Calce Uma Causa

3 opções de sopa vegana para aquecer neste inverno

3 opções de sopa vegana para aquecer neste inverno

Se você precisa de algo para te aquecer neste inverno, nada melhor do que aproveitar receitas saborosas de sopa vegana. Com opções livres de sofrimento animal, é possível surpreender o seu paladar e o dos seus convidados.


Separamos algumas opções e dicas para te ajudar no preparo da sopa vegana. Assim, você pode escolher a sua favorita e experimentá-la em casa. Continue lendo para conferir as sugestões abaixo. 


Sopa de lentilhas com abóbora 

Esta deliciosa opção de sopa de lentilha vegana traz sabores e aromas intensos, que vão tornar a experiência ainda mais incrível. Para prepará-la, confira o que você vai precisar a seguir.


Ingredientes

  • 100 g de lentilhas vermelhas;
  • 300 g de abóbora-menina, descascada e cortada em cubos;
  • ½ cebola, descascada e picada;
  • 2 dentes de alho descascados;
  • 1 pedaço de gengibre pequeno (1 cm);
  • 7 g de amendoins tostados;
  • 1/8 colher de chá de sal;
  • 1/8 colher de chá de pimenta-preta;
  • 1 raspa de laranja (opcional).

Modo de preparo

Em uma panela com 500 ml de água, coloque as lentilhas, a abóbora, a cebola, os dentes de alho e o gengibre. Quando o líquido começar a ferver, deixe-o no fogo médio, cozinhando por mais um período de 15 a 20 minutos. Passado esse tempo, verifique se as lentilhas estão cozidas. Tempere com sal e pimenta. 


Adicione as raspas de laranja e ajuste os temperos conforme suas preferências. Usando um mixer, você deixa essa sopa de legumes vegana com uma consistência muito mais cremosa. Depois, é só servi-la com os amendoins tostados. Se quiser, adicione salsa fresca e uma colher de chá de azeite. 


Sopa de abobrinha e manjericão

Esta receita de sopa vegana é saborosa e ideal para ser consumida tanto no almoço, quanto no jantar. Confira quais ingredientes você vai precisar para prepará-la abaixo.


Ingredientes

  • 2 cebolas médias picadas;
  • 1 kg de abobrinhas picadas;
  • 3 colheres de sopa de azeite;
  • Um punhado de manjericão fresco;
  • Sal a gosto.

Modo de preparo

Comece o preparo da receita de sopa vegana refogando as cebolas em azeite durante cerca de cinco minutos ou até ficarem macias. Em seguida, adicione as abobrinhas com sal a gosto e refogue-as por dez minutos ou até atingirem uma consistência mais macia e agradável. 


Cubra a mistura com água de acordo com o tipo de espessura que você quer para o caldo da sopa. Deixe cozinhar por 20 minutos em fogo médio. Passado o tempo, retire do fogo e deixe descansar. Depois, adicione o manjericão e bata toda a mistura em um liquidificador. Em seguida, é só servir. 


Sopa de ervilhas cremosa

A textura, os aromas e os sabores desta sopa de ervilha vegana vão encantar seu paladar. Fácil de preparar, ela é uma ótima opção para ser consumida a qualquer momento. Separe os ingredientes abaixo.


Ingredientes

  • 1 e 1/2 xícara de chá de ervilha seca ou partida;
  • 1 cebola grande picada;
  • 2 colheres de sopa de cebolinha verde picada;
  • 1/4 xícara de chá de castanhas-de-caju;
  • 1 colher de sopa de óleo vegetal de sua preferência;
  • folhas de manjericão fresco;
  • sal e pimenta a gosto.

Modo de preparo

Lave as ervilhas e as castanhas. Deixe-as de molho em recipientes separados, ambos com água fria, e reserve. Depois, pique a cebola e as cebolinhas. Em uma panela, aqueça o óleo e refogue a cebola até dourar. Em seguida, acrescente a cebolinha e tempere com uma pitada de sal. 


Tire as ervilhas do molho e coloque-as na panela, adicionando um litro de água. Tampe a panela e deixe ferver em fogo médio. Quando começar a borbulhar, ajuste os temperos conforme a sua preferência. Depois, abaixe o fogo e deixe cozinhar até que as ervilhas estejam bem macias. 


Pegue as castanhas e coloque-as no liquidificador. Acrescente a sopa já cozida e bata tudo até formar um creme. Em seguida, coloque tudo de volta na panela, verifique o sabor dos temperos e ajuste se quiser. Deixe tudo no fogo baixo por cinco minutos. Após esse tempo, sua sopa vegana estará pronta.


Outras receitas veganas para você experimentar em casa

Gostou das dicas sobre como fazer sopa vegana que a Insecta separou para você? Confira nosso e-book com receitas de doces veganos para se deliciar enquanto cuida da sua saúde, descobrindo sabores e aromas incríveis. 


Você pode fazer sua oferta por e-mail e pagar o quanto acha que o conteúdo vale. São 14 páginas de muita informação exclusiva para que qualquer um que se interessar possa desfrutar dos benefícios de uma alimentação vegetal com doces e sem sofrimento animal. Confira agora mesmo!

Continue lendo

Quando O Essencialismo Vegan Ajuda E Quando Ele Atrapalha?

