Calce Uma Causa

Chuchu gratinado

Chuchu gratinado

Apesar de não ter sabor marcante, o chuchu não precisa ser sem graça. Basta alguns ingredientes e um tempinho livre para gratinar e deixar irresistível esse legume. O segredo é combiná-lo com ingredientes de sabor mais forte, como o cominho e o parmesão de castanha nesta receita. Esse gratinado fica bem mais leve que o tradicional, já que leva leite vegetal e parmesão de castanha, ao invés de leite e queijo de origem animal. Pode ser servido tanto no almoço quanto num jantar especial.

Você vai precisar de

Chuchu - 2 médios (600 g)

Leite de castanha de caju, amêndoas ou arroz - 2 xícaras (500 ml)

Parmesão de castanha - 1/3 xícara (35 g) - receita aqui

Farinha de trigo branca orgânica - 3 colheres de sopa (18 g)

Azeite de oliva - 2 colheres de sopa (30 ml)

Cominho em pó - 1 colher de chá (5 g)

Sal - 1 colher de chá (5 g)

Pimenta-do-reino moída - a gosto (opcional)

Como fazer

1- Descasque o chuchu e corte em cubinhos. Tempere com 1/2 colher de chá de sal, misture bem para envolver todos os pedaços. Coloque numa peneira e reserve por cerca de 30 minutos para drenar a água. Assim o gratinado não ficará aguado.

2- Enquanto espera, prepare o molho. Em uma panela aqueça o azeite e acrescente a farinha de trigo. Mexa sem parar por cerca de 3 minutos até começar a dourar.

3- Acrescente o leite vegetal e tempere com o restante do sal, cominho e pimenta-do-reino. Misture bem para dissolver todos os gruminhos de farinha.

4- Cozinhe, mexendo sem parar, até engrossar. Desligue o fogo e reserve.

5- Preaqueça o forno a 180 ºC.

6- Transfira os pedaços de chuchu para um pano de prato limpo e seco. Envolva os pedaços e pressione bem para tirar o excesso de água.

7- Coloque num refratário (24 cm x 16 cm) e espalhe até cobrir o fundo. Cubra com o molho e polvilhe com o parmesão de castanha.

8- Leve ao forno preaquecido por cerca de 40 minutos ou até dourar.

9- Retire do forno e sirva ainda quente.

Rendimento: 8 porções

Continue lendo

Pavê vegano de maracujá com chocolate

Pavê vegano de maracujá com chocolate

Como não amar pavê? Sucesso garantido entre crianças e adultos, vai bem em qualquer ocasião, especialmente em reuniões de família e amigos. Já que é uma sobremesa simples de fazer, não requer muitas habilidades na cozinha, e agrada todo mundo. Hoje é possível encontrar várias receitas de pavê vegano na internet.

Mas garanto que essa é uma das poucas que levam apenas cinco ingredientes. Sim, só isso mesmo! E detalhe, todos são bem acessíveis, fáceis de encontrar para comprar. Variando os ingredientes do creme é possível fazer pavê de chocolate, amendoim, morango, coco, limão, enfim, as possibilidades são infinitas. Decidi fazer de maracujá com chocolate porque pra mim é uma das melhores combinações. O azedinho do maracujá contrasta com a doçura do chocolate, além disso ambos são bem perfumados, deixando o pavê irresistível.

Você vai precisar de:

Leite de aveia (não pode ser outro leite vegetal) – 525 ml (receita aqui)

Açúcar demerara – 1/4 xícara + 2 colheres de sopa (85 g)

Chocolate 70% cacau, picado e sem leite – 1/4 xícara (40 g)

Polpa de maracujá integral e sem sementes - 3 colheres de sopa (45 ml)

Biscoito doce vegano tipo Maizena (170 g)

Como fazer:

1- Forre uma fôrma de pão (23 cm x 10 cm) com papel manteiga. Reserve.

2- Coloque 125 ml do leite de aveia em um prato fundo e reserve.

3- Separe o restante do leite em duas partes iguais, 200 ml cada, e coloque cada um numa panela. Adicione o chocolate picado e 1/4 xícara de açúcar em uma, e na outra adicione a polpa de maracujá e 2 colheres de sopa de açúcar. Misture bem.

4- Leve ao fogo médio e mexa sem parar até engrossar. Faça isso com um primeiro e depois com o outro. Reserve.

