Calce Uma Causa

Por que comprar moda feita no Brasil também é ativismo?

Por que comprar moda feita no Brasil também é ativismo?
Existe ativismo no consumo e isso ninguém pode negar. As nossas escolhas de compra endossam as escolhas éticas e morais das empresas das quais compramos. É muito simples: se escolhemos dar nosso dinheiro para uma marca x, essa marca logo entende que nós estamos de acordo com todo o sistema de funcionamento dela. É igual votar, mas no consumo nós votamos com nosso dinheiro. Isso não quer dizer que a responsabilidade das escolhas de cada empresa é 100% do consumidor, mas quer dizer que as empresas estão ligadas no que os consumidores estão exigindo e isso pode ir muito além do produto.  Nós já demos a dica que ler a etiqueta é importante para saber: onde o produto foi feito e do que ele foi feito. Apesar das etiquetas não entrarem em detalhes, se nós entendermos um pouco do processo de produção da moda, ao checar a etiqueta já conseguimos saber mais sobre a peça que estamos levando para casa. Não vou sugerir que sejamos todos experts em cadeia de produção, afinal, para cada produto de moda que compramos, são mais de 100 processos e etapas até o produto chegar na loja.  Mas vou te contar um pouco sobre isso (da maneira mais interessante possível, prometo!) para te mostrar que comprar produtos “feito no Brasil” é um baita ativismo que ajuda toda a economia do país girar, economiza recursos e diminui emissão de poluentes, além de dar uma força para a indústria de design e criação brasileira (acredite, ela precisa muito). A Oficina de Estilo contou 5 atitudes sustentáveis na moda e entre elas estava o consumo de marcas de perto e pequenas. A Renata Abranchs lançou o movimento #FeitoNoBrasil (do qual a Insecta faz parte) para valorizar toda a indústria da moda brasileira e fazer nós entendermos que comprar local é comprar melhor. No mundo todo existe um forte movimento de valorização do “made local” e “sorced local” (em tradução literal “feito local” e “com matérias-primas locais”).  Inglaterra, Estados Unidos, Holanda, Itália, Espanha e Austrália são alguns dos países líderes do movimento que valoriza a moda da casa, feita com qualidade, através de mão de obra justa e que pode não ser a mais barata, mas com certeza é mais duradoura. Processed with VSCOcam with f2 preset Eu quero convidar você a pensar sobre isso, a ler a etiqueta antes de comprar uma peça e checar aonde essa peça foi feito. Aqui vai o porquê desse convite com mais detalhes:  1. Mão de Obra Justa No Brasil, nós temos uma lei trabalhista extensa e cheia de regras que garantem o bem estar do trabalhador. Nós temos também os sindicatos, que zelam pelos interesses dos trabalhadores do seu setor (uns são mais eficientes, outros menos), além do Ministério do Trabalho que é completamente “mãe” do trabalhador brasileiro. A China, por exemplo, nem leis trabalhistas tem, e grande parte da moda que compramos que é feita em países como Bangladesh, Serra Leoa, Índia, etc é produzida em zonas de livre acordo, uma terra de ninguém onde quem manda são apenas os donos das confecções. Já os governos locais fazem sua parte garantindo, através de terrorismo e força policial, que os funcionários não organizem sindicatos e não exijam direitos. A maioria dos trabalhadores na indústria da moda asiática, oriental, indiana e africana são mulheres entre 16 e 26 anos, que sofrem abusos físicos e verbais, mas não têm outras opções a não ser se submeterem a essas condições para garantir um salário  de, em média, USD 38 por mês. Você pode dizer agora: “mas tem trabalho escravo no Brasil também”.  