Seu Carrinho
Fechar alternativas ícone

Calce Uma Causa

Lançamento Collab Insecta + Farm

Lançamento Collab Insecta + Farm

A Insecta nasceu buscando alternativas de consumo e aumentando a vida útil do que já existe por aí. Com muita vontade de mostrar para o mundo que ser consciente também pode ser divertido, e que relações de ganha-ganha devem ser regra. Por isso fazemos sapatos e acessórios com impacto visual, social e ambiental. 

Então, quando a Farm nos contou que estava repensando seus processos produtivos e gostaria de ressignificar algumas peças paradas, ficamos com dois corações. Por mais que quiséssemos muito alçar novos voos e levar nosso impacto positivo para mais pessoas, precisávamos garantir que a vontade de transformação também era genuína do outro lado. 

Foram quase 2 anos de paquera, diálogo, peito aberto e co-construção. Entendendo as novas práticas que a Farm estava tirando do papel, conversando com quem foi beneficiado por elas, comprovando que estão sim conseguindo ser reais agentes de mudança, mesmo que ainda com pequenas iniciativas. Caiu a ficha de que não adianta a gente se iludir achando que a cadeia produtiva da moda vai sofrer uma revolução de uma hora pra outra. Pra quem trabalha com grandes volumes, é muito mais difícil e custoso mudar, e não é o caso de achar que é tudo ou nada. Organizando direitinho todo mundo consegue refazer algumas rotas e dar fôlego ao futuro.

A Farm começou olhando pro seu próprio descarte e chamando iniciativas menores para fazerem parte dessa jornada. Nós somos uma delas, já tem várias outras rodando também. Se o produto mais verde é aquele que já existe, por que não unir forças pra que a nossa mensagem chegue a mais pessoas? Para que produtos ecológicos e veganos possam ir além? Por que não mostrar pra indústria que dá sim pra propor novas soluções criativas pros resíduos e produzi-los em larga escala? Parafraseando a Gabi Mazepa, do Re-Roupa: "esta coleção não significa que a Farm se tornou referência no assunto sustentabilidade, mas sim que ela está experimentando seus primeiros passos, em um processo muito coerente".

Garimpamos peças e tecidos que sobraram de coleções passadas da Farm e transformamos tudo em sapatos 100% veganos. É sandália feita de roupa, sim!  Cada pedacinho da Argia foi feita com um mix de tecido diferente, pra otimizar o uso de cada retalho, ou seja, nem num mesmo par tem um pé igual o outro.

E essa é a diversão da história, né? Feita colaborativamente, por mãos, cabeças e antenas que sabem que não são perfeitas, mas tentam ao máximo ser a mudança que querem ver no mundo. Como já disse Audre Lorde: "sem comunidade, não há libertação". É nisso que a gente acredita, é por isso que a gente luta. 

Vamos juntas? 

Quer entender como é feito um sapato ecosexy? Assiste o vídeo aqui:

Continue lendo

Insecta Shoes + Casa 1: Estampe Uma Causa na luta LGBTQ+

Insecta Shoes + Casa 1: Estampe Uma Causa na luta LGBTQ+

 

Hoje é dia de falar sobre a causa LGBTQ+ e a nossa nova parceira na linha Estampe Uma Causa: A Casa 1. O dia 28 de junho ficou conhecido mundialmente como o “Dia do Orgulho LGBT” – um reconhecimento a luta diária contra a LGBTfobia e as conquistas realizadas e avanços no campo civil, social e político. Data celebrada e lembrada mundialmente, que marca um episódio ocorrido em 1969, onde pessoas que frequentavam o bar Stonewall Inn, em NY, decidiram, após uma batida policial, dar um basta às agressões e perseguições que sofriam. Os três dias de resistência e enfrentamento, resultaram na 1° parada do orgulho LGBT, em 1° de julho de 1970.

