Seu Carrinho
Fechar alternativas ícone

Calce Uma Causa

Um dia em Vielle Ville, Nice

Um dia em Vielle Ville, Nice
Eu me mudei recentemente para Nice, parte de um plano de estudos de dois anos. É claro que eu não estou nem perto de entender como vivem os locais, mas já consigo apreciar e me encontrar nos passeios e na gastronomia. E é um pouco disso que eu quero compartilhar com vocês, e quem vier para o sul da França pode me escrever para um café, tá? 2-senhorinhas Pra começar, vale pensar em como chegar nos pontos mais interessantes. Os moradores de Nice parecem bastante apegados aos seus carros, por todos os lados, muitos motores. É difícil de entender já que a cidade é pequena e pode ser explorada a pé, ou de bike. Se eu fosse você, escolhia sapatos confortáveis (oi, Insecta!) que vão permitir conhecer as principais zonas da cidade e saborear o estilo de vida dos franceses da costa mediterrânea. 3-chas A Côte D'azur é uma região de luxo e ostentação, mas pode ir além dos turistas russos passeando na praia vestindo a alta costura de Paris. Para um passeio mais tranquilo, economize no café da manhã e compre algumas frutas orgânicas para comer com vista para o mar. Pra isso, passe no mercado de rua do Cours Saleya ou em algum mercado orgânico (o que eu mais gosto é o Biocoop). Além de matar a fome, a visita pode render ótimas descobertas. Na Europa o assunto da certificação é sério e esses lugares vendem a versão verde de tudo que você puder imaginar: desde biscoitos artesanais a granel até maquiagens. Não esqueça de levar a sua própria sacola. 4-biocoop A praia é de pedras, e não areia. Eu gosto, especialmente para sentar por lá entre um compromisso e outro para ler um livro. Não é raro ver os franceses fazendo pique-nique com os amigos, mesmo durante a semana. A água é cristalina e calma, tem um tom de verde maravilhoso. Outro lugar para valorizar (e perceber que temos obrigação de cuidar!) a natureza é a Promenade du Paillon, um parque linear que liga duas importantes atrações culturais, o museu de arte contemporânea (MAMAC) e o Théatre de Verdure, um teatro de arena à céu aberto. É no encontro da Promenade du Paillon com a Place Masséna que fica um dos grandes cartões postais da cidade, os chafarizes que dançam junto com crianças correndo pra lá e pra cá. 5-socca Para o almoço, as ruelas do Vielle Ville (cidade velha), guardam boas surpresas para os vegetarianos e veganos. Por acaso, a especialidade gastronômica de Nice, a "socca", é vegana e gluten-free. É uma espécie de panqueca feita no forno a lenha, é deliciosa e leva apenas farinha de grão de bico, água, azeite e sal - a dica é temperar com bastante pimenta do reino. Quem quiser um prato mais colorido pode almoçar no Caju, um restaurante com ambiente delicioso, onde tudo é preparado pelos donos Callie e Julien. O Koko Green é outra opção, que eu ainda não provei, mas é muito gracinha, ele também abre à noite aos sábados, então pode salvar os mais famintos. 6-cajuvegan Falando em delícias sem ingredientes de origem animal, várias sorveterias têm sabores sinalizados como veganos. Um refresco para o calor que faz no verão. O meu preferido é do Mera-Viglia, feito com azeite de oliva (mas juro que não fica com gosto!). Eles fazem por lá a sobremesa mais refrescante possível, a granita - a de morangos tem sabor de fruta fresca. Também vale experimentar as versões geladas do Amorino, do Novo Boutique e do Love Bio. Você estará a poucos passos da região do porto, e vai ter uma vista impressionante no mirante Rauba-Capèu. Se você resolveu fazer esse passeio todo de bike (ou se gostaria muito de ter feito!), vai se sentir em casa no Café du Cycliste, o café de uma marca especialista em roupas para ciclista. É aconchegante para descansar no final do dia e tomar uma limonada de Menton ou um café gelado. Se você tiver mais uns dias por aqui, eles alugam ótimas bikes para um passeio mais longo até as cidades vizinhas. Ou então, você pode pegar um ônibus, ele chega rapidinho em Cagnes-sur-Mer, Antibes ou Villefranche-sur-Mer. 8-prainha       Continue lendo

