dia. Além disso, dormir mal interfere diretamente no nosso humor, podendo nos deixar irritados, atrapalhando as relações.

Por isso, os benefícios de uma boa noite de sono são muitos. É nessa hora que o nosso corpo consegue descansar e exercer funções reparadoras, como o aumento da imunidade, a manutenção do metabolismo e dos hormônios, além da prevenção de doenças, como a diabetes e a hipertensão.

Conheça alguns distúrbios do sono

Antes de explicarmos sobre o que fazer para ter uma boa noite de sono, é importante falarmos de alguns dos distúrbios mais comuns, que podem acontecer com pessoas de todas as idades. Veja quais são eles abaixo.

Insônia

Você passou muitas horas tentando dormir sem sucesso ou teve o sono interrompido diversas vezes durante a noite? Se a resposta é sim, então, você já teve insônia. Ela é um dos distúrbios mais comuns, caracterizada pela dificuldade em começar a dormir ou manter o sono ao longo da noite.

Apneia do sono

A apneia é uma interrupção temporária da respiração durante o sono devido à obstrução das vias aéreas. Assim, é normal que ocorram roncos e o despertar no meio da noite. Por conta disso, muitas pessoas que sofrem com o distúrbio acordam cansadas e podem apresentar outros problemas, como irritabilidade.

Sonambulismo

O sonambulismo acontece durante a fase mais avançada do sono. Com isso, é comum que a pessoa se levante, esteja de olhos abertos, caminhe e fale, mas continue dormindo, sem conseguir controlar os movimentos.

Dicas para melhorar a qualidade de sono

Agora que você já sabe a importância de uma noite bem dormida e as principais disfunções do sono, é hora de conhecer algumas dicas de como ter uma boa noite de sono. Saiba mais a seguir.

Higiene do sono 

Você já ouviu falar em higiene do sono? O nome pode parecer estranho, mas trata-se de um conjunto de práticas e hábitos que ajudam a melhorar a qualidade do sono e contribuir para o adormecimento. 

Aqui, é importante criar uma rotina para a hora de dormir, incluindo deitar-se apenas quando estiver com sono, apagar luzes, não fazer barulhos no quarto e evitar dormir durante o dia.

Durma em ambientes 100% escuros, o famoso blackout

Para isso, criamos a máscara tapa olho para dormir Belina. Muito bem acolchoada com espuma na região dos olhos, ela é suuuper fofinha, ajuda a restaurar a pele durante a noite, evita inchaços ou olheiras na área dos nos olhos e proporciona um sono melhor, porque bloqueia totalmente a luz. Também tem elástico na parte de trás da cabeça, para melhor adaptação a cada formato de rosto. Um sonho, né?

tapa olho para dormir


Feita em fibra de viscose certificada, não agride o meio ambiente, muito menos a quem veste. Essa é uma peça livre de crueldade. E dá pra ficar melhor: ao comprar uma máscara de dormir, você estará ajudando o projeto Panela Cheia. Estilo próprio, consciência coletiva! ;)

tapa olho para dormir

Prática de exercícios físicos

A prática de exercícios físicos é superimportante para quem quer saber como ter uma boa noite de sono. Durante as atividades, o corpo libera endorfina, hormônio responsável pelo bem-estar e que nos ajuda a ter um sono mais tranquilo. 

No entanto, é importante que as atividades sejam realizadas de manhã ou à tarde, pois o exercício deixa o corpo mais energizado e com alta temperatura, atrapalhando o sono.

Cuidado com a alimentação

A alimentação é muito importante para quem busca saber como ter uma boa noite de sono. Quando comemos alimentos pesados, a digestão é mais lenta, o que atrapalha o adormecimento. Por isso, é importante fazer refeições leves durante a noite, assim como evitar bebidas estimulantes, como café, refrigerante, chá-verde e chocolate.

Evite o uso de eletrônicos antes de dormir

Se você tem o hábito de mexer no celular, no computador ou no notebook antes de dormir, saiba que isso pode prejudicar o seu sono, já que as luzes emitidas pelos eletrônicos atrapalham a liberação dos hormônios que levam ao adormecimento. 

Por isso, vale a pena deixá-los fora de alcance na hora de dormir. Se preferir, você pode contar com a ajuda de um tapa-olho.

Cuide do seu sono e do seu bem-estar com as dicas da Insecta

Aqui, na Insecta, acreditamos que saber como ter uma boa noite de sono é fundamental para a manutenção da saúde. Aliado à alimentação saudável e à prática de exercícios, o sono é responsável por uma melhora na qualidade de vida e, consequentemente, a forma como nos relacionamos com o mundo. 

Por isso, aqui no blog, você encontra diversas dicas de como utilizar os óleos essenciais para ter uma rotina mais relaxante, tanto à noite, na hora de dormir, quanto no dia a dia. Não deixe de conferir.

Continue lendo

Moda sustentável: saiba mais sobre o movimento

Moda sustentável: saiba mais sobre o movimento

Você já ouviu falar em moda sustentável? Cada vez mais, esse conceito tem ganhado espaço, pois busca questionar o processo de produção que gera impactos ambientais nocivos, repensando as formas tradicionais de desenvolvimento e trazendo um ponto de vista ecológico.


E foi exatamente dessa premissa que surgiu a Insecta. Por isso, hoje, vamos te ajudar a entender um pouco mais sobre o que é sustentabilidade na moda e qual é a importância disso nos dias atuais. Confira!

A indústria da moda e o impacto do meio ambiente

A indústria da moda e sustentabilidade nem sempre andaram juntas. Com a popularização das fast fashion a partir da década de 1990, a produção de roupas passou a ser feita de forma cada vez mais rápida e a preços baixos.  

Com isso, as coleções chegam às lojas a cada semana, levando a um consumo desenfreado às custas do meio ambiente e à desvalorização de trabalhadores da indústria têxtil, que são explorados e recebem, em média, de US$ 2 a US$ 3 por dia. 

As pegadas ambientais da indústria têxtil vão desde os agrotóxicos usados no plantio do algodão até o descarte da roupa em aterros sanitários. Para se ter uma ideia, a moda é responsável por 8% das emissões de carbono na atmosfera, ficando atrás apenas da indústria petrolífera. 

Segundo um relatório da Ellen MacArthur Foundation, devido ao alto descarte da indústria, cerca de R$ 500 bilhões são perdidos anualmente, e 25% de tudo o que é produzido vira lixo, poluindo e levando a uma rápida degradação da natureza. 

O que é moda sustentável?