   

Infelizmente, a perseguição, discriminação e as violências por conta de orientação sexual ou identidade de gênero, ainda não acabou. "O Brasil registrou 141 mortes de pessoas LGBT de janeiro a 15 de maio deste ano, segundo relatório do Grupo Gay da Bahia (GGB). Segundo a entidade, foram 126 homicídios e 15 suicídios, o que representa a média de uma morte a cada 23 horas." - Fonte: G1

Ainda bem que existem muitos projetos que trabalham incansavelmente para o fim da LGBTfobia e a inclusão de pessoas que vivem à margem da violência, gerando uma mudança significativa real. Entre esses projetos incríveis, existe a Casa 1 - uma organização localizada na cidade de São Paulo e financiada coletivamente pela sociedade civíl. Sua estrutura é orgânica e está em constante ampliação, sempre explorando a interseccionalidade do universo plural da diversidade. Trabalham com três frentes principais:

  • A república de acolhida para pessoas LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) expulsas de casa por suas orientações afetivas sexuais e identidades de gênero.
  • O Galpão Casa 1 que é um centro cultural com atividades educativas, que tem como foco promover a diversidade cultural, fomentar a produção de conhecimento e cultura livre e constituir uma programação gratuita, inclusiva e de qualidade para seus diversos públicos. Conta com oficinas, cursos, exposições, palestras, debates, exibições;
  • A Clínica Social Casa 1, que conta com atendimentos psicoterápicos, atendimentos médicos pontuais e terapias complementares, sempre com uma perspectivas humanizadas e com foco na promoção de saúde mental, em especial da comunidade LGBT.

 A história da estampa reflete muito bem tudo isso: desenvolvida com diversas flores naturais retiradas do chão (já caídas) em que suas cores representam a diversidade e o arcoíris.

Pra quem não conhece, na linha Estampe Uma Causa discutimos questões socioambientais e trabalhamos com conscientização sobre assuntos em que acreditamos. Fechamos parcerias com instituições que trabalham com esses assuntos e através dos nossos besouros fazemos a nossa parte.

Os sapatos dessa parceria já estão disponíveis clicando aqui.

Se você quiser levar um – ou mais – pra casa, pode ficar feliz sabendo que além de comprar um modelo feito com reciclagem de borracha e garrafa PET, vegano e feito de forma ética, ainda está doando 20% do valor para uma causa (muito) importante.

Continue lendo

Insecta apresenta: Daphnis, a mariposa do casulo!

Insecta apresenta: Daphnis, a mariposa do casulo!

Do trabalho ao happy hour, o novo besouro é ecosexy puro e te acompanha no metrô, no escritório, no bar com os amigos ou onde quer que você vá, com muito conforto. Daphnis é um loafer com nome de mariposa que deixa o seu dia ainda mais prático.

         

Você já sabe: acreditamos em reaproveitar ao máximo o que já temos. Isso inclui materiais de todas as partes dos calçados e outros componentes que o pessoal lá da fábrica usa para fazer sapatos novos. O grande diferencial desse besouro é o solado de material reciclado feito a partir de uma matriz. Até então, todos os besouros tinham os seus solados desenvolvidos com placas de borracha reciclada, sobre as quais as modelagens eram cortadas. O fator limitante para o uso do solado de matriz sempre foi a forma, cujo desenho não encaixava nas solas pré-prontas disponíveis no mercado. Desenvolvendo um novo modelo, podemos adaptar a nossa forma ao solado que quisermos e foi assim que nosso novo modelo, Daphnis, nasceu.

Feito para mulheres plurais, que precisam ser várias em um mesmo dia e não tem tempo para ficar trocando de sapato toda hora. Além do solado de borracha reciclada, vem ver os tipos de cabedais que vieram junto com esse besourão:

  • Tecido de garrafa PET reciclada, com estampas exclusivas e desenhadas pelo nosso time criativo.
  • Algodão reciclado
  • Tecido em parceria com o banco de tecidos - se você não sabe o que é isso ainda, clica aqui.

