Calce Uma Causa

10 mudanças fáceis pra ter uma vida mais verde

10 mudanças fáceis pra ter uma vida mais verde

Dizem por aí que o ano só começa depois do Carnaval. Pra muita gente, a virada que conta é astrológica, que acontece em março. E mesmo pra quem conta o novo ano a partir de 1º de janeiro, sempre é tempo de fazer resoluções (e revoluções também).

A gente te ajuda a dar os primeiros passos. Confere 10 dicas bem facinhas que você pode ir incorporando ao dia a dia, adaptando à sua realidade sempre que precisar:

1 - Chega de desperdiçar comida Planeje o cardápio da semana. Você vai saber exatamente do que precisa (e do que não precisa). Sabe aquela técnica tradicional de fazer a lista de compras e tentar ir ao mercado\feira o mínimo possível? É isso. Evita compras por impulso e você não fica com a geladeira cheia de comida estragando. Ah, e ainda economiza em $ pra investir em você.

2 - Considere o veganismo Se você não quiser (ou não puder) cortar totalmente os ingredientes de origem animal, tudo bem. Cada um tem o seu tempo e a sua realidade. Mas você pode considerar reduzir esses ingredientes da sua alimentação em 2018. Faça um dia da semana vegano, conheça novas receitas (no blog temos vaaarias), descubra novos sabores. É bom pra sua saúde, pro planeta e claro, pros animais.    

3 - Ame as suas roupas O tema do Fashion Revolution de 2018 foi “Loved Clothes Last”, mas vale pra qualquer ano. Isso quer dizer, na prática, que quando você cuida do que tem, você tem por mais tempo. E assim não precisa renovar guarda-roupas a cada virada de estação. Observe as instruções de lavagem. Faça pequenos reparos, pregue novos botões, ajuste, reajuste. Sempre vale mais a pena manter uma peça do que comprar outra.

4 - Deixe o carro em casa A gente sabe, nem sempre tem como. Ainda mais pra quem tem dias puxados com várias paradas. Mas promete que vai tentar? Ande de carona com amigos, use a bicicleta ou vá a pé pra compromissos perto de casa. Aliás, priorize os compromissos perto de casa - vá no mercadinho do seu bairro e não no mercadão lá longe, por exemplo.

5 - Se informe Esse é o melhor jeito de saber qual a melhor atitude tomar. Sair da zona de conforto é um movimento que tem que vir lá de dentro, e quando você tem informação fica tudo mais fácil. Descubra quem fez suas roupas. Saiba de onde vem os alimentos que você consome. Se informe sobre as marcas que você consome e decida quem você vai apoiar. Se informe também sobre pontos de coleta de resíduos recicláveis, sobre como funcionam as coisas na sua cidade. Curiosidade abre um tanto de portas. ;)

6 - Se liberte da sacola plástica plmdds Vamos falar disso mais uma vez? Vamos sim, até todo mundo abandonar essa praga da vida moderna. Já mostramos aqui no blog que as sacolinhas são um problema e que reduzir ao máximo é a melhor saída. O segredo é ter uma ecobag sempre por perto. Não quer andar carregando muita coisa? A ecobag do besouro é pequena e se for bem dobrada, cabe até no bolso #ficadica.  

 

7 - Evite alimentos embalados Parece difícil, mas não é. Ainda mais se você já tem o hábito de fazer feira e comprar a granel. Alimentos prontos e embalados vendidos nos supermercados têm uma lista de pequenos problemas, e evitando consumir esse tipo de produto a gente corta o mal pela raiz: normalmente os vegetais são cultivados de forma industrial, com muito uso de agrotóxicos. As embalagens são de plástico, isopor ou plástico filme, que não é reciclável. Empresas que comercializam esse tipo de produto costumam descartar frutas e vegetais com aspecto “imperfeito”, ou seja, é comida totalmente comestível indo fora.  

8 - Economize energia Pelo valor da conta da luz (taí um ótimo incentivo), mas também pelo meio ambiente. Pequenas práticas podem ajudar no cotidiano e juntas viram uma baita economia: desligue computador, tv e outros eletrônicos durante a noite e quando sair de casa. Até na função standby eles consomem energia, sabia? Troque suas lâmpadas por LED. Elas podem parecer mais caras na hora da compra, mas duram muito mais e economizam energia.

9 - Use pilhas e baterias recarregáveis Infelizmente, nem essas duram pra sempre. Mas com certeza duram mais do que pilhas comuns, que levam até 100 anos pra se degradarem na natureza. E você já sabe, né? Muitas vezes elas vão parar em lixões, liberando toda aquela química no solo e na água subterrânea. Além disso, é um gasto ($) e a geração de resíduo com embalagem.

10 - Tenha um kit permanente na bolsa Aqui você vai adaptar conforme a sua necessidade, sabendo o que você mais consome e o que você pode cortar com preparo antecipado. Tem gente que leva garrafinha de água, outros preferem copinho, tem quem leve guardanapos de pano e até canudinho de metal ou bambu na bolsa. E aqui uma dica que é ótima pra quem não dispensa o cafézinho na rua: você pode ter uma colherinha de café na bolsa. E nunca mais vai precisar usar aqueles palitinhos plásticos que duram um total de 3 segundos e depois viram lixo.  