Na contramão das fast fashion e do consumismo, a moda sustentável tem como premissa utilizar métodos de produção que não geram impactos ambientais. Aqui, o objetivo é que todas as etapas de produção, desde utilização das matérias-primas até a venda, sejam feitas de forma sustentável.

A sustentabilidade na moda prevê a utilização de recursos menos nocivos ao meio ambiente, como tecidos orgânicos e certificados, e a reutilização de materiais descartados, como roupas usadas, borracha e garrafas, assim como fazemos na Insecta.

Produzir peças duráveis é outro ponto-chave para a moda sustentável. Afinal, de nada adianta utilizar materiais ecologicamente corretos e não pensar na vida útil do produto. Por isso, é importante se preocupar com a fabricação de itens que possam ser utilizados por muito tempo, em contrapartida às peças de fast fashion, que são utilizadas, em média, apenas cinco vezes.

Conheça algumas formas de moda sustentável

Agora que você já entendeu um pouco mais sobre a complexa relação entre moda e sustentabilidade, é hora de conhecer os diversos tipos de moda sustentável que existem por aí. Dá só uma olhada:

Zero-waste fashion

O zero-waste fashion, que significa “moda lixo zero”, é uma filosofia que tem como objetivo levar a zero a produção de lixo durante a indústria têxtil. Aqui, os designers pensam em como utilizar os materiais em toda a sua capacidade sem gerar desperdício de recursos.

Upcycling

Dentro da moda sustentável, o Upcycling é um dos movimentos que tem ganhado bastante popularidade nos últimos anos. Ele tem como objetivo dar um novo rumo a materiais que seriam descartados, como resíduos, plástico e roupas antigas, que são utilizadas para fazer novas peças de forma criativa.

Slow fashion

O slow fashion, que significa “moda devagar”, faz oposição direta ao fast fashion e defende uma produção têxtil lenta, com valorização de quem fez e dos processos e condições de trabalho de quem fabrica as peças.

Insecta: onde o eco e o sexy caminham juntos

Aqui, na Insecta, fazemos uma moda sustentável que vai desde a utilização de materiais ecologicamente corretos até o fechamento de ciclo, onde você pode devolver um Besouro usado e ajudar a transformá-lo em um novo calçado, contribuindo para a economia circular.

Por isso, estamos sempre falando sobre a importância da moda sustentável e o consumo consciente por aqui. Então, que tal ficar por dentro do assunto e saber mais sobre como você pode ajudar o meio-ambiente com passos simples? Continue lendo

Pilares da sustentabilidade: entenda a importância

Pilares da sustentabilidade: entenda a importância

No mundo corporativo, a proteção ao meio ambiente e os pilares da sustentabilidade têm sido conceitos amplamente explorados. Isso se dá principalmente na promoção da imagem de empresas que, muitas vezes, não possuem práticas tão sustentáveis assim.

Na Insecta, a sustentabilidade não é apenas uma palavra bonita utilizada para enfeitar os nossos produtos e ações. Por aqui, ela permeia toda a nossa cadeia de produção e nossos valores, tanto é que sempre debatemos o assunto no blog. 

Por isso, hoje vamos explicar quais são os três pilares da sustentabilidade e como os aplicamos em todos os aspectos e ações da Insecta. Continue a leitura para saber mais.

O discurso sustentável e o mundo corporativo

Nunca se falou tanto em sustentabilidade. Seja em campanhas publicitárias ou em rótulos de produtos, essa palavrinha mágica pode ser vista com frequência estampando os anúncios das mais diversas empresas e marcas por aí. E não é à toa! Com o passar do tempo, as cobranças por práticas sustentáveis têm se tornado cada vez maiores.

No entanto, o que deveria ser uma prática séria se tornou apenas uma palavra vazia utilizada para autopromoção. Não é difícil encontrar grandes empresas usando a palavra sustentabilidade, mas que, na prática, não são nem um pouco sustentáveis. 

O problema do greenwashing

A tática de utilizar a sustentabilidade como mera estratégia de marketing é conhecida como greenwashing, palavra que pode ser traduzida para algo como “lavagem verde”. Aqui, as empresas utilizam discursos e propagandas com características ecologicamente corretas e sustentáveis, mas que não são realmente aplicadas. 

Com isso, muitos consumidores acabam sendo enganados, já que são levados a comprar algo acreditando que estão contribuindo para alguma causa ambiental, o que costuma não ocorrer. Segundo uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC), 48% das embalagens de produtos possuem informações falsas sobre responsabilidade ambiental.

Quais são os três pilares da sustentabilidade?

Agora que você já sabe o que é greenwashing e como as empresas utilizam a sustentabilidade a seu favor, chegou a hora de conhecer um pouco mais sobre os três pilares da sustentabilidade e como eles devem ser aplicados. Dá só uma olhada.

Pilar social

O pilar social da sustentabilidade está relacionado ao capital humano, ou seja, as atividades desenvolvidas pela empresa e que afetam a comunidade em geral, além de funcionários e público-alvo. Portanto, para que uma empresa seja socialmente sustentável, é preciso nutrir relações respeitosas com fornecedores, consumidores e colaboradores.

Pilar ambiental

O pilar ambiental da sustentabilidade diz respeito às condutas da empresa em relação ao meio ambiente. Aqui, a empresa ou a marca devem buscar formas de reduzir o impacto ambiental em todo o processo de produção, desde insumos até as matérias-primas, reduzindo o desperdício de recursos.

Pilar econômico

O pilar econômico da sustentabilidade se refere à produção e oferta de produtos de forma economicamente sustentável, respeitando os concorrentes e mantendo um crescimento que não desrespeite funcionários e o meio ambiente em nome do lucro.

Como a Insecta aplica os três pilares da sustentabilidade?

Na Insecta, a sustentabilidade não é só uma palavra para enfeitar as nossas ações e produtos. Por aqui, a gente busca levar os três pilares da sustentabilidade para toda a nossa cadeia de produção. Abaixo, elencamos de que forma aplicamos essas práticas em nossos processos.

Veganismo

O veganismo entende que animais são seres sencientes e não temos direito de explorá-los para obter lucros. Por isso, todos os nossos produtos são feitos sem nada de origem animal. Além disso, sempre buscamos melhorar nossos processos em termos de materiais e temos o certificado do selo Peta.

Reutilização de materiais

Por aqui, a gente acredita que o produto verde é aquele que já existe. Então, nada melhor do que reutilizar materiais para a produção de novos produtos. Para isso, a gente reaproveita diversos recursos, como garrafa PET reciclada, borracha reciclada, algodão reciclado, tecidos reutilizados e roupas de brechó, que dão vida a novos Besouros.