Tem sim, mas a grande concentração de trabalho escravo no Brasil está na agricultura e pecuária, e não na moda. A chamada quarteirização do serviço de confecção torna, de fato, a cadeia mais sujeita a falhas, mas, se compararmos o número de casos entre o Brasil e a Ásia, os casos brasileiros na moda são ínfimos. Além do mais, a dica é comprar moda feita no Brasil não de grandes varejistas, mas sim de marcas pequenas, pequenos designers e empresas locais que estão conquistando seu espaço sempre preocupados com a produção e qualidade dos seus produtos. 2. Apoio À Indústria Nacional A indústria é uma das mais importantes fontes do PIB de qualquer país. Por isso, alguns países dos EUA e Europa estão retomando sua produção industrial, criando novamente seus pólos de produção. O Brasil é um dos únicos países que ainda é capaz de suprir toda a cadeia de moda: em terras tupiniquins é possível ter desde a produção da fibra (por exemplo, a plantação de algodão) até a confecção da peça final. Quando você compra um produto “feito no Brasil” você garante que esse processo se mantenha vivo e relevante, além de endossar o trabalho de milhões de trabalhadores de norte a sul do país. Não adianta reclamar que a economia vai mal, e não se dar ao trabalho de apoiar empresas brasileiras. O governo federal e estadual tem sua cota de responsabilidade, sem dúvidas, mas sem consumidor, a indústria brasileira também não vai pra frente. Processed with VSCOcam with f2 preset 3. Incentivo À Economia Criativa Se você é designer, artista ou estilista sabe o quão difícil é viver da economia criativa. Se você não é nada disso, saiba que é muito difícil garantir um espaço nesse meio onde os profissionais são tão desvalorizados. Quando você compra de uma marca de moda brasileira, principalmente as menores, você incentiva o trabalho desses profissionais locais talentosos, dando a chance desses se destacarem em um universo dominado pelas grandes varejistas e pelas marcas de fast-fashion, que trazem tudo de outro lugar, inclusive o trabalho criativo. Valorize os colegas e profissionais da terrinha. photo 4 (2) 4. Mais Perto É Igual A Menos Poluição Quando você compra um produto feito bem longe, tipo na China, além de você não saber nada sobre quem produziu aquele produto, você está garantindo um transporte extremamente custoso e poluente. No ano passado, o Natural Resources Defense Council divulgou um relatório que falava exatamente sobre isso. Segundo o relatório, “exceto quando se aproximam de docas em portos que exigem combustível mais limpo, como nos Estados Unidos ou na Europa, os navios containers que operam através de portos chineses usam um tipo de petróleo barato, que é pesado em enxofre e deixa um denso rastro de uma fuligem fina, e de poluentes à base de ozônio, nitrogênio e enxofre”. Então comprar dos EUA e Europa é menos pior? É sim, mas comprar aqui do ladinho também garante que você não está endossando esse tipo de dano ao meio ambiente. Vamos valorizar a moda feita no Brasil!? Se você quiser saber mais, pode perguntar nos comentários ou mandar um email pro Modefica ou pra Insecta, que vamos fazer nosso máximo pra te explicar porque nós acreditamos muito nesse movimento que valoriza a produção local. Aproveito e deixo vocês com o vídeo que mostra um pouco da produção da Insecta, feita de maneira artesanal no Brasil <3   Continue lendo

Movimento #feitonoBrasil

Movimento #feitonoBrasil
O movimento #feitonoBrasil é uma marca open source de incentivo à indústria da moda nacional, lindamente criada pelo Bureau de Estilo Renata Abranchs. Um verdadeiro manifesto de amor pela moda nacional, com o objetivo de resgatar o orgulho e incentivo à produção local. #feitonobrasil E pra que tudo isso rolasse facilmente, foi criado um site onde as marcas podem fazer o download da marca opensource #feitonobrasil e usá-la em suas peças. Nós já demos o start por aqui! W1A85561 Bora valorizar a criatividade, mão de obra e o artesanato brasileiro? Entra nessa pra viralizar a palavra conosco, usando também #feitonobrasil nos seus posts! Continue lendo
x