Viu? Tudo moleza. Ter atitudes mais sustentáveis é fácil e quando você vê já faz parte do cotidiano.

Continue lendo

8 Maneiras de viver com menos plástico, começando hoje

8 Maneiras de viver com menos plástico, começando hoje
O mês de julho está se despedindo. Mas mesmo assim a gente quer aproveitar o gancho do Plastic Free July pra falar desse velho conhecido, o plástico. A campanha existe desde 2011, e como já dá pra imaginar é reduzir ao máximo o consumo de descartáveis durante um mês como forma de aprendizado e conscientização. Tipo o #SegundaSemCarne, sabe?   Nós usamos por pouco tempo coisas que duram por gerações. Já parou pra pensar que todo plástico produzido ainda está por aí? Pense no copinho de iogurte dos Jogos de verão de Montreal de 1976, encontrado em uma praia canadense em 2016. Praticamente intacto e 40 anos depois.   Captura de Tela 2017-07-26 às 17.30.16   A Race for Water, da Suíça, divulgou um estudo falando de 250 milhões de toneladas de plástico produzidas por ano. Disso, 35% disso são usados uma vez, por cerca de 20 minutos. Eles falam também de lixões de plásticos, ou sopas de lixo, que chegam a 15 milhões de quilômetros quadrados espalhados pelos oceanos. Tá, mas e como, na prática, ajudar a mudar essa situação? Você pode começar assim, ó: #1. Consuma menos em geral. Faça um planejamento bacana pra comprar só o necessário. Se for comprar coisas para casa, por exemplo, considere bazares e antiquários, onde você vai encontrar peças em metal muito mais duradouras, sem mencionar a beleza, e que não vem embaladas.   #2. Na hora de fazer compras a granel, leve-a-sua-sacolinha. Não precisa ser de pano, se você não tiver. Comece não jogando fora os saquinhos plásticos que você já tem. Reutilize sempre, cuide para que durem. Tente aumentar a vida útil de tudo que você já tem antes de providenciar algo novo.   #3. A gente sempre fala aqui, mas vale lembrar: recuse_o_canudinho. Sério. Você não precisa dele. E se por acaso precisar, considere reutilizar. Guarde, lave, não jogue fora. Ou procure por canudos de metal ou bambu, pra levar sempre na bolsa. quote_02-OK #4. Recuse a sacolinha na farmácia. Você não precisa de um saco para levar uma cartela de comprimidos que cabe no bolso. E se tiver uma ecobag à mão, já resolve o caso de uma compra maior.   #5. Acostume a deixar o “kit” ecobag, copo e garrafinha de água perto da porta pra não esquecer quando for sair de casa. Dependendo da saída, algumas coisas serão mais ou menos necessárias. Com o tempo você vai pegando a prática e pode incluir novos itens, como talheres portáteis e guardanapos de pano.   #6. Cuide bem do que você já tem. Viver uma vida sem plástico significa eliminar o chamado “single use plastic”, ou seja, o descartável que é usado uma vez (às vezes por segundos). Já que esse material dura pra sempre, aproveite o potencial do que você já tem pra reutilizar ~ ad infinitum.   #7. Repense como você descarta os resíduos recicláveis. A gente já falou sobre usar ou não as sacolinhas do supermercado nesse momento, lembra?   #8. Comprou algo com embalagem descartável? Não precisa sofrer. Se certifique que ela está limpa (veja como limpar aqui) e encaminhe corretamente para a coleta seletiva ou cooperativas de reciclagem.   E pra ter ainda mais inspiração e seguir nessa empreitada, ainda recomendamos acompanhar a Cristal Muniz. Ela é uma das nossas referências quando o assunto é vida com menos lixo. Dona do blog Um Ano sem Lixo, cheinho de dicas, receitas e ideias bem para a vida real, sem ingredientes complexos ou necessidade de habilidades especiais. A gente entrevistou a Cristal aqui no blog, e ela falou um pouco mais sobre essa trajetória inspiradora.   Mesmo depois de todos esses dados, a gente sabe que certas coisas não dá pra cortar da vida. Como seringas descartáveis para aplicação de medicamentos, alguns remédios e claro, preservativos. Você não vai deixar de se cuidar porque não quer produzir resíduo, não é? Uma notícia bacana é que no blog da Lauren Singer tem (em inglês) uma entrevista com a Meika Hollender, co-fundadora da empresa Sustain Condoms, de preservativos sustentáveis. Quer dizer, já existe camisinha com essa pegada sustentável, e é questão de tempo pra que isso se torne mais acessível.   Ah, mas julho já está no final, né? Não tem problema. Dá pra começar o “dia 30 de julho sem plástico”, ou a semana sem plástico, agosto, setembro, “sem plástico até o natal”, enfim. Dá pra começar agora estabelecendo a meta que você quiser, porque a gente tem certeza que vai mudar a sua percepção sobre consumo e logo vai virar um hábito.    
Continue lendo
x