5- Mergulhe os biscoitos rapidamente no leite de aveia reservado para umedecer.

6- Forre o fundo da fôrma com uma camada de biscoito e monte o pavê alternando camadas de biscoito, de creme de maracujá, de biscoito, e de creme de chocolate. Finalize com os dois cremes por cima.

7- Cubra a fôrma e leve à geladeira por cerca de 4 horas, ou até gelar e firmar. 

8- Desenforme e sirva gelado.

Dica: você pode polvilhar as sementes do maracujá na finalização do pavê para dar uma camada de crocância e sabor.

Rendimento: 10 porções

Continue lendo

Panqueca integral de banana

Panqueca integral de banana

Que o café da manhã é a refeição mais importante do dia todo mundo já sabe. Mas mesmo assim muitos deixam de lado ou comem qualquer coisa por falta de tempo. Com estas panquecas espero conseguir mudar isso. Primeiro porque são bem rápidas de fazer, sei que a correria da manhã precisa de soluções práticas. E segundo são bem fáceis de preparar, basta misturar todos os ingredientes e fritar.

Não está convencido(a) ainda? Elas ficam bem fofinhas e úmidas, uma delícia! Além de serem nutritivas, com ingredientes integrais e sem adição de açúcar. Podem ser servidas com os acompanhamentos que preferir, mas na minha opinião os melhores são: melado, pasta de amendoim, banana picada e nozes. Pra começar o dia se esbaldando :)

Você vai precisar de:

Farinha de aveia (sem glúten, se necessário) - 1 xícara (100 g)

Leite de coco - 1/2 xícara (125 ml) - receita aqui

Banana madura e amassada - 1/3 xícara (90 g)

Farinha de linhaça - 1 colher de sopa (6 g)

Óleo vegetal - 1 colher de sopa (15 ml)

Fermento químico em pó - 1 colher de chá (3 g)

Vinagre de maçã - 1 colher de chá (5 ml)

Como fazer:

1- Coloque todos os ingredientes numa tigela e misture bem até obter uma massa homogênea e espessa. Reserve por cerca de 5 minutos para o vinagre e o fermento reagirem.

2- Preaqueça uma frigideira antiaderente em fogo baixo, não precisa untar.

3- Despeje uma porção sobre a frigideira e espalhe com uma colher para ficar mais fina. Cuidado para não fazer muito grossa senão vai ficar cru por dentro. O ideal é ter no máximo 5 mm de espessura.

4- Tampe a frigideira e deixe fritar por cerca de 3 minutos, ou até ficar bem dourada. Vire a panqueca e frite por mais 3 minutos.

5- Transfira para um prato e cubra com papel alumínio para ficarem quentinhas até a hora de servir. Repita o processo com o restante da massa até acabar.

6- Sirva a panqueca com os acompanhamentos que preferir.

Rendimento: 5 porções

Continue lendo

Crackers de fubá

Crackers de fubá

Biscoitinhos são ótimos para beliscar, perfeitos para lanchinhos entre refeições ou para serem servidos como aperitivos com pastas salgadas ou geleias em geral. Estes de fubá são salgados e temperados com páprica doce e sal. Ficam bem sequinhos e crocantes, uma delícia! A receita é bem simples e leva poucos ingredientes.

Mas nada impede de você incrementar e dar camadas extras de sabor, como salpicar sal grosso ou alguma erva desidratada sobre a massa antes de assar. Outra dica é furar os biscoitos ainda crus com um garfo, isso evita que o vapor estufe e entorte os crackers, além de deixar mais charmosos.

Você vai precisar de:

Fubá - 1 xícara (120 g) + um pouco para untar e polvilhar

Farinha de trigo (integral ou branca) - 2/3 xícara (90 g)

Água - 1/3 xícara (80 ml)

Azeite de oliva - 3 colheres de sopa (45 ml) + um pouco para untar

Páprica doce - 2 colheres de chá (6 g)

Sal - 1 colher de chá (5 g)

Fermento químico em pó - 1 colher de chá (3 g)

Como fazer:

 1- Coloque todos os ingredientes numa tigela e misture bem até obter uma bola de massa homogênea e macia que não grude. Envolva em filme plástico e leve à geladeira por cerca de 15 minutos para descansar.

2- Unte uma assadeira com azeite e polvilhe fubá, reserve.