Remuneração justa e valorização de produtores locais

A Insecta também acredita muito na transparência de cada processo de produção dos produtos. Portanto, trabalhamos com custos abertos para que você saiba quanto custa cada calçado feito aqui. Além disso, nossos sapatos são todos feitos localmente por trabalhadores devidamente remunerados.

Economia circular

A economia circular é outra prática que a gente aplica no nosso processo de produção. Então, quando você tem um Besouro parado em casa, é possível enviá-lo por Correios ou entregar nas nossas lojas para que ele seja desmontado e transformado em novos calçados. Com isso, a gente espera reduzir a produção de lixo e incentivar a reciclagem.

Insecta: construir um mundo mais sustentável é possível

A Insecta entende os impactos da sustentabilidade na criação de um mundo melhor, com mais respeito pelos recursos naturais e pela vida animal. Por esse motivo, levamos a sério os pilares da sustentabilidade e a nossa responsabilidade nesse processo. 


Por aqui, você fica sempre sabendo de como a gente busca procurar novas formas de fazer produtos que consideram os pilares da sustentabilidade. Então, que tal ficar por dentro do nosso blog e saber mais sobre como consumir de forma sustentável?

Continue lendo

Greenwashing: entenda mais sobre esse assunto

Greenwashing: entenda mais sobre esse assunto

Você sabe o que significa greenwashing? Ele faz referência à apropriação de causas ambientalistas por meio de técnicas de marketing, com o objetivo de criar uma imagem positiva da marca, principalmente para esconder ou desviar a atenção de impactos negativos causados por ela.

Em outras palavras, esse termo é usado para falar de empresas que querem mudar sua imagem perante o público, mas sem uma real preocupação em mudar seus processos nocivos ao meio ambiente e à sociedade como um todo.

Para te ajudar a ficar por dentro do assunto, a Insecta trouxe um conteúdo para explicar o que é greewashing e como você pode identificar marcas que utilizam esse tipo de apropriação no dia a dia. Continue a leitura e saiba mais.

De onde surgiu o termo “greenwashing”?

O termo "greenwashing'' pode ser traduzido para algo como “lavagem verde” e foi criado em 1986 pelo ativista ambiental Jay Westerveld, após uma visita em um hotel de Samoa, na Polinésia. 

No local havia um pedido para que os hóspedes utilizassem uma mesma toalha durante a estadia, com o objetivo de “salvar o planeta” ao evitarem o desperdício de água. A partir dessa ocasião, o ativista norte-americano apontou a distorção do discurso ambiental como forma de beneficiar apenas a própria empresa. 

Com a crescente relevância da sustentabilidade e o aumento da cobrança por práticas que beneficiam o meio ambiente, muitas empresas ainda utilizam o discurso ecológico apenas como estratégia de marketing e aumento de lucros, enquanto, na prática,  continuam prejudicando a natureza.

Como identificar empresas que praticam greenwashing?

Como vimos, o greenwashing é uma prática de empresas e marcas que se apropriam de causas ambientais para benefício próprio. Entender como os negócios utilizam esse discurso no dia a dia nem sempre é uma tarefa fácil, mas há formas de ficar por dentro. Confira alguns exemplos de greewashing.

Falta de políticas trabalhistas

Não é novidade que empresas utilizam o discurso sustentável nos produtos, mas, no trato com os colaboradores, a realidade é bem diferente. Por isso, o desrespeito às leis trabalhistas, como horas e benefícios combinados, também é considerado uma prática de greenwashing.

Usar ingredientes que agridem o meio ambiente

É muito comum que empresas que praticam o greenwashing coloquem informações sobre práticas sustentáveis nas embalagens. No entanto, essa é mais uma apropriação do discurso ambiental, já que, em muitos casos, não há explicação sobre o processo de produção ou composição do produto.

Utilizar informações falsas

Assim como a falta de informações sobre a produção e composição dos produtos que se vendem como sustentáveis, as informações falsas também são táticas utilizadas por empresas. Por isso, é comum que muitas embalagens contenham selos e certificações de práticas sustentáveis que, na verdade, a empresa nunca conquistou.

Não informar se as embalagens são recicláveis

A reciclagem é parte fundamental para a diminuição da produção de lixo e, consequentemente, para o cuidado com o meio-ambiente. Portanto, é importante que as embalagens e os produtos contenham o selo reciclável, já que esse detalhe facilita o trabalho da coleta seletiva.

Como combater o greenwashing?

Agora que você já sabe como identificar uma empresa ou propaganda greenwashing, é hora de conhecer algumas formas de contornar a situação. Saiba como fazer isso com passos simples.

Informação é poder

Para contornar o greenwashing, é importante que tenhamos informações sobre as práticas, certificações e fabricação dos produtos que consumimos. Aqui, vale a pena pesquisar sobre as empresas na internet e compartilhar as informações com grupos de amigos. Quanto mais pessoas souberem do problema, mais fácil será combatê-lo.

Familiarize-se com os rótulos

Como dissemos, muitas empresas utilizam rótulos e selos de certificações sustentáveis em embalagens, quando, na prática, a história não é bem assim. Por isso, é importante estar familiarizado com os rótulos ambientais presentes no Brasil e no mundo. Dessa forma, fica mais fácil identificar o problema.

Dê preferência a empresas transparentes e sustentáveis

Na hora de comprar, dê preferência a empresas que se preocupam com a transparência nos processos de produção e nos insumos e matérias-primas utilizadas na fabricação dos bens, como fazemos aqui na Insecta. Vale a pena ficar por dentro das redes sociais e sites da empresa para ter acesso a essas informações e, assim, comprar de forma consciente.

Insecta: por uma sustentabilidade transparente e acessível

A forma como você se posiciona em relação ao greenwashing é importante para que essas práticas sejam cada vez mais conhecidas e combatidas no dia a dia. Afinal, é a partir do acesso a essas informações que a mudança pode ocorrer. 

Por aqui,  trabalhamos de forma transparente para que você sempre saiba como é o nosso processo de produção e como os nossos produtos impactam o meio ambiente. Então, não deixe de ficar por dentro do nosso blog e conhecer mais sobre como fabricamos os Besouros que chegam até você. Continue lendo

Economia circular: um guia

Economia circular: um guia

Provavelmente você já ouviu falar sobre Economia Circular, mas é possível que ainda não tenha entendido bem o que é isso afinal de contas. Esse é um conceito aparentemente simples, mas que tem vários detalhes e revela algumas agradáveis surpresas quando você vai estudar para entender melhor.