O sapato perfeito pra quem quer manter a finesse mas deixou o salto agulha nos anos 80, onde eles pertencem.

Continue lendo

Fashion Revolution: Sapatos feitos por pessoas ♥

Fashion Revolution: Sapatos feitos por pessoas ♥

O Fashion Revolution Day é aquela data pra falar de transparência, ética e sustentabilidade na cadeia produtiva da moda. Por aqui, a gente tem isso em mente todos os dias. Nós temos um compromisso com a transparência e queremos que você saiba que o produto que está comprando foi feito por pessoas trabalhando de forma digna. Trabalhamos somente com fábricas que contratam de forma regular e remuneram de maneira justa. Além disso, fazemos auditorias periódicas e temos responsáveis pra ter certeza de que está tudo certo por lá.

Nossos sapatos são feitos de forma autoral, com um processo de desenvolvimento cheio de pesquisa. Nossa equipe de produto cria todas as estampas e modelos. Desse jeito, tudo que é feito tem a ver com os valores e as bandeiras que a Insecta defende.

Todos esses resíduos e restinhos de tecido serão triturados e vão virar recheio de palmilhas novinhas e confortáveis 💚

Então, quando você comprar um sapato (ou qualquer outro produto) da Insecta, pode ter certeza de que foram feitos de forma ética, responsável e transparente - e se você tiver qualquer dúvida pode nos perguntar nas redes sociais no hello@insectashoes.com Pra saber mais sobre o Fashion Revolution, vale a leitura desse post aqui no blogE pra conhecer o resultado do trabalho desse time incrível, é só voar pro site Continue lendo

5 anos de Insecta: olha o tanto de coisa que reaproveitamos nesse tempo!

5 anos de Insecta: olha o tanto de coisa que reaproveitamos nesse tempo!

Dia 25 de Janeiro é o dia do besouro, o nosso dia de soprar velinhas. Chegamos à marca de 5 anos de vida e estamos muito, muito felizes! Além de poder olhar pra trás e ver o quanto a Insecta cresceu (em tantos sentidos!) nesse tempo, a gente pode ter certeza de que a nossa existência também está fazendo bem para o Planeta. 💚💚💚

Você já sabe, temos o nosso próprio ritual de renovação: a cada aniversário, calculamos tudo que foi reaproveitado no ano anterior. Dessa vez, pra comemorar essa marca, resolvemos calcular tudo que reaproveitamos nos últimos 5 anos. E adivinha? O impacto foi mega positivo e os números ficaram tão bonitos que até quem é de humanas vai gostar de conferir. Olha só:

 

Além disso, usando zero componentes de origem animal, nós salvamos vidas de muitos, muitos bichos e fazemos um bem danado pro meio ambiente. E trabalhando apenas com fábricas regularizadas, garantimos os direitos de todos os trabalhadores envolvidos na nossa cadeia produtiva. Todo munto ganha. E a gente ama. 💚

Depois de tudo isso, a vontade que fica é de fazer ainda mais e melhor!
Continue lendo

O besouro tá de cara nova

O besouro tá de cara nova

Mudamos! Mutantes que somos, resolvemos dar uma cara nova pro nosso amado escaravelho. Ele que sempre esteve presente, desde a fundação da marca lá em 2014, agora tá todo moderninho, mais ecosexy que nunca, e sem deixar de lado a sua essência.

Muita gente nos pergunta por que escolhemos o escaravelho pra ser o nosso insecto oficial, entre tantos insetos possíveis dentro da Classe Insecta (são 800 mil espécies conhecidas!). A história começou lá no nascimento da marca, quando as fundadoras descobriram que tinham um gosto em comum: besouros. Rolou board compartilhado no Pinterest, tatuagens temáticas e o inseto querido se transformou em garoto-propaganda da Insecta.