3- Sobre uma superfície limpa e lisa polvilhe fubá. Abra a massa com um rolo até ficar bem fina, com cerca de 3 mm. Tente manter a mesma espessura da massa para evitar que alguns crackers queimem e outros fiquem moles.

4- Com uma faca corte a massa em quadradinhos com cerca 4 cm. Perfure cada um com um garfo e transfira para assadeira. Leve à geladeira por cerca de 15 minutos.

5- Preaqueça o forno a 180 ºC.

6- Retire a assadeira da geladeira e leve ao forno preaquecido por cerca de 15 minutos, ou até as bordas dourarem. Assim que retirar do forno vire os crackers e deixe esfriarem na assadeira. Não se preocupe se estiverem macios no centro, ao esfriarem vão ficar crocantes.

7- Armazene em um pote fechado em local fresco e seco para manter a crocância. Dura cerca de 1 semana.

Rendimento: 4 porções

Continue lendo

Bolo de arroz (sem glúten)

Bolo de arroz (sem glúten)

Seja no café da manhã ou da tarde, um bolinho acompanhado de uma xícara de café sempre vai bem. Esse aqui é bem diferente e inusitado, não leva farinha e nem ingredientes de origem animal, sua base é de arroz cru! É isso mesmo, arroz integral deixado de molho de um dia para o outro. O bolo não fica com gosto de arroz, mas com um sabor adocicado neutro, tipo aqueles bolos de nada. Você pode fazer uma calda, por exemplo, de chocolate, maracujá, limão ou goiabada, e dar uma camada extra de sabor. Ele é mais denso e molhadinho, fica bom tanto em temperatura ambiente quanto gelado. Além de não levar ingredientes refinados, essa receita é sem glúten, perfeita para intolerantes. Isso sem contar que é de liquidificador, super fácil de fazer.

 

Você vai precisar de

Arroz integral cru - 1 xícara de chá (200 g)

Água fervente - 4 xícaras (1 litro)

Suco de limão - 1 colher de sopa (15 ml)

Leite de coco caseiro - 200 ml (receita aqui)

Óleo vegetal - 100 ml + um pouco para untar

Linhaça - 2 colheres de sopa (15 g)

Açúcar demerara - 1 xícara (220 g)

Extrato de baunilha - 2 colheres de chá (10 ml) opcional

Fermento químico em pó - 1 colher de sopa (8 g)

Farinha de arroz (ou outra que preferir) - o suficiente para untar a fôrma

Atenção, antes de fazer é necessário um pré-preparo: Coloque o arroz em um recipiente grande e adicione a água fervente e o suco de limão. Misture bem e deixe de molho por cerca de 6 a 8 horas.

Como fazer

1- Preaqueça o forno a 180 ºC.

2- Unte uma fôrma de bolo com furo no meio (usei uma com 20 cm de diâmetro) e polvilhe com farinha de arroz, ou outra que preferir.

3- Em um liquidificador coloque o leite de coco, o óleo vegetal e a linhaça. Bata bem por cerca de 3 minutos, até a linhaça ficar bem triturada.

4- Escorra a água do arroz e transfira para o liquidificador. Adicione o açúcar demerara e o extrato de baunilha. Bata bem em velocidade máxima até ficar homogêneo. Se preferir, divida a massa em duas porções e bata separado para não forçar o liquidificador.

5- Adicione o fermento e misture com uma colher.

6- Transfira a massa para a fôrma e leve ao forno preaquecido por cerca de 50 minutos, ou até que um palito saia limpo ao ser inserido no centro do bolo.

7- Retire do forno e espere esfriar para desenformar.

Rendimento: 10 pedaços

Continue lendo

Massa de pizza com mandioca (sem glúten)

Massa de pizza com mandioca (sem glúten)

Preparar pizza em casa é muito mais fácil do que você imagina, não requer técnicas complexas e nem equipamentos especiais. A parte mais demorada é deixar a massa fermentar, mas isso não requer nenhum trabalho. Enquanto você espera já pode ir preparando a cobertura e organizando a cozinha. Essa massa é bem diferente da tradicional, a base é feita com mandioca e farinha de arroz. Fica bem fininha, sem quebrar, e com borda sequinha e crocante, uma delícia!