Dá pra dizer que economia circular é “o assunto do momento”, e já adiantamos: você vai ouvir falar cada vez mais nisso! E se pensa que é algo muito complexo, olha só: é bem provável que você faça parte de iniciativas circulares e nem saiba! 

 

Por que o mundo precisa da Economia Circular? 

 

Não é novidade que a situação atual do Planeta não é boa. Os limites estão em um nível quase insustentável, vide o Dia da Sobrecarga da Terra, que tem chegado cada dia mais cedo.

Estamos em estado de emergência climática, e a Economia Circular é uma das mudanças necessárias para contornar essa situação e nos ajudar a repensar a maneira como produzimos e consumimos.

Pra ter apenas uma ideia do que estamos passando, ⅓ de todo alimento produzido no mundo é desperdiçado todos os anos, 80% dos produtos comprados são descartados ainda nos primeiros seis meses da compra e 40 bilhões de toneladas de lixo eletrônico são produzidos anualmente. Segundo dados da Organização das Nações Unidas, o Brasil produz cerca de 541 mil toneladas de lixo por dia.  

Se a questão dos resíduos é um problemão, o esgotamento dos recursos naturais é outro. De acordo com o relatório da Ellen MacArthur Foundation, cerca de 82 bilhões de toneladas de matéria-prima são inseridas no sistema produtivo mundial todos os anos, ou seja, extração de novos materiais, grande parte de recursos não renováveis (como por exemplo o petróleo e a mineração).

Todos esses números (que, sinceramente, são até difíceis de visualizar, né?) são explicados pelo modelo econômico atual, baseado em extrair   produzir  descartar, conhecido como Economia Linear.

Para que possamos mudar esse cenário será necessária uma mudança sistêmica, com a transição para um modelo baseado na extensão máxima da vida dos produtos: a Economia Circular. Nós já estamos caminhando para lá. Vamos? 

 

Economia Linear x Economia Circular 

 

Vivemos em um sistema de economia linear. Isso significa que o crescimento econômico depende do consumo de recursos finitos. Nesse modelo, os recursos são extraídos da natureza, transformamos em produtos, usados e descartados (na grande maioria das vezes, prematuramente).

Basicamente, o destino da maioria das coisas é o lixo (inclua aqui lixões, aterros sanitários, oceanos, etc.). Esse sistema não dá certo e isso já é mais do que comprovado. Se seguirmos dessa forma, o colapso no sistema e a escassez de recursos vai chegar rapidamente. Com menos recursos disponíveis, os custos da extração serão cada vez mais elevados. É uma bola de neve muito preocupante.

O grande erro da economia linear está no design dos produtos. As coisas não são pensadas para durar, e sim para serem descartadas. E de qualquer jeito, gerando contaminação decorrente do descarte de componentes tóxicos por aí.  

 

Imagem: Ideia Circular https://www.ideiacircular.com/economia-circular/  

 

Já a Economia Circular é um conceito baseado nos ciclos da natureza, que é o exato oposto do processo produtivo linear. Nos sistemas circulares, resíduos são insumos para a produção de novos produtos. Pensa com a gente: no meio ambiente, restos de frutas se decompõem e viram adubo para outras plantas crescerem. Não existe a ideia de lixo, e tudo serve de nutriente para um novo ciclo.

Na Economia Circular, o destino final de um material deixa de ser uma questão de gerenciamento de resíduos, mas parte do processo de produção. O conceito de lixo deixa de existir, porque tudo é aproveitado.

Ao contrário da ideia de produzir cada vez mais, a Economia Circular  usa de forma inteligente os recursos naturais. Aqui também é um ponto importante a otimização dos processos produtivos, priorizando energias renováveis. 

 

Imagem: Ideia Circular https://www.ideiacircular.com/economia-circular/

Hoje em dia a Economia Circular é muito associada a pequenas empresas, que pelo seu formato mais enxuto têm mais facilidade de adaptar processos. Mas esse conceito tem com um preceito importante funcionar em qualquer escala, para grandes e pequenos negócios, para organizações, empresas e pessoas, em qualquer lugar.

Agora, uma coisa que precisamos deixar claro é que a transição para a Economia Circular implica em uma mudança total. Não é uma adaptação ou ajuste do formato que estamos acostumados, e sim uma mudança sistêmica. 

 

De onde surgiu essa ideia? 

 

A ideia de circularidade tem origens históricas e filosóficas. A ideia de retroalimentação e de ciclos pertence a diversas escolas de pensamento. Um exemplo que ilustra muito bem o que estamos falando é a famosa frase de Antoine Lavoisier: "Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma", ou, resumidamente, como dizemos hoje em dia: “não existe fora”. 

O economista britânico Kenneth Boulding é considerado o pai do termo “economia circular”. Em 1966, no artigo “The economics of coming spaceship earth”, defendeu que “o Homem precisa encontrar o seu lugar em um sistema ecológico cíclico que seja capaz de reproduzir continuamente a forma material, embora não possa evitar aportes de energia”. A ideia, porém, foi amplamente difundida por Ellen MacArthur, velejadora que deu a volta ao mundo sozinha.

Ao percorrer mais de 50 mil quilômetros em 3 meses, essa mulher incrível percebeu que estender a vida útil dos suprimentos tinha relação com o uso de recursos finitos e como sua conservação inteligente tem impacto direto na qualidade de vida e sobrevivência. Ela fundou a Ellen MacArthur Foundation, que trabalha com empresas, governos e universidades para difundir a Economia Circular e acelerar essa revolução sistêmica. 

 

Escolas de pensamento 

 

Se você gosta de design, a Economia Circular é um prato cheio para estudar e se aprofundar em várias escolas de pensamento. Esse modelo é uma síntese de várias correntes que se complementam, trazendo suas principais ideias:  

 

  • Design Regenerativo: conceito que vem da área agrícola, criado para manejar os recursos naturais de forma consciente. 
  • Economia de Performance: creditado por ter cunhado o termo "Cradle to Cradle" (do berço ao berço) na década de 70, é a abordagem do ciclo fechado para processos de produção;  
  • Cradle to Cradle: Título do livro-manifesto de 2002 escrito pelo arquiteto William McDonough e pelo engenheiro químico Michael Braungart. Eles falam sobre gestão de recursos na lógica circular de criação e reutilização, eliminando a ideia de “lixo”. 
  • Ecologia Industrial: Fala sobre um ecossistema industrial, onde os resíduos conectam indústrias diferentes: o que não serve para uma se torna a matéria-prima para outra, e elas vivem dentro de um ciclo fechado se retroalimentando. 
  • Biomimética: É o design inspirado na natureza. As melhores soluções são “copiadas” e aplicadas das mais variadas formas. 