E o escaravelho não é bobo, não. Ele é um inseto famoso, super importante. Faz parte da cultura egípcia, pra começo de conversa, com um ser sagrado que representa o Sol. Ele representa evolução, ressurreição e sabedoria. Não tem como não amar esse bichinho tão poderoso.

E nessa ideia de mudança, renascimento e renovação, depois de 5 anos resolvemos mudar. Renovamos a cara do nosso besouro e agora ele tá pronto pra voar ainda mais longe.  

Conta pra gente o que você achou?

Continue lendo

O novo laminado da Insecta

O novo laminado da Insecta

Toda a nossa história se baseia no reaproveitamento de materiais. Então, seguindo essa lógica de dar um novo uso ao que já existe por aí, decidimos trabalhar com o PU de reuso na nossa linha de laminados. Sabemos como vocês curtem essa linha e como é importante ter opções de sapatos lisos e mais “arrumados” pra várias ocasiões na vida. 

Sim, ouvimos daqui você questionando a nossa escolha de material. Entendemos que o PU é derivado do petróleo, não é biodegradável e se for parar em um aterro se torna um problema ambiental. Mas segura aí que vamos explicar, daquele jeito que você já conhece, bem transparente.

Ao invés de usar uma matéria-prima virgem, vamos solucionar um problema de tecidos que estão “encostados” em estoques e acabariam no lixo. Usando um sapato de PU de reuso você evita a produção de novos sapatos de PU virgem. E além disso, o PU que escolhemos é específico para a produção de calçados. Então ele é realmente resistente, não vai descascar, descolar ou te deixar na mão.

E o que acontece no fim do ciclo? Não precisa se preocupar que se depender de nós, com a sua ajuda, nenhum desses sapatos vai parar em aterros poluindo o meio ambiente. A gente faz o fechamento de ciclo dos nossos produtos (entenda aqui). Na prática, funciona assim: você usa até não poder mais e quando o seu Insecta chegar no fim da sua vida útil é só nos devolver. Trituramos o cabedal e esse material vira recheio para palmilhas novinhas. Sem lixo, sem criar problemas para o planeta, tudo reaproveitado. Então não precisa se preocupar. Ainda teremos uma linha de sintéticos lisos, sem perder o nosso olhar ecológico e sem perder o visual que você curte.

Ficou alguma dúvida? Quer conversar melhor? Sem problemas. (: Manda um email pro hello@insectashoes.com que a gente segue esse papo.

Continue lendo

Estamos na lista B Corp Best for the World 2018! 🐞

Estamos na lista B Corp Best for the World 2018! 🐞

Todo ano sai a lista “B Corp Best for the World” (Melhor Empresa B para o Mundo), que é um reconhecimento às empresas que criam impactos positivos com o seus negócios. Nós saímos nessa lista! Conquistamos um lugar na categoria Meio Ambiente pelas nossas práticas no ano de 2017. 💚

A Certificação B a gente mostrou aqui, lembra? Recebemos esse selo porque somos uma empresa economicamente rentável que faz o possível pra que os negócios sejam usados como uma força para mudanças positivas. Ou seja, queremos ser melhores para o mundo e fazemos acontecer

O reconhecimento é feito pela ONG B Lab, que avalia empresas em seis categorias diferentes: Meio ambiente, Clientes, Trabalhadores, Comunidade, Governança e Pontuação Geral. Hoje são mais de 2.400 empresas com Certificação B no mundo. Nós estamos entre as 145 Empresas B da América Latina, e como já contamos, fomos a 1ª empresa de calçados a conseguir a certificação no Brasil, e a 2ª de moda, lá em 2016.