A cobertura fica a seu gosto, eu fiz com cogumelos shimeji puxado no azeite de oliva e alho. Para incrementar coloquei pimenta biquinho e couve mizuna, tudo temperado com sal e pimenta-do-reino.

Você vai precisar de:

Mandioca crua descascada - 250 g

Farinha de arroz - 1 xícara (140 g)

Água morna - 6 colheres de sopa (90 ml)

Óleo vegetal - 1/4 xícara (60 ml)

Polvilho doce - 2 colheres de sopa (10 g)

Linhaça - 1 colher de sopa (8 g)

Fermento biológico seco - 1/2 colher de sopa (3 g)

Açúcar demerara - 1/2 colher de chá (3 g)

Sal - 1/2 colher de chá (3 g)

Como fazer:

 1- Corte a mandioca em pedaços menores e transfira para uma panela. Cubra com água e cozinhe até ficar macia.

2- Em um liquidificador adicione a água morna, o óleo vegetal, a linhaça, o açúcar e o sal. Bata bem por cerca de 3 minutos.

3- Transfira para um recipiente grande e adicione o fermento. Misture bem e reserve por cerca de 30 minutos.

4- Escorra a água do cozimento da mandioca. Amasse bem os pedaços, ainda quentes, com um garfo. Reserve até amornar.

5- Transfira para o recipiente com o fermento e adicione a farinha de arroz e o polvilho doce. Misture bem até obter uma massa homogênea e bem úmida. Reserve por cerca de 30 minutos.

6- Preaqueça o forno a 180 ºC.

7- Separe a massa em duas porções iguais e forme bolinhas.

8- Forre uma superfície com papel manteiga ou tapete de silicone. Abra a massa delicadamente com as mãos formando um círculo com cerca de 24 cm de diâmetro.

9- Leve ao forno preaquecido por cerca de 15 minutos.

10- Retire do forno e espalhe a cobertura desejada.

11- Leve ao forno novamente por cerca de 15 minutos ou até a borda ficar dourada. Rendimento: 2 massas de pizza com cerca de 24 cm de diâmetro cada

Continue lendo

Bolo gelado de coco (toalha felpuda)

Bolo gelado de coco (toalha felpuda)

Fofo e molhadinho, o bolo gelado de coco, também chamado de toalha felpuda, é um clássico na infância de muita gente. Quando embrulhado em papel alumínio então, é nostalgia pura! Essa versão é vegana, consequentemente sem lactose, já que não leva laticínios. Perfeito para quem tem alergia ou intolerância. O leite de vaca é substituído pelo leite de coco caseiro para ficar mais saboroso. Já os ovos são substituídos pela combinação de farinha de linhaça e água, popularmente conhecida como “ovo” de linhaça.

Você vai precisar:

Para a massa:

Farinha de trigo branca e orgânica - 2 xícaras (250 g) + um pouco para polvilhar

Açúcar demerara - 1 xícara (200 g)

Leite de coco caseiro - 1 xícara (250 ml)

Óleo vegetal (girassol ou coco) - 1/2 xícara (125 ml) + um pouco para untar

Água - 1/4 xícara (60 g)

Farinha de linhaça - 2 colheres de sopa (10 g)

Fermento químico em pó - 1 colher de sopa (10 g)

Para a calda:

Leite de coco caseiro - 1 xícara (250 ml)

Açúcar demerara - 3 colheres de sopa (30 g)

Para polvilhar:

Coco ralado (seco ou fresco) - 1 xícara

Como fazer:

1- Preaqueça o forno a 180 ºC.

2- Unte uma fôrma retangular (23 cm X 33 cm) com um pouco de óleo e polvilhe farinha de trigo. Chacoalhe bem para espalhar sobre o fundo e as laterais. Bata sobre a pia para tirar o excesso. Reserve.

3- Em um recipiente pequeno misture a farinha de linhaça e a água. Reserve por cerca de 5 minutos para hidratar.

4- Em um recipiente grande adicione a farinha de trigo, açúcar demerara, leite de coco, óleo vegetal e a linhaça hidratada. Misture delicadamente até obter uma massa líquida homogênea.

5- Adicione o fermento e misture novamente até incorporar.

6- Transfira para a fôrma, nivele com uma espátula e leve ao forno para assar por cerca de 30 minutos, ou até que um palito saia limpo ao ser inserido no centro do bolo.