Quando O Essencialismo Vegan Ajuda E Quando Ele Atrapalha?
Nós temos pensando bastante no quanto o essencialismo vegan pode ser positivo e no quanto ele pode ser negativo. Primeiro de tudo, é importante deixar claro que veganismo não é sobre levar uma alimentação vegetariana estrita. Para nos ajudar a explicar de maneira clara e direta o que é uma alimentação e estilo de vida vegano, nós vamos usar a definição da reconhecida instituição Vegan Society: “Veganismo é uma maneira de viver que busca excluir, na medida do possível e praticável, todas as formas de exploração de, e crueldade com, animais para comida, roupas e qualquer outro propósito. Uma coisa que todos nós temos em comum é uma dieta à base de plantas, que evita todos os tipos de ingredientes de origem animal como carne (incluindo peixe, crustáceos e insetos), leite e derivados, ovos e mel – assim como todos os produtos como couro ou produtos testados em animais”. Obviamente, a maioria dos veganos reconhece a impossibilidade de viver um essencialismo vegan, principalmente inseridos dentro da sociedade moderna. A maioria se locomove de carro, ônibus, ou bicicleta – todos com pneus que podem ter ou não ácido esteárico de origem animal. Muitos ainda andam de avião, abastecido com petróleo e essencialmente não vegano (se formos pensar que petróleo é um combustível fóssil gerado por anos de decomposição, incluindo decomposição de corpos de animais). Seria insano sugerir que para uma pessoa ser, de fato, vegan ela precisaria abrir mão dessas coisas e de muitas outras como remédios, todo e qualquer tipo de produto industrializado e da vida em sociedade. É por isso que, como a definição de veganismo pela Vegan Society deixa claro, é viver de maneira livre de crueldade dentro do possível e do praticável. De maneira prática, se isolar da sociedade para viver um essencialismo vegan não seria útil aos próprios animais, que precisam necessariamente de ativistas para garantirem sua libertação. Levantar a questão da impossibilidade de um essencialismo vegan é importante, pois ajuda a manter o movimento focado e consciente do quanto os animais estão submetidos aos seres humanos de maneiras inimagináveis e do quanto precisa ser feito para que eles sejam libertos. Pensar num essencialismo vegan também ajuda a manter marcas que buscam suprir (ou explorar) essa demanda de mercado alinhadas com os princípios do movimento. Ainda pensando em mercado e demanda, o essencialismo vegan é igualmente útil para garantir produtos realmente vegan-friendly (ou “indicados para veganos” ou apenas “veganos”). Por exemplo, se uma empresa aceita que seus produtos sejam testados em animais em determinado país, mesmo que ela produza produtos livres de ingredientes de origem animal, esses produtos não poderão ser considerado veganos. Empresas que querem abraçar, genuinamente ou apenas por questões financeiras, esse mercado, precisam necessariamente estarem atentas às práticas, ao discurso e à produção de seus produtos. Mesmo que as pessoas dentro do movimento possam a vir a discordar sobre quais produtos podem ser realmente considerados aptos para veganos e quais não podem - de um lado uns beiram o essencialismo dizendo que empresas que produzem qualquer tipo de produto não-vegano não pode produzir produtos veganos, enquanto outros acreditam que um produto livre de qualquer ingrediente de origem animal e não testado em animais é mais que suficiente para ser considerado vegano - é muito fácil, para quem está disposto, entender e praticar o princípio do veganismo: a não aceitação de animais como ingredientes, matéria-prima e objetos disponíveis às vontades do ser humano. Entretanto, sugerir ser indiscutivelmente necessário um essencialismo vegan para poder abordar o movimento só dificulta qualquer ação em prol da libertação dos animais. Colocar obstáculos é o primeiro passo para permanecer inerte, na zona de conforto e aceitar a situação como ela é, com o pensamento de ser impossível atingir o estado “ideal” de sociedade. Não surpreendentemente, a exigência de um essencialismo vegan costuma ser trazido à tona por onívoros. Conforme o veganismo cresce, e incomoda mais pessoas, ao mesmo tempo que se mostra financeiramente interessante para muitas marcas, é imprescindível deixar o propósito e a essência do movimento bem cristalina. Porém, é igualmente importante não ser pego na armadilha do essencialismo inalcançável e da genuína perfeição, muitas vezes lançada pelos descrentes, que é capaz de puxar todo o movimento para trás e até mesmo afastar novos adeptos. Continue lendo

Veganismo: um estilo de vida

Veganismo: um estilo de vida
O Vegan Outreach é um movimento americano fundado em 1993.  A ideia é motivar a sociedade a manter uma alimentação longe de produtos derivados de animais. Para isso, possuem coordenadores e voluntários que debatem sobre o tema e desenvolvem material para entregar para a população, principalmente dentro das universidades. Segundo informações do projeto, muitas pessoas acreditam que eliminando produtos de origem animal da alimentação as opções de seu cardápio se estreitarão. Mas de acordo com a maioria dos veganos, acontece o oposto. Por exemplo, se você tirar um tempinho e visitar feiras de alimentos naturais locais, logo vai perceber a ampla variedade de opções que você não costuma consumir. Além disso, é massa de perceber que você pode seguir a maioria das receitas tradicionais através da substituição de ingredientes. Num primeiro momento se tornar vegano pode ser difícil, especialmente se você tentar mudar  a alimentação de forma brusca. Quem sabe começar a comer carne só uma vez por semana? Aumentar a quantidade de vegetais na dieta progressivamente? Não comer queijo todos os dias? E assim por diante. O ideal é fazer a mudança de modo suave para que o seu corpo se adapte ao novo regime. O importante é fazer o melhor que você pode. Uma vez que você sabe mais sobre o assunto e estabelece novos hábitos, verá que ser vegano não é tão difícil quanto parece, e ainda conseguirá manter uma ótima saúde. Para mais informações sobre o projeto, acesse o site: http://veganoutreach.org farm   E aí, pilhado pra adotar um novo estilo de vida? Continue lendo

X vinnu_lennartc

Opssss

A gente tá trabalhando em algumas novidades e por isso a loja estará instável das 16h as 18h.

Logo, logo estaremos de volta, tá!