Calce Uma Causa

Um dia em Shoreditch, London

Um dia em Shoreditch, London
O Shoreditch do pós-guerra – com vários pavilhões industriais abandonados e quase nenhum morador – mudou radicalmente nos últimos 20 anos: diversos artistas foram tomando conta dos grandes espaços e a área passou a ser considerada a mais hype e artística da cidade. Hoje, a região é conhecida principalmente pela imensa quantidade de street art e seus diversos pubs, cafés, galerias e lojinhas. shoreditch PRA COMEÇAR BEM O DIA O ponto mais frequentado por turistas é o Old Spitafileds Market, versão mainstream de um mais próximo, o Bricklane Market. Nos fins de semana, a feira reúne vários designers, chefes, colecionadores, artistas e confeiteiros que oferecem os mais diferentes produtos. Para começar o dia enquanto se espera os mercados e as lojas abrirem, seguem dois cafés cools ali por perto: o recentemente inaugurado – mas já muito reconhecido – Cereal Killer Café, com um ar retrô e uma variedade absurda de sabores de cereal; e o Look Mum no Hands!, café movido à vida saudável e ao andar de bicicleta. Além de toda a decoração com bikes, eles promovem workshops e têm garagem e cadeados disponíveis para quem vier pedalando. img8 ENQUANTO HÁ SOL (SE TIVER) À tarde, o interessante é passear pelos arredores para ver a infinita quantidade de graffitis e lojinhas. Uma rua que vem se tornando atrativa para novas marcas é a Red Church Street, onde você encontra boutiques como a Caravan, a Labour&Wait, a Aubin&Wills e a Aesop. Os curiosos também irão encontrar uma galeria muito legal escondidinha na esquina com a Ebor Street – a LondonNewCastle Project Space, que se diz um “espaço comunitário” para incentivar a arte na cidade. Bem perto dalí, na Bethnal Green Road, chega-se até o BOXPARK – “shopping” de dois andares desenvolvido para lojas e restaurantes pop-ups, cada um num espaço restrito de apenas um container. No próprio site do lugar existe uma página apresentando as várias opções de restaurantes veganos e vegetarianos que eles oferecem http://www.boxpark.co.uk/vegetarian-eating/, mas um point interessante de se passar é o East London Juice Co: sucos e etc 100% orgânicos,  lançado esse ano por crowdfunding na internet. img10 shoreditch MÚSICA, ARTE E NOITE Existem outros lugares que são paradas essenciais para contempladores de arte, como a Whitechapel Gallery, Hales Gallery e Red Gallery ; para os amantes de música, como a loja Rough Trade, o The BedRoom bar e o The Old Blue Last; e para viciados em roupas vintage, os vários brechós – como a Blitz, Paper Dress, Rokit, Absolute Vintage e Beyond Retro. Já para os amantes de café e balada, tem um lugar muito legal que une as duas vibes: o The Book Club. O espaço é uma mistura de galeria de arte, sala de jogos, café, restaurante, pub e festa. Outra balada famosinha é o Cargo, que tem gigs 7 dias por semana e é host dos mais conhecidos DJs da cidade – além de ter uma área externa como terceiro espaço, onde o Banksy deixou uma de suas obras na parede. img5 shoreditch   img4 Se você não for muito de balada, também existe a opção de ir no Pillow Cinema. O lugar é a antiga estação de metrô de Shoreditch transformada em um cinema – lá não tem cadeira: você deita em travesseiros enormes pra ver os filmes. Geralmente o ingresso é pra filmes antigos ou maratonas de um diretor específico – como a que teve do Wes Anderson mês passado. Você também pode aproveitar o tempo livre pra fazer a barba/cortar o cabelo nos mais famosos barber shops de Londres. No Huckle the Barber, por exemplo, a sessão acompanha muita música e craft beers. shoreditch TEM MUITO MAIS A região é tão imensa e cheia de coisas pra ver que a melhor dica é: caminhe e explore cada cantinho. As principais ruas são a Shoreditch High Street, a Old Street e a Bricklane Road, mas o mais legal é andar pelos bequinhos desconhecidas, que têm muito a oferecer! E se você conseguir ficar tempo suficiente em Londres, dá uma passada em Dalston e Hackney Wick também – duas áreas que estão começando a ganhar o coração do pessoal alternativo na cidade. Existem dois Markets muito legais por lá: o Netil Market e o Broadway Market, que ficam pertinho um do outro, em Hackney. Esperamos que vocês curtam! img7   Continue lendo

Vida selvagem em livro

Vida selvagem em livro
O novo livro do Museu de História Natural marca cinco décadas da competição WPY, que comemora a arte da fotografia de vidas selvagens. Uma disputa que teve início nos anos 60, as imagens de 160 prêmios representam 50 anos de diferentes tempos, estilos e especialidades - mostrando algumas das imagens mais icônicas da wild life no planeta Terra, que será transformada em uma exposição em Londres com lançamento em 24 de outubro. Olha só, é uma mais incrível que a outra:
Paul Nicklen (Canada) 2007 Paul Nicklen (Canada) 2007
a6ca6ae7-16b9-41f5-961e-8f2b6052ee24-1020x680 Doug Perrine (USA) 2004
Bence Máté (Hungary) 2010 Bence Máté (Hungary) 2010
Stefano Unterthiner (Italy) 2011 Stefano Unterthiner (Italy) 2011
Continue lendo
x