 

Como funciona a Economia Circular? 

 

Se a gente for resumir as principais características da Economia Circular, dá pra dizer que são: a minimização da extração de recursos, a maximização da reutilização e o aumento da eficiência de processos e produtos.

Há também uma divisão de tipos de matérias-primas em ciclos biológicos e técnicos. Os biológicos são, obviamente, materiais de base natural, como algodão e madeira. Eles retornam ao sistema pela compostagem ou processos de digestão anaeróbica. Sim, quando você composta e usa o seu próprio fertilizante nas suas plantinhas, está fazendo um processo circular! Já os ciclos técnicos são componentes de produtos. Eles voltam ao ciclo através de reutilização, reparo, remanufatura ou reciclagem. 

 

Design Circular 

 

Beleza, mas e como funciona, na prática, essa ideia de reaproveitamento de absolutamente tudo? A resposta está no design.

Podemos partir daquele princípio já bem conhecido que diz que todo lixo é um erro de design. Se a ideia é acabar com o descarte e criar produtos que podem ser reinseridos no ciclo, é na hora da concepção que isso deve ser pensado.

Estamos acostumados com o design na sua forma mais sem-vergonha: nos anos 30, num esforço de estimular a economia depois da Grande Depressão de 1929, surgiu a ideia da obsolescência programada.

Os produtos são projetados com a intenção de que se tornem obsoletos e sejam descartados e substituídos o mais rápido possível. Se você está lendo esse texto em um celular, um dos grandes exemplos disso está aí na sua mão. Com produtos feitos para não durar, ninguém pensa em logística reversa, pois não houve planejamento para um processo de desmontagem ou reaproveitamento. A reciclagem se limita a uma sub-ciclagem, resultando em materiais de qualidade e funcionalidade inferior, que não resistirão a muitos ciclos.

Na economia circular, acontece o oposto: na hora de criar um produto (qualquer que seja), a sua longevidade é levada em consideração, pensando em formas de estender seu tempo de uso, incluindo a possibilidade de serem facilmente consertados ou atualizados pelos  usuários.

É mais vantajoso para as empresas criar produtos que sejam facilmente desmontados, consertados e reutilizados ou revendidos, pois nesse cenário elas mesmas recebem de volta seus produtos através da logística reversa. 

 

Responsabilidade Compartilhada e Consciência Coletiva 

 

Se a gente for falar em logística reversa, precisa lembrar que a responsabilidade de retornar os materiais para quem os produz ou fornece é também do consumidor.

Ao descartar algo no lixo comum, o destino é o aterro. Nós, como consumidores, devemos nos informar antes da compra do que fazer com o produto no fim da sua vida, e também cobrar as empresas por soluções nesse sentido, caso não existam.  

 

Por isso é tão importante que haja transparência do lado das empresas. Informar o consumidor sobre as iniciativas e boas práticas adotadas, mesmo pequenas, é essencial. Outro jeito de descobrir se uma marca ou empresa tem responsabilidade ambiental é ficar de olho nas certificações: hoje em dia há vários selos que comprovam que a empresa passou por uma análise cuidadosa levando em consideração vários fatores, e por isso você pode confiar.  

O funcionamento desse sistema não depende apenas das empresas, mas de todos os envolvidos no ciclo de vida de um produto.

A logística reversa é uma ferramenta da economia circular. Ela representa um estímulo à reciclagem, redução na exploração da matéria-prima virgem e diminuição na emissão de Gases do Efeito Estufa. E pensando principalmente no cenário do Brasil, é importante pois tem vantagens sociais, como a profissionalização, aumento de renda e melhores condições de vida e trabalho dos catadores de materiais recicláveis.

Aqui temos a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), lei (Lei nº 12.305/10) que exige transparência no gerenciamento de resíduos e pede pela implementação da logística reversa em vários tipos de empresas.

É um excelente começo, mas ainda fica restrita a setores específicos, precisando ser revista, ampliada e adotada por todo tipo de negócio.  

 

Novos Modelos de Negócio 

 

Chegamos em uma parte que você vai conseguir enxergar com muita clareza no seu dia a dia. Os negócios circulares já existem e estão por aí, participando da nossa vida sem que a gente perceba.

Insecta é um negócio circular, caso você esteja se perguntando. Temos como missão estender a vida útil de materiais que já existem, produzindo sapatos e acessórios com tecidos que chegaram ao fim do seu ciclo. 

Nossos próprios produtos são reinseridos no ciclo quando chegam ao fim, virando material para novos produtos. 

É muito provável que você já utilize outros modelos de negócio que fazem parte da economia circular: Uber, Airbnb e aluguel de bicicletas são só alguns exemplos entre os mais conhecidos.

Nesse modelo de negócio, o serviço ou a experiência são vendidos, ao invés do produto. Pense bem: 92% do tempo os carros das grandes metrópoles ficam estacionados, e transportam normalmente 1,5 pessoas por viagem.

Para muita gente vale muito mais a pena chamar um motorista de aplicativo quando precisa se deslocar, ao invés de investir uma grana em um carro que vai ficar parado e vai precisar de manutenção, seguro, pagamento de impostos e tudo mais. Você não precisa ter uma bicicleta se vai usar apenas para passear no parque: pode alugar uma compartilhada por um tempo e depois devolver.

Quem gosta de passar férias cada vez em um lugar diferente também vai se identificar, e provavelmente está sempre procurando achados no Airbnb. O que acontece nesses casos é que você aproveita a experiência e o uso do produto, e perrengues como manutenção passam a ser resolvidas pela empresa ou proprietário.  

 

Desafios 

 

Todo ano, aqui no Brasil, mais de R$ 8 bilhões em materiais vão para aterros e lixões em vez de serem reciclados, em estimativa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Infelizmente, por aqui ainda estamos na fase de resolver nosso gerenciamento de resíduos, ainda longe de pensarmos em novos modelos de negócio em uma escala maior e mais transformadora. 

Para chegarmos na mudança sistêmica que a Economia Circular pede, precisamos de contribuição multidisciplinar de pessoas de todas as áreas de atuação e conhecimento, e incentivos governamentais.

Mas podemos começar a dar nossos passos valorizando as empresas que conhecemos, fomentando essa nova economia. 