7- Enquanto a massa assa prepare a calda. Coloque no liquidificador o leite de coco e o açúcar demerara. Bata bem até o açúcar dissolver completamente. Reserve.

8- Retire o bolo do forno e faça furos com um garfo sobre a superfície, assim a calda penetra melhor.

9- Regue a calda sobre o bolo ainda quente e polvilhe com o coco ralado.

10- Espere amornar e leve à geladeira por pelo menos 2 horas antes de servir para o bolo absorver bem a calda e firmar.

Rendimento: 8 porções

Continue lendo

Estrogonofe de shimeji com palmito

Estrogonofe de shimeji com palmito

Um estrogonofe quentinho, recém preparado, faz qualquer um se sentir em casa de tão reconfortante que é. Acompanhado de arroz e batata palha então, é garantia de sucesso! Nessa receita o cogumelo shimeji se une ao palmito para formar uma dupla incrível. O creme de leite foi substituído pelo creme de inhame, muito mais leve e nutritivo. É ele que vai deixar o estrogonofe cremoso. Como tem sabor neutro não altera o sabor da preparação, podendo ser usado em qualquer estrogonofe. Para fazer é muito simples, basta descascar o inhame, cozinhar até ficar macio e bater no liquidificador com água até obter um creme liso.

Você vai precisar de:

Palmito cortado em cubos (fresco ou em conserva) - 2 xícaras

Shimeji (branco ou preto) - 1 bandeja (200 g)

Inhame - 2 médios (200 g)

Cebola cortada em cubos - 1/2 xícara (75 g)

Molho de tomate - 1/4 xícara (60 ml)

Vinho branco seco (ou água) - 1/4 xícara (60 ml)

Azeite de oliva – 2 colheres de sopa (30 ml)

Mostarda – 1 colher de chá (5 ml)

,Sal – 1 colher de chá (5 g)  

Como fazer:

1- Se você estiver usando palmito fresco, coloque em uma panela pequena e cubra com água. Leve ao fogo médio e cozinhe por cerca de 15 minutos a partir do momento que levantar fervura. Se estiver usando palmito em conserva, lave bem em água corrente para tirar o excesso da salmoura. Reserve.

2- Descasque o inhame e corte em pedaços pequenos. Transfira para uma panela pequena e cubra com água. Leve ao fogo médio e cozinhe até ficar macio.

3- Escorra a água e transfira os pedaços para o liquidificador. Acrescente 1 xícara de água (250 ml) e bata bem até obter um creme liso. Reserve.

4- Separe o shimeji da penca com as mãos e lave rapidamente em água corrente para não absorver muita água. Seque com um pano de prato limpo para tirar o excesso de líquido. Reserve.

5- Em uma panela grande aqueça o azeite de oliva e refogue a cebola até dourar.

6- Acrescente o shimeji e tempere com sal. Refogue bem até soltar a água e evaporar.

7- Adicione o palmito, creme de inhame, molho de tomate, vinho branco (ou água) e a mostarda. Misture bem e cozinhe por cerca de 5 minutos a partir do momento que levantar fervura. Misture com frequência para não grudar no fundo da panela. Sirva ainda quente.

Rendimento: 4 porções Dica: se não encontrar o shimeji você pode substituir por qualquer cogumelo fresco na mesma quantidade.

Continue lendo

Musse de chocolate vegana

Musse de chocolate vegana

Musse de chocolate é daquelas sobremesas clássicas que agrada aos mais variados paladares, perfeita para ser compartilhada. Essa leva ingredientes bem diferentes da receita original, já que é vegana, mas mesmo assim fica bem leve e aerada, como a tradicional. Uma delícia! O tofu, que é macio por natureza, e as castanhas de caju, que ficam macias depois da demolha, formam uma excelente base para a musse. Super leve e cremosa! Quando misturada com o chocolate derretido e o açúcar mascavo, fica irresistível. O sabor residual do tofu some completamente.

Para produzir aquelas bolinhas de ar bem característica da musse, usei a simples combinação de sumo de limão e bicarbonato de sódio. Ao entrarem em contato eles produzem uma reação química que libera gás e forma aquelas bolinhas dentro da musse, deixando bem aerada. Como um neutraliza o sabor do outro, não fica com sabor residual metalizado depois do repouso na geladeira.

