“The True Cost” - consumir menos e melhor

Seta Fina Esquerda ícone
“The True Cost” - consumir menos e melhor
Na semana passada, nós falamos um pouco sobre a importância de consumir moda feita no Brasil em tópicos claros e diretos. Um deles ressaltava as questões da mão de obra por trás dos produtos que compramos e como ela pode ser tão boa, empoderadora e geradora de renda, ou tão degradante e nociva. Nós falamos também que não é tão fácil entender todo esse sistema  complexo da moda e saber o que aconteceu com cada peça antes dela chegar no seu armário, principalmente no mundo globalizado. Mas daí estreou “The True Cost”, um documentário ótimo de uma hora e meia, que aborda toda essa questão de mão de obra (e meio ambiente e economia) por trás da produção dos produtos de moda de maneira bem clara, dinâmica e que mostra diversos pontos de vista, tornando essa missão de entender a indústria da moda um pouco mais fácil. Processed with VSCOcam with f2 preset Processed with VSCOcam with f2 preset “The True Cost” (em tradução literal “O Verdadeiro Custo”) é dirigido por Andrew Morgan, um cineasta que sempre se interessou por fazer documentários que mostrassem as possibilidades de um futuro melhor, mas nunca tinha dado muita atenção à moda. Até o dia que se deparou com as notícias do desabamento do Rana Plaza, prédio que abrigava diversas confecções de roupas em Bangladesh, que resultou em mais de mil mortes e dois mil feridos graves. Morgan se juntou ao produtor Michael Ross e lançou uma campanha no Kickstarter para arrecadar verba para o documentário. Com apoio das ativistas de moda consciente Livia Firth, Orsola de Castro, Stella McCartney, entre outros, a campanha foi bem sucedida e a equipe viajou para diversos países conhecidos por produzir moda barata para o ocidente, entre eles Bangladesh, Sri Lanka, Camboja e Índia, lá entrevistou donos de confecções, trabalhadores, líderes sindicais, e comunidades, voltando com um material de partir o coração que nos faz pensar ainda mais sobre os produtos que consumimos. Imagens de comunidades que estão literalmente morrendo por conta da indústria do couro local no Camboja, famílias agricultoras de algodão na Índia comentando os dados alarmantes sobre 1 agricultor de algodão cometendo suicídio a cada 30 minutos, mulheres que são líderes sindicais contando os abusos que sofreram por exigirem melhores condições de trabalho e até mesmo a responsável por uma grande marca de fast-fashion admitindo que não se importa com as condições que as roupas da empresa na qual trabalha foram feitas tornam “The True Cost” um filme indigesto, porém indispensável para entender a importância do nosso consumo. Processed with VSCOcam with f2 preset Processed with VSCOcam with f2 preset Outra questão interessante que o documentário aborda é a relação de preço x custo humano x capital. Tem muita gente que insiste em dizer que mesmo essas condições de trabalho precárias são melhores do que nenhuma condição de trabalho, e que, de uma maneira ou de outra, ajudam a fortalecer a economia do país, como se o ocidente estivesse fazendo um favor à Ásia ao produzir suas roupas baratas por lá. Será que é assim mesmo? Até que ponto peças de USD 20 dólares são democráticas e empoderadoras? Nós realmente estamos fazendo um favor a alguém quando compramos esses produtos? Economistas e ativistas respondem também a essas indagações pertinentes. Processed with VSCOcam with f2 preset Outro ponto positivo do documentário é que ele mostra soluções interessantes que já foram colocadas em prática como iniciativas de fair trade (troca justa na mão de obra), produção orgânica, marcas de upcycling  (que fazem esse trabalho de reutilizar materiais para produzir novas peças, igual faz a Insecta) e muitas outras alternativas bacanas que têm o lema “consumir menos, consumir melhor”, e, de preferência, consumir local. Vamos continuar essa conversa sobre moda e ativismo com “The True Cost”? O documentário já está disponível na Internet, na Itunes Store, em DVD e Blu-Ray, com legendas em português aqui.

Deixe um comentário

x