 

http://www.portaldaindustria.com.br/industria-de-a-z/economia-circular/ 

https://www.ellenmacarthurfoundation.org/pt/economia-circular/conceito 

https://www.ideiacircular.com/economia-circular/ 

https://www.creditodelogisticareversa.com.br/post/t-economia-circular-o-que-e-e-quais-seus-beneficios 

https://www.ecycle.com.br/economia-circular/ 

https://www.modefica.com.br/economia-circular-na-moda/#.YRgEWohKjIU 

Continue lendo

3 opções de sopa vegana para aquecer neste inverno

3 opções de sopa vegana para aquecer neste inverno

Se você precisa de algo para te aquecer neste inverno, nada melhor do que aproveitar receitas saborosas de sopa vegana. Com opções livres de sofrimento animal, é possível surpreender o seu paladar e o dos seus convidados.


Separamos algumas opções e dicas para te ajudar no preparo da sopa vegana. Assim, você pode escolher a sua favorita e experimentá-la em casa. Continue lendo para conferir as sugestões abaixo. 


Sopa de lentilhas com abóbora 

Esta deliciosa opção de sopa de lentilha vegana traz sabores e aromas intensos, que vão tornar a experiência ainda mais incrível. Para prepará-la, confira o que você vai precisar a seguir.


Ingredientes

  • 100 g de lentilhas vermelhas;
  • 300 g de abóbora-menina, descascada e cortada em cubos;
  • ½ cebola, descascada e picada;
  • 2 dentes de alho descascados;
  • 1 pedaço de gengibre pequeno (1 cm);
  • 7 g de amendoins tostados;
  • 1/8 colher de chá de sal;
  • 1/8 colher de chá de pimenta-preta;
  • 1 raspa de laranja (opcional).

Modo de preparo

Em uma panela com 500 ml de água, coloque as lentilhas, a abóbora, a cebola, os dentes de alho e o gengibre. Quando o líquido começar a ferver, deixe-o no fogo médio, cozinhando por mais um período de 15 a 20 minutos. Passado esse tempo, verifique se as lentilhas estão cozidas. Tempere com sal e pimenta. 


Adicione as raspas de laranja e ajuste os temperos conforme suas preferências. Usando um mixer, você deixa essa sopa de legumes vegana com uma consistência muito mais cremosa. Depois, é só servi-la com os amendoins tostados. Se quiser, adicione salsa fresca e uma colher de chá de azeite. 


Sopa de abobrinha e manjericão

Esta receita de sopa vegana é saborosa e ideal para ser consumida tanto no almoço, quanto no jantar. Confira quais ingredientes você vai precisar para prepará-la abaixo.


Ingredientes

  • 2 cebolas médias picadas;
  • 1 kg de abobrinhas picadas;
  • 3 colheres de sopa de azeite;
  • Um punhado de manjericão fresco;
  • Sal a gosto.

Modo de preparo

Comece o preparo da receita de sopa vegana refogando as cebolas em azeite durante cerca de cinco minutos ou até ficarem macias. Em seguida, adicione as abobrinhas com sal a gosto e refogue-as por dez minutos ou até atingirem uma consistência mais macia e agradável. 


Cubra a mistura com água de acordo com o tipo de espessura que você quer para o caldo da sopa. Deixe cozinhar por 20 minutos em fogo médio. Passado o tempo, retire do fogo e deixe descansar. Depois, adicione o manjericão e bata toda a mistura em um liquidificador. Em seguida, é só servir. 


Sopa de ervilhas cremosa

A textura, os aromas e os sabores desta sopa de ervilha vegana vão encantar seu paladar. Fácil de preparar, ela é uma ótima opção para ser consumida a qualquer momento. Separe os ingredientes abaixo.


Ingredientes

  • 1 e 1/2 xícara de chá de ervilha seca ou partida;
  • 1 cebola grande picada;
  • 2 colheres de sopa de cebolinha verde picada;
  • 1/4 xícara de chá de castanhas-de-caju;
  • 1 colher de sopa de óleo vegetal de sua preferência;
  • folhas de manjericão fresco;
  • sal e pimenta a gosto.

Modo de preparo

Lave as ervilhas e as castanhas. Deixe-as de molho em recipientes separados, ambos com água fria, e reserve. Depois, pique a cebola e as cebolinhas. Em uma panela, aqueça o óleo e refogue a cebola até dourar. Em seguida, acrescente a cebolinha e tempere com uma pitada de sal. 


Tire as ervilhas do molho e coloque-as na panela, adicionando um litro de água. Tampe a panela e deixe ferver em fogo médio. Quando começar a borbulhar, ajuste os temperos conforme a sua preferência. Depois, abaixe o fogo e deixe cozinhar até que as ervilhas estejam bem macias. 


Pegue as castanhas e coloque-as no liquidificador. Acrescente a sopa já cozida e bata tudo até formar um creme. Em seguida, coloque tudo de volta na panela, verifique o sabor dos temperos e ajuste se quiser. Deixe tudo no fogo baixo por cinco minutos. Após esse tempo, sua sopa vegana estará pronta.


Outras receitas veganas para você experimentar em casa

Gostou das dicas sobre como fazer sopa vegana que a Insecta separou para você? Confira nosso e-book com receitas de doces veganos para se deliciar enquanto cuida da sua saúde, descobrindo sabores e aromas incríveis. 


Você pode fazer sua oferta por e-mail e pagar o quanto acha que o conteúdo vale. São 14 páginas de muita informação exclusiva para que qualquer um que se interessar possa desfrutar dos benefícios de uma alimentação vegetal com doces e sem sofrimento animal. Confira agora mesmo!

Continue lendo

Benefícios da água: saiba quais são

Benefícios da água: saiba quais são

Você já deve ter ouvido que beber dois litros de água por dia é importante para nos manter hidratados. Mas você já parou para pensar em todos os benefícios da água para a nossa saúde e o nosso bem-estar?


No post de hoje, vamos falar quais são os benefícios da água e qual é a importância dela para o bom funcionamento do nosso organismo. Quer saber mais sobre o assunto? Então, continue a leitura do conteúdo que preparamos para você.

Benefícios da água: entenda como ela age no nosso corpo

Se você se pergunta quais são os benefícios da água para o nosso corpo, saiba que ela é uma das substâncias mais importantes para o funcionamento correto de todos os órgãos. Afinal, nosso organismo é constituído por 70% do líquido.


Segundo o Guia Alimentar para a População Brasileira, para aproveitar os benefícios da água, o ideal é que o consumo diário seja, em média, de dois litros. No entanto, vale lembrar que essa quantidade pode variar de acordo com peso, altura, idade e rotina de atividades físicas. 