Você vai precisar de:

Tofu drenado e esmigalhado - 1 xícara (220 g)

Castanha de caju crua e sem sal - 1/2 xícara (60 g)

Chocolate 70% cacau e sem leite - 100 g

Açúcar mascavo peneirado - 1/4 xícara (40 g)

Água filtrada - 1/4 xícara (60 ml) + água para demolha

Sumo de limão - 1 colher de chá (5 ml)

Bicarbonato de sódio - 1/2 colher de chá (3 g)

Atenção, antes de fazer é necessário um pré-preparo:

Coloque as castanhas de caju em um recipiente e cubra-as com água. Deixe de molho por pelo menos 4 horas. Essa etapa serve para tirar os antinutrientes, como o fitato, e deixar as castanhas macias. Depois da demolha, escorra e descarte a água. Lave bem em água corrente e utilize normalmente na receita.

Como fazer:

1- Coloque as castanhas e a água (1/4 xícara) no liquidificador. Bata bem até obter uma mistura lisa, parando para raspar as laterais de vez em quando.

2- Adicione o tofu esmigalhado e o açúcar mascavo. Bata bem até obter um creme homogêneo, reserve.

3- Derreta o chocolate em banho-maria e transfira para o liquidificador. Adicione o sumo de limão e bata novamente.

4- Transfira para um recipiente e adicione o bicarbonato de sódio. Misture rapidamente e leve à geladeira por no mínimo 2 horas, ou até ficar consistente.

5- Sirva gelado.

Rendimento: 4 porções

Continue lendo

Bolo invertido de abacaxi (sem glúten)

Bolo invertido de abacaxi (sem glúten)

Clássico, delicioso e super perfumado, o bolo invertido de abacaxi aparece por aqui numa versão sem ovos, sem laticínios e sem glúten. Perfeito para intolerantes e alérgicos. Apesar de não levar ingredientes “tradicionais”, não quer dizer que não fica gostoso. A massa fica bem fofinha, úmida e doce na medida certa. Seu sabor é mais neutro para dar espaço pro abacaxi assado com calda brilhar. Afinal de contas, bolo de abacaxi tem que ter gosto de abacaxi né!? Hahaha.

Você vai precisar: 

Para a massa:

Polvilho doce – 1 xícara (115 g)

Farinha de arroz integral ou branca –3/4 xícara (105 g)

Farinha de aveia (sem glúten, se necessário) – 2/3 xícara (70 g)

Açúcar mascavo peneirado – 1 1/2 xícara (190 g)

Água filtrada – 200 ml

Abacate ou avocado maduro e amassado – 1/2 xícara (100 g) – serve para deixar a massa úmida

Óleo vegetal (usei de coco) – 1/4 xícara (60 ml)

Fermento químico em pó – 1 colher de sopa (15 g)

Para a calda: 

Açúcar mascavo peneirado - 4 colheres de sopa (40 g)

Água – 4 colheres de sopa (60 ml)

Para montar:

Abacaxi descascado e cortado em fatias finas (mais ou menos 1 cm) - 350 g

Como fazer:

1- Comece preparando a calda. Em uma panela pequena adicione o açúcar mascavo e a água. Leve ao fogo médio e mexa sem parar até o açúcar dissolver completamente e obter uma calda.

2- Transfira para a fôrma (usei uma com 24 cm de diâmetro) e unte o fundo todo.

3- Disponha as fatias de abacaxi sobre a calda e reserve.

4- Preaqueça o forno a 180 °C.

5- Em um recipiente grande misture o polvilho doce, a farinha de arroz, a farinha de aveia, o açúcar mascavo e o fermento químico. Reserve.

6- Coloque no liquidificador a água, o abacate e o óleo. Bata bem até obter um creme liso.

7- Adicione os ingredientes líquidos aos secos aos poucos, mexendo com um batedor de arame ou colher até obter uma mistura lisa.

8- Despeja a massa sobre as fatias de abacaxi e nivele o topo.

9- Leve ao forno preaquecido por cerca de 35 minutos, ou até que um palito saia limpo ao ser inserido no centro da massa.

10- Retire do forno, espere amornar e desenforme.

11- Sirva em temperatura ambiente.

Dica: Consuma em até 2 dias e armazene em um lugar fresco, seco e coberto. Não indico guardar na geladeira porque a massa irá ressecar.

Rendimento: 10 pedaços

Continue lendo
x