Calce Uma Causa

Fashion Revolution: Sapatos feitos por pessoas ♥

Fashion Revolution: Sapatos feitos por pessoas ♥

O Fashion Revolution Day é aquela data pra falar de transparência, ética e sustentabilidade na cadeia produtiva da moda. Por aqui, a gente tem isso em mente todos os dias. Nós temos um compromisso com a transparência e queremos que você saiba que o produto que está comprando foi feito por pessoas trabalhando de forma digna. Trabalhamos somente com fábricas que contratam de forma regular e remuneram de maneira justa. Além disso, fazemos auditorias periódicas e temos responsáveis pra ter certeza de que está tudo certo por lá.

Nossos sapatos são feitos de forma autoral, com um processo de desenvolvimento cheio de pesquisa. Nossa equipe de produto cria todas as estampas e modelos. Desse jeito, tudo que é feito tem a ver com os valores e as bandeiras que a Insecta defende.

Todos esses resíduos e restinhos de tecido serão triturados e vão virar recheio de palmilhas novinhas e confortáveis 💚

Então, quando você comprar um sapato (ou qualquer outro produto) da Insecta, pode ter certeza de que foram feitos de forma ética, responsável e transparente - e se você tiver qualquer dúvida pode nos perguntar nas redes sociais no hello@insectashoes.com Pra saber mais sobre o Fashion Revolution, vale a leitura desse post aqui no blogE pra conhecer o resultado do trabalho desse time incrível, é só voar pro site Continue lendo

Você sabia que são mais de 30 processos pra fazer um sapato?

Você sabia que são mais de 30 processos pra fazer um sapato?

Por que transparência importa?

Quando a gente vê um sapato pronto, novinho e cheiroso, nem imagina todas as mãos e processos que ele precisou passar. Só que nem todo mundo sabe disso, porque nem todo mundo conhece uma fábrica de sapatos, né? Por isso que a gente resolveu levar todo mundo pra conhecer a nossa fábrica.

 

A cadeia de produção dos sapatos é longa, cheia de processos, pessoas e detalhes. Cada fábrica tem o seu jeito de trabalhar, o seu maquinário e o seu foco. O nosso é na produção mais artesanal, feita com processos mais manuais que valorizam os saberes dos profissionais. Temos pessoas que entendem de fazer sapatos além de apenas operar máquinas. Queremos um produto feito com cuidado e queremos cuidar de quem faz os nossos produtos. Então, a partir de hoje, quando você olhar pro seu Scarabeus, vai saber que tudo isso aconteceu até ele chegar na loja todo cheirosinho:

  • Corte à mão das peças que compõem o sapato: gáspea, laterais, traseiro, lingueta, forros, contrafortes, couraças e avesso
  • Chanfrar couraças e contrafortes
  • Preparar e Costurar: peças do cabedal e do forro
  • Unir forro ao cabedal
  • Colar couraça e contraforte no cabedal
  • Conformar contraforte
  • Perfurar o cabedal
  • Colocar ilhoses
  • Fixar palmilha na fôrma
  • Pregar altura na fôrma
  • Passar cola na palmilha e no cabedal para montar
  • Montar o cabedal à mão
  • Rebater a planta
  • Rebater o traseiro
  • Cortar a sola
  • Lixar a sola
  • Passar cola na sola e na vira
  • Colar a vira na sola
  • Lixar o contorno da sola
  • Passar cola na sola
  • Passar cola no cabedal
  • Secar o adesivo nas duas superfícies
  • Reativar o adesivo nas duas superfícies
  • Colar a sola no cabedal
  • Prensar a sola no cabedal
  • Desenformar o calçado
  • Limpar e revisar o calçado
  • Colocar atacador
  • Colocar bucha
  • Colocar vareta
  • Encaixotar

UFA! Isso que não falamos dos tecidos, palmilhas e solados, que são produzidos cada um em uma fábrica especializada. São mais de 30 processos que envolvem cerca de 20 pessoas operando ao todo 19 máquinas. Não é pouca coisa. E dependendo do modelo, pode variar. As Argias são mais trabalhosas por terem várias partes, e ainda tem todo o cuidado para que o velcro não encoste na sua pele quando você estiver usando.

Como a nossa especialidade é pensar sapatos e estampas, deixamos a produção pra quem entende disso. Trabalhamos com fábricas terceirizadas, que são nossas parceiras nessa empreitada de fazer sapatos o mais sustentáveis quanto possível.

E como garantir que todas essas pessoas estão trabalhando de forma correta, com remuneração, férias, condições de trabalho e todos os direitos em dia? Fazemos auditorias periódicas e temos responsáveis sempre em contato com as fábricas pra ter certeza de que está tudo certo por lá.

E por que estamos te contando tudo isso? Bom, em primeiro lugar porque temos um compromisso com a transparência e queremos que você conheça a fundo o produto que está comprando. E achamos que todas as marcas deveriam fazer isso (produzir como manda o figurino & dividir as informações).

Esse é um dos objetivos principais do Fashion Revolution, que hoje chega ao seu quinto ano. Há 5 anos ocorreu a tragédia no edifício Rana Plaza, momento que deixou ainda mais urgente a necessidade de uma revolução na moda.  Aqui nós contamos mais sobre esse movimento e você pode acompanhar o que está rolando durante essa semana nas redes sociais. Mas mais importante de tudo é levar essa ideia pra todos os dias. Vamos revolucionar a cadeia da moda juntos?

Continue lendo

O que a etiqueta não conta

O que a etiqueta não conta
Lá em abril rolou o Fashion Revolution Day, iniciativa superbacana que visa a conscientização das pessoas sobre a procedência das suas roupas e que mostramos por aqui. Nessa mesma esteira e provando que pouco a pouco essas ideias só tendem a crescer, (para nossa alegria!) veio a campanha “The Label Doesn't Tell the Whole Story", veiculada pelo  Canadian Fair Trade Network entre 1 de março e 24 de abril desse ano, coincidindo e apoiando o Fashion Revolution Day. A campanha consiste em uma série de fotos de peças feitas em 100% algodão, aparentemente inofensivas, cujas etiquetas contam a verdadeira história por trás da sua produção alertando para as condições precárias que trabalhadores da indústria têxtil – incluindo crianças e adolescentes – enfrentam em fábricas em centros como Bangladesh, Camboja e Serra Leoa. A intenção é dar aquela sacudida no consumidor, já que está mais do que na hora de acordar. Nós já apresentamos pra vocês as pessoas envolvidas na produção da Insecta, em Novo Hamburgo, mas nem todas as marcas tem essa preocupação. É nessa hora que vale questionar, ir atrás, se informar e ajudar a mudar essa realidade! Fair_Trade_End_Child_Labour_Hoodie_2000px Fair_Trade_End_Child_Labour_Suit_2000px Fair_Trade_End_Child_Labour_Sweater_2000px_0   Continue lendo
x