Calce Uma Causa

Usamos PET reciclado nos nossos sapatos e tá tudo bem

Usamos PET reciclado nos nossos sapatos e tá tudo bem

Já passamos do dia da sobrecarga do planeta , que veio mais cedo que nunca, mas nem tudo está perdido. Nesse ano de 2018 a campanha do Julho Sem Plástico virou assunto, tem leis banindo canudinhos e sacolas plásticas e temos visto várias ações que mostram que sim, tem como pensar num mundo com menos lixo. E junto com isso, as pessoas começaram a pensar mais e questionar o uso desse material como descartável.

Um dos debates mais interessantes que vimos é o do Modefica, que questiona como ninguém muitas verdades absolutas. Então, vamos logo ao ponto: é verdade que PET reciclado não é uma solução sustentável pra moda?

Antes de mais nada, vamos falar sobre responsabilidade. Tem a responsabilidade estendida, que é da empresa. Isso significa que quando fazemos e vendemos algo, isso é problema nosso pra sempre. Basicamente, “tu te tornas eternamente responsável por aquilo que produz" - ainda mais se for plástico.

Quando esse produto é comprado, vira responsabilidade do consumidor também. Isso é responsabilidade compartilhada. Os nossos sapatos não vão parar em aterros sanitários se depender de nós (e “nós” inclui você e a Insecta).

Temos um projeto de fechamento de ciclo, onde você devolve o sapato usado e nós transformamos em componentes para sapatos novos. Então, independente da composição do tecido (que pode ser 100% PET ou PET + algodão reciclado), ele vira recheio de palmilhas. E vira muitas vezes sem problemas. Sem aterro, sem plástico indo parar onde não deve.

Quando o problema é microplástico, vale lembrar que essa é uma questão muito mais ligada a roupas, que são lavadas constantemente e soltam esses resíduos no enxágue. Sapatos nem devem ser lavados em máquina ou ficar de molho, né? Aconselhamos limpar os nossos com um pano úmido ou escova macia. A sujeira sai, mas os microplásticos não.

E agora vale aquela lembrança: nós trabalhamos com materiais reaproveitados sempre que possível. Damos vida nova a materiais que já existem e que podiam virar lixo. É o caso das garrafas PET que transformamos em tecido - pra ter ideia, em quatro anos de empresa, cerca de 10.532 garrafas de plástico viraram sapatos, e muitos já voltaram para o fim de ciclo, ao invés de irem para o lixo.

Entendemos que esse sistema pode não ser perfeito. Mas como gostamos de falar, aqui na Insecta nós temos a humildade pra saber que não vamos conseguir curar o mundo, por mais que tenhamos muita vontade. Nosso objetivo é incentivar as pequenas ações pra que todo mundo saiba que pode ajudar sim, e que aos pouquinhos as mudanças acontecem.

E além de tudo isso, vale lembrar que estamos sempre pesquisando e trabalhando pra criar soluções melhores. Nada é definitivo. Sempre pode melhorar.

Quer continuar essa conversa? Tem alguma dúvida? Quer saber mais sobre como fazemos nossos sapatos? Vamos conversar. Pode ser pelas nossas redes sociais ou pelo hello@insectashoes.com

Continue lendo

Cálculo de impacto: olha o tanto de coisa que reaproveitamos em 2017

Cálculo de impacto: olha o tanto de coisa que reaproveitamos em 2017

Dia 25 de janeiro a Insecta sopra velinhas (no bolo vegano, claro). Em 2018, chegamos ao nosso quarto ano de vida e temos nosso próprio ritual de renovação. Fazemos um cálculo de tudo que reaproveitamos no ano anterior pra saber a quantas anda a nossa caminhada na direção de produzir de um jeito cada vez mais sustentável.

Dá uma olhada no tanto de coisa que a gente transformou em sapato e mochila em 2017:

Foram 6640,16 garrafas plásticas, que viraram tecidos lisos e estampados. Todo esse material poderia estar em algum aterro ou mesmo boiando no mar, e olha que incrível: foi reciclado e virou uma coisa totalmente nova.

Em tecidos e roupas reaproveitadas, chegamos a 391,69 m². Isso inclui as peças de roupas vintage garimpadas por nós, jeans doado, e ainda tecidos que vieram do Banco de Tecido. Mais material que pra muita gente era lixo, mas pra gente é oportunidade e inspiração.

Sabe os solados dos nossos sapatos? Usamos 2120,70 kg de borracha reciclada pra fazer. Isso tudo era excedente da produção e também teria como destino o lixo. Ao invés disso, deu vida a solados bonitos, resistentes e super ecológicos.  

Em 2017 a gente também reaproveitou mais de 1000 caixas de sapato. Assim, deixamos de produzir novas caixas e foi possível economizar matéria-prima, energia e deixamos de gerar resíduos. Essas caixas foram devolvidas por muitos de vocês! Muita gente, ao comprar na loja, prefere não levar a caixa pra casa. Elas voltam para o estoque, novinhas e sem uso.

Esse foi um ano de crescimento por aqui. O número de garrafas pet recicladas subiu 129% em relação a 2016. Começamos a usar uma proporção muito maior de borracha reciclada em relação à borracha virgem nos solados. Reavaliamos processos, melhoramos muita coisa.