E por que conquistamos esse lugar especial? Porque como você provavelmente já tá sabendo, nos preocupamos com o planeta e fazemos o possível pra que a nossa produção e os nossos produtos reflitam isso na prática, na vida real. A avaliação de impacto B leva em conta o  desempenho ambiental das empresas nas instalações, materiais, emissões e uso de recursos e energia. Nós respondemos um questionário sobre a nossa cadeia de distribuição e transporte e o impacto ambiental de todo o nosso processo.

Também é importante que os produtos resolvam alguma questão ambiental - no nosso caso, usamos materiais reciclados, trabalhamos muito pra reduzir ao máximo nossa geração de resíduos e ainda fechamos o ciclo dos nossos produtos, transformando em novos sapatos ao invés de descartes. Estamos super felizes e queremos dividir isso com você. Assim, você pode ainda mais tranquilidade sabendo que quando compra um Insecta ele tem todo esse pensamento por trás, e é reconhecido. 💚

Quer conhecer outras empresas que, assim como a gente, têm práticas do bem? Clica pra saber: bthechange.com/bestfortheworld

Continue lendo

Entenda a importância de iniciativas como o Banco de Tecido

Entenda a importância de iniciativas como o Banco de Tecido

Você sabia que mais de 80% dos resíduos têxteis que vão parar em aterros poderiam ser reutilizados ou reaproveitados de algum jeito? Quando falamos em “resíduos têxteis” queremos dizer qualquer pano que vai pro lixo. Pode ser roupa velha, pode ser retalho da confecção e pode ser até rolo de tecido sem uso. Pois é, quando os rolos de tecido ficam mito tempo parados em estoques, eles viram um problema e muitas vezes o destino é o lixo. Já falamos aqui sobre o descarte e a reciclagem de roupas. Contamos como são produzidas 175mil toneladas de resíduos têxteis todo ano no Brasil e só 20% são reciclados. O resto vai pro aterro ou é queimado.

Ainda sobre isso, vale lembrar também do relatório “A new textiles economy: Redesigning fashion’s future”, que saiu no final de 2017. A publicação fez bombar muito uma manchete impactante: É estimado que a cada segundo o equivalente a um caminhão cheio de tecido é queimado ou despejado em aterros sanitários. Provavelmente você leu sobre isso. E não esquece que esse problema só piora porque 70% dos tecidos usados no mundo são feitos com fibras sintéticas, que não são biodegradáveis.

Essa história de jogar tecidos fora não é só sobre roupitchas compradas por impulso e pouco usadas. Aqui também entram os tecidos comprados pelas confecções, muitas vezes em quantidades exageradas. As modas passageiras vão embora e o material fica lá, parado no estoque. Depois de um tempo vira um problema, porque ocupa espaço e não tem utilidade (pra empresa, porque logo você vai ver como esses materiais são muito úteis!). Muitas empresas não acham saída se não mandar pro aterro mesmo.

O Banco de Tecido surgiu como uma luz no fim do túnel pra esses tecidos abandonados. Lá, desde retalhos até rolos têm sua chance de estrear novas criações. Desse jeito, o ciclo se fecha e uma cadeia de produção mais sustentável começa a se desenvolver. O que uma empresa ou pessoa não quer mais pode ser muito valioso pra outra empresa ou pessoa - a mesma lógica que usamos quando trabalhamos com peças de roupas vintage. Como não podia deixar de ser, o Banco de Tecido é nosso parceiro (amamos). De tempos em tempos, a nossa equipe criativa dá uma garimpada legal por lá. 

 

O que é mais legal de criar em cima de tecidos do Banco de Tecido (além do óbvio, reutilizar coisas que já estão por aí) é que os besouros que nascem são como os vintages: peças exclusivas, limitadas e super desejadas. É a vez daquele tecido que tava abandonado dizer: "parece que o jogo virou, não é mesmo?" e voar por aí na forma de sapato novinho. 

Continue lendo

Você sabia que são mais de 30 processos pra fazer um sapato?

Você sabia que são mais de 30 processos pra fazer um sapato?

Por que transparência importa?

Quando a gente vê