Além de matar a nossa sede durante o dia, os benefícios de tomar água incluem a regulação da temperatura corporal, a desintoxicação do corpo, a absorção de nutrientes e vitaminas, a melhora da circulação sanguínea, o funcionamento do intestino e a prevenção de doenças nos rins.

Saiba como a água age na pele

A pele é o maior órgão do corpo humano. Por esse motivo, ela precisa de cuidados extras para se manter saudável e bonita. Entre os benefícios da água na pele, estão a manutenção da umidade, ajudando a abastecer o tecido e aumentando a elasticidade.


A água também age como um antirrugas natural, deixando a pele mais macia e flexível. Por isso, ela pode muito bem substituir tratamentos caros antienvelhecimento. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, a recomendação também é de ingerir dois litros por dia para mantê-la saudável e hidratada.

Conheça alguns tipos de água

Você já parou para pensar nos tipos de água que existem por aí? Assim como outras substâncias, a água possui algumas especificações. Por isso, é importante ficar de olho e entender um pouco mais sobre cada uma delas. 

Água mineral

A água mineral surge de fontes naturais ou artificiais e possui diversas características terapêuticas devido às propriedades químicas e físicas. Como é encontrada no subsolo, ela é livre de poluição e bastante benéfica à saúde por causa da quantidade de minerais.

Água potável

A água potável é tratada, caracterizada pela ausência de odor, cheiro, cor e micro-organismos. Ela é própria tanto para o consumo humano quanto animal, além de servir para o preparo de alimentos.

Água filtrada

A água filtrada é pública, aquela que utilizamos para lavar as mãos ou tomar banho, mas que passa pela filtração. Aqui, os filtros retiram impurezas, sabores e micro-organismos que podem ser nocivos à saúde.

Experimente novas formas de consumo

Agora que você já conhece os benefícios da água, chegou a hora de entender como consumi-la de formas diferentes da tradicional. Seja com frutas ou gás, ela é versátil e vai bem em qualquer hora do dia.

Água saborizada

A água saborizada tem ganhado bastante popularidade. Saudável e saborosa, ela possui vários benefícios associados com frutas, cascas ou ervas utilizadas no preparo. Esse tipo de bebida é uma ótima forma de consumir mais vitaminas e minerais, aproveitando o gostinho dos ingredientes. 

Água com gás

A água com gás é uma ótima substituta aos refrigerantes, já que também é gasosa, mas não contém açúcar e outros químicos nocivos à saúde. Além disso, ela possui os mesmos minerais e propriedades de hidratação da água sem gás. Outros benefícios da água com gás incluem a melhora do funcionamento do estômago e a preparação do paladar.

Insecta: mantenha uma rotina saudável com a gente

Na Insecta, a gente acredita que manter uma rotina saudável é essencial não só para os indivíduos, mas para o planeta Terra. Por isso, por aqui, além de saber mais sobre os benefícios da água, você encontra outros conteúdos que te ajudam a entender um pouco mais sobre alimentos orgânicos e a valorização dos produtores locais, por exemplo. 

Continue lendo

Saiba a importância do selo cruelty-free nos produtos

Cada vez mais, pessoas têm se atentado aos impactos ambientais causados por diferentes indústrias. A cada ano, milhares de animais são sacrificados para a validação da segurança em produtos para o consumo humano. Por essa razão, tem se buscado produtos com o selo cruelty-free


Você sabe o que isso significa? O selo cruelty-free (tradução: “livre de crueldade”) busca indicar quais produtos disponíveis no mercado são feitos sem realizar testes em animais e que também não contam com ingredientes ou materiais de empresas que realizam esses tipos de procedimentos.

Com o aumento dos impactos causados na natureza por meio da exploração animal, as pessoas têm se tornado cada vez mais conscientes a respeito daquilo que consomem. Pensando nisso, muitas marcas começaram a repensar também seus processos de produção e optar por um caminho alternativo entendendo o que é cruelty-free.

 

Entenda por que não faz sentido testar em animais

Você já parou para pensar na quantidade de produtos de limpeza e beleza que fazem parte da nossa rotina, mas que, antes de entrarem no mercado, foram testados em ratos, coelhos, gatos, macacos, sapos e outros animais? 

 

A justificativa de que seria uma etapa como medida de segurança cai por terra quando constatamos que os organismos de outros mamíferos e anfíbios não correspondem ao sistema humano. Somado a isso há também todo o sofrimento causado a esses animais, que são vítimas de procedimentos dolorosos e cruéis. 

 

Atualmente, com o avanço da tecnologia, existe a possibilidade de testes in-vitro para atestar a qualidade e a segurança dos produtos. E é inspirada nesses animais que passam a vida toda confinados que a propagação do selo cruelty-free e seu significado começaram a ganhar mais força por todo o mundo.

 

Na União Europeia, desde 2009 é proibido realizar esse tipo de prática e, desde 2013, também é proibida a importação de produtos e matérias-primas que passam por esse tipo de testes. Porém, em contrapartida, países como a China ainda exigem esse tipo de procedimento para liberar a comercialização.

 

No Brasil, existe a legislação que regula a produção de cosméticos e dermocosméticos, aprovada pela ANVISA desde 2014. Ela permite usar cobaias só em testes específicos, como corrosão da pele e irritação ocular.

 

Saiba mais sobre a importância desse tipo de certificação

Esse tipo de certificação é importante para qualquer pessoa que se preocupa com um consumo cruelty-free e produtos que causam o menor impacto possível ao meio ambiente. Aqui, no Brasil, cada vez mais é possível notar marcas que buscam inovar nos seus procedimentos e optar pelo caminho com menor impacto.

 

O PETA (People for the Ethical Treatment of Animals) é uma organização não governamental fundada em 1980, reconhecida como a maior de direitos dos animais do mundo. O seu selo cruelty-free busca incentivar, apoiar e promover práticas, produtos e serviços livres de crueldade animal e 100% veganos.

 

Conheça quais são as certificações da Insecta

A Insecta, desde o começo, é uma das marcas cruelty-free cujos processos são livres de sofrimento animal. Todos os materiais são livres de componentes de origem animal e reciclados, ajudando a estender a vida útil de diversos itens que, normalmente, iriam para o lixo. Toda a nossa produção apoia produtores locais, valorizando o trabalho artesanal. 

 

Somos certificados como uma empresa B, o que significa ter a responsabilidade de pensar em soluções que envolvem problemas sociais e ambientais, com um objetivo de criar um impacto positivo nessas frentes. Além disso, também possuímos o selo cruelty-free PETA, que atesta ainda mais nossa responsabilidade com o meio ambiente e cuidado animal.