Um dia em Saint-Germain-des-Prés, Paris

Um dia em Saint-Germain-des-Prés, Paris
Saint-Germain-des-Prés é um dos bairros mais tradicionais de Paris, localizado no 6eme arrondissement, na margem esquerda do Sena. Frequentado por intelectuais como Jean-Paul Sartre e Simone de Beauvoir no pós-guerra, hoje atrai todo tipo de parisienses e turistas em seus cafés, restaurantes, boutiques, lojas, praças e galerias de arte.Além dos famosos cafés Les Deux Magots e Flore ou dos restaurantes Brasserie Lipp e Le Procope, que aparecem em qualquer lista ou guia do bairro, escolhemos outros locais que você pode visitar em um dia na região. Anota aí: CAFÉ DA MANHÃ COM BAGUETE Para começar o dia como os locais, que tal uma baguete? Ou um croissant fresquinho? Aberta a partir das 7h15, tradicional e charmosa boulangerie Poilâne, que abastece grande parte dos restaurantes da cidade com seus pães, tem uma série de opções, entre doces e salgados. boulangerie poilâne Pertinho dali, no Marché Couvert de Saint-Germain, as bancas têm tanta variedade de complementos pro pãozinho, que é até difícil de escolher. Com o que você precisa para a primeira refeição em mãos, basta caminhar duas quadras para chegar ao Jardim de Luxemburgo. Se o tempo estiver bom, escolha um lugar entre os canteiros floridos para comer com calma e uma bela vista. Com sorte, ainda pode estar rolando alguma apresentação gratuita no coreto do jardim. jardim de luxemburgo ALMOÇO DE BISTRÔ + CAFÉ COM LITERATURA Depois de um bom café da manhã e um passeio no parque, prepare-se para esperar um pouco na fila para comer em um dos melhores restaurantes da cidade. Sob o comando do chef Yves Camdeborde, Le Comptoir du Relais só aceita reservas para o jantar - e precisam ser feitas com antecedência. A sugestão é chegar cedo para o almoço, quando as refeições saem mais em conta e é preciso esperar um pouco por um lugar. Camdeborde é um dos cabeças do movimento "bistronomique", que busca recuperar a comida tradicional e simples de bistrô francesa, em oposição à nouvelle cuisine e as frescuras de estabelecimentos muito chiques. Quando fui conhecer o restaurante, fiquei 20 minutos na fila e comi a melhor refeição da viagem. le comptoir du relais Em frente ao Le Comptoir du Relais, o café Les Éditeurs tem um ótimo espresso e as paredes cobertas de livros - que você pode pegar para ler enquanto toma café ou mesmo comprar para levar pra casa. TARDE DE COMPRAS Para quem é de compras - ou gosta apenas de apreciar belas vitrines -, Saint-Germain é um prato cheio. Grifes famosas e boutiques locais estão por toda a parte, assim como lojas de design, doces e vinhos. Quem sempre reserva um espaço na mala para cosméticos e produtos de beleza deve bater ponto na farmácia Citypharma, famosa pela variedade de produtos e bom custo-benefício. Com vontade de comer doce? Ou de comprar um presente para um amigo ou parente formiguinha? Patrick Roger (chocolate), Henri Le Roux (chocolates e caramelos), Ladurée (macarons) e La Mère de Famille (doces) são ótimas opções. Para bons vinhos, uma boa pedida é La Dernière Goutte (6 rue Bourbon le Château). french chocolate FIM DE TARDE CULTURAL Mesmo que você não seja um fã de Serge Gainsbourg, reserve alguns minutos de seu passeio por Saint-Germain para passar em frente à casa do músico, na rue de Verneuil. O local, onde ele viveu de 1969 até a morte, em 1991, tem a fachada coberta de grafite e recados dos fãs. Sempre rende boas fotos. A duas quadras dali, você estará à beira do Sena. Caminhando em direção à Île de la Cité, as pontes des Arts e Neuf são outros bons pontos para registrar imagens para o Instagram, especialmente na luz do fim da tarde, com a bela Catedral de Notre-Dame ao fundo. Alguns minutos mais para frente, já fora dos limites de Saint-Germain, está a famosa livraria Shakespeare & Company. shakespeare and company JANTAR E JAZZ Especializado em pratos do sudoeste e da cozinha basca, o Chez Gladines é o restaurante mais simpático que encontrei no  Boulevard Saint-Germain, com excelentes saladas e pratos quentes. Depois de saborear a última refeição do dia, a sugestão é terminar o passeio no Le Piano Vache, com boas cervejas e música ao vivo (às segundas-feiras, o show de jazz é imperdível). Bônus: Como a gente sabe que você vai passar bem mais de um dia em Paris, resolveu deixar aqui um bônus com dicas de dois lugares incríveis na cidade, mesmo bem longe de Saint-Germain. Para conhecer La Recyclerie, que se autodenomina uma "fazenda urbana", que reúne café, ateliê de bricolagem e uma série de eventos, encare um rolê de metrô até Porte de Clignancourt. O visual da antiga estação de trem, a comida orgânica e os eventos como briques e oficinas de atividades manuais vão compensar a viagem. Lá, eles cultivam a própria horta e criam animais como galinhas e cabras. la recyclerie À beira do Canal de Saint Martin e com a fachada grafitada, o Le Pavillon des Canaux também serve comida orgânica, acompanhada de bons drinques ou cerveja artesanal. O grande barato é que o local mantém os cômodos da casa mobiliados de acordo com sua origem. Assim, você pode acabar sentando em uma "mesa" dentro da banheira ou na cama. les pavillon des canaux Anota aí os endereços então: Poilâne 8 rue du Cherche-Midi Marché Couvert 4/6 rue Lobineau Le Comptoir du Relais 6 Carrefour de l'Odéon Les Éditeurs 4 Carrefour de l'Odéon Patrick Roger 2-4 Place Saint Sulpice Henri Le Roux 1 rue Bourbon le Château Ladurée 21 rue Bonaparte La Mère de Famille 70 rue Bonaparte 39 rue du Cherche Midi La Dernière Goutte 6 rue Bourbon le Château Citypharma 26 rue du Four Shakespeare & Company 37 Rue de la Bûcherie Chez Gladines 44 Boulevard Saint-Germain Le Piano Vache 8 Rue Laplace La REcyclerie 2 Rue Belliard Le Pavillon des Canaux 39 quai de Loire Continue lendo
x