A partir de agora, 100% das nossas embalagens serão recicladas graças à nossa parceria com o eureciclo (que a gente contou por aqui). Já estamos recebendo os Insectas usados e estragados, que você não quer mais, pra usar na nossa produção. Isso é o fechamento de ciclo que a gente sempre fala. Sem gerar lixo e sem precisar de materiais novos.  

Você pode nos mandar os seus Insectas no fim do ciclo pelo correio ou deixar nas lojas de SP ou POA. Vamos juntos num 2018 ainda mais verde?

Continue lendo

Insecta + Amni Soul Eco: fechamento de ciclo cada vez mais possível

Insecta + Amni Soul Eco: fechamento de ciclo cada vez mais possível

Lembra que a gente falou que vinha novidade por aí? Já vamos começar a te adiantar uma delas, então. Estamos participando do Inspiramais, que é um salão de design e inovação de materiais. Esse evento rola todo semestre e por lá são apresentadas novidades em termos de materiais com foco em vestuário, calçados e acessórios. Nessa edição, participamos em conjunto com a Rhodia, a Innovativ e a ProPU. Quem estiver passeando pelos corredores da feira (ou pelos nossos stories) já pode espiar as novidades em primeira mão. Trouxemos o Amni Soul Eco®, fio biodegradável da Rhodia, pro universo dos calçados. É um movimento inédito que vai abrir caminhos pra produção de sapatos ainda mais ecológicos daqui pra frente.

O Amni Soul Eco® é um fio especial de poliamida especial desenvolvido pela Rhodia pra ser um aliado no fechamento de ciclo dos produtos. Ele se decompõe em menos de três anos após descartado em um aterro (no pior dos cenários), diferente de outras fibras que levam décadas, ou mesmo séculos. O fio também pode ser reciclado (o melhor dos cenários), e toda a sua produção é pensada pra ser o mais sustentável possível. Os cabedais dos besouros que estão expostos por lá foram produzidos pela Innovativ. Essa tecelagem também trabalha com um olhar ecológico e criou novas possibilidades para os nossos Insectas: sapatos com texturas diferentes!

Além disso, também apresentamos um solado especial. Ele é levíssimo foi desenvolvido pela Pro P.U., que faz solados de PU reciclado. Esse material é excedente da própria produção da empresa, onde todos os descartes da fábrica voltam a ser solados. Fechamento de ciclo na prática.        

Tá aí a nossa primeira novidade de 2018! Por enquanto, temos apenas protótipos (então segura o coração), mas já estamos trabalhando em novos modelos pra chegarem às nossas lojas em breve. <3

Continue lendo

Você também pode ajudar a fechar o ciclo de um produto

Você também pode ajudar a fechar o ciclo de um produto
Vamos conversar sobre economia circular e fechamento de ciclo? Esse não é um assunto novo por aqui. Falamos sobre isso faz um tempinho e contamos os nossos planos para fechamento de ciclo dos nossos produtos aqui. Agora a gente quer te falar como andam esses planos e o que já conseguimos colocar em prática. Começando pela nossa logística reversa.   Logística reversa é quando uma empresa recebe de volta o produto quando estiver usado, estragado ou pronto para o descarte. Enfim, quando a pessoa que comprou não quer mais por qualquer que seja o motivo. A empresa abraça a responsabilidade de dar um fim adequado para o que ela mesma produziu. No caso da economia circular, esse “fim” pode ser um novo início, quando o produto pode ser reinserido no mercado de novas maneiras. Nós já trabalhamos dessa forma com os materiais reutilizados: as roupas vintage que viram cabedal dos sapatos e os solados feitos de borracha triturada. Também usamos tecidos ecológicos como o de garrafa PET reciclada. Mas e depois? O que acontece quando os sapatos não podem mais ser usados? Considerando as nossas limitações, criamos um sistema de logística reversa dos nossos besouros, pensando em fechar o ciclo e eliminar ao máximo os resíduos.     Pra começar, você pode devolver o seu sapato usado. Nós estudamos se esse sapato está em condições de receber ajustes e ser revendido ou, se já estiver desgastado demais, desmontamos e os componentes são destinados para reciclagem. Atualmente, a gente faz as nossas palmilhas com o excedente da nossa própria produção, já que trabalhamos com volumes pequenos. Mas a meta é conseguir usar também partes de calçados triturados. Daí o que era sapato vira sapato de novo e o ciclo fecha bem certinho. ;) Se os sapatos devolvidos estiverem apenas precisando de reparos, a gente encaminha para que sejam feitos. Depois eles são vendidos no brechó da ONG Aldeia da Fraternidade, instituição que fica na zona sul de Porto Alegre e trabalha com crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social.  E como ficamos muito contentes quando alguém nos ajuda a fazer esse fechamento de ciclo, na devolução dos sapatos você ganha R$50 de desconto pra usar no site. Pra isso, você tem que nos mandar os seus besouros bem identificados, com nome e email pra que possamos te mandar o nosso presente de agradecimento.  Continue lendo
x