 

Fechando o ciclo: uma maneira sustentável de contribuir com o planeta

O fechamento de ciclo da Insecta é uma maneira de contribuir para a reciclagem, ajudando a direcionar seu par de besouros da nossa marca para o lugar ideal. O sapato é todo desmontado e cada parte é encaminhada para a produção de uma nova peça. 

 

Desse modo, você ajuda o nosso processo e também contribui para não gerar mais lixo para o meio ambiente. Para te incentivar e agradecer a sua interação nesse consumo mais consciente, também oferecemos um desconto de 50 reais na aquisição do seu próximo par da Insecta. 

 

Conheça mais sobre a nossa marca e todos nossos produtos exclusivos para adquirir peças ecosexy que vão trazer muito mais destaque para o seu visual. Aproveite um consumo consciente, que não prejudica o meio ambiente e deixa os animais felizes e em paz.

Continue lendo

Pintura numerada: o que é e como começar?

Pintura numerada: o que é e como começar?

A pintura é uma forma de arte que nos ajuda a expressar ideias e sentimentos. Caso você nunca tenha pintado antes ou ainda esteja com um pouco de receio de começar, conhecer a pintura numerada pode ajudar nesse processo.


No post de hoje, vamos falar um pouco sobre o que é pintura numerada, como começar e quais são os benefícios dessa prática. Continue a leitura do conteúdo e saiba mais sobre o assunto.  

O que é pintura numerada?

A pintura numerada, também conhecida como pintura terapêutica, é uma forma de pintura em que uma imagem é dividida em formas marcadas com um número. Cada número corresponde a uma cor específica, que será utilizada na área durante a pintura.


Aqui, cada pessoa irá pintar uma forma com a cor correspondente até que uma imagem seja formada. O processo é supersimples e uma ótima maneira de entender como os tons de cores e as formas funcionam, ajudando na criatividade e no alívio do estresse.


Essa técnica foi inventada em 1950 por Max S. Klein, um engenheiro americano e dono da Palmer Paint Company, em parceria com Dan Robbins, um artista comercial. Em pouco tempo, os kits de pintura numerada venderam 12 milhões de unidades. Hoje, essas pinturas continuam populares e são conhecidas pelos benefícios à saúde mental. 

Quais são os benefícios da pintura numerada?

Apesar de ser bastante popular entre crianças, a pintura terapêutica numerada também é superbenéfica para os adultos, principalmente durante o isolamento social causado pela pandemia de COVID-19. 


A pintura terapêutica é associada à redução do estresse e da ansiedade, tão presentes no dia a dia corrido. Ela também ajuda na concentração, no foco, na paciência, na coordenação e até na organização, sendo indicada para pessoas de qualquer idade.


Não é à toa que muita gente vem conhecendo e se apaixonando pela técnica, seja para ajudar na redução do estresse, para aprender a pintar ou mesmo como um hobby para passar o tempo enquanto as atividades não voltam ao normal. 

Saiba como começar a pintar com números

Para começar a praticar a técnica é necessário ter um kit com a tela numerada para pintar, as tintas numeradas e os pincéis. Se preferir, você pode usar as versões on-line, imprimindo a imagem em casa e utilizando suas próprias tintas e pincéis. Confira algumas dicas que preparamos para te ajudar.

Escolha um lugar calmo para pintar

Antes de começar a pintar, é importante escolher uma mesa ou outra superfície reta em um local calmo e longe de distrações. Lembre-se de manter um copo com água para limpar os pincéis e um pano para secá-los.

Atenção ao tipo de tinta

Os kits costumam contar com tinta acrílica ou óleo. Aqui, o mais recomendado é dar preferência às acrílicas ou a aquarela, já que as tintas a óleo são mais difíceis de trabalhar e secam mais rápido.

Comece das áreas maiores para as menores

Na hora de começar a pintura numerada, pode ser difícil decidir por onde começar. Por isso, escolher um padrão pode facilitar o processo e evitar desperdício de tinta. Aqui, você pode começar pelas áreas maiores e depois partir para as menores, o que dá um pouco mais de prática com o pincel e facilita a pintura das áreas pequenas.

Deixe as misturas de cores para o final

Durante o processo de pintura, o ideal é começar pelas áreas mais escuras ou mais claras antes. Essa parte ajuda a entender melhor a tonalidade das cores e deixa o momento mais difícil, que é a mistura de tons, para o final. 


Quando chegar a parte da mistura, você verá dois números em cada forma. Isso indica que aquela parte precisa de duas cores, e aí, é preciso misturá-las. Para isso, basta escolher uma proporção igual entre as duas e fazer a mistura em uma superfície.

Insecta: solte a sua criatividade com a gente

Além de ajudar no estresse, a pintura numerada é uma ótima forma de soltar a criatividade e se expressar a partir das cores e formas. Na Insecta, acreditamos no poder da expressão de cada um, por isso, temos um ebook livro de colorir para te ajudar a se conectar com o seu lado criativo.


Trabalhamos nosso livro no modelo “pague o quanto quiser” para incentivar o acesso a todas as pessoas. Depois da compra, você recebe o material por e-mail, imprime e já pode começar a fazer as suas pinturas. Faça o download e coloque o seu toque de cor com a gente!



Continue lendo

Nos ajude a fechar o ciclo do seu Insecta!

O consumo consciente e a circularidade são ideias centrais na Insecta. Por isso, nos preocupamos em acompanhar todo o ciclo de vida dos nossos sapatos, inclusive ajudando a direcioná-los para o descarte ideal, transformando-os em novos produtos.

Depois de usar seu Insecta até não querer mais, você pode devolvê-lo em uma de nossas lojas físicas ou enviá-lo pelo Correio de volta pra gente. Além de evitar que mais lixo seja jogado no mundo, você ganha um cupom de R$ 50 de desconto para usar na próxima compra.

E o que acontece depois?
O sapato é desmontado e seus componentes são destinados para reciclagem.

O cabedal e a palmilha são transformados em novas palmilhas e o solado é triturado e vira um novo solado.

Devolva seu besouro usado
Pra isso, você tem que nos mandar os seus besouros bem identificados, com nome e email pra que possamos te mandar o nosso presente de agradecimento, tá?

Loja Insecta Shoes A/C Dpto Logística Reversa
Rua dos Pinheiros, 342
05422-000
São Paulo - SP


Continue lendo

X vinnu_lennartc

Opssss

A gente tá trabalhando em algumas novidades e por isso a loja estará instável das 16h as 18h.

Logo, logo estaremos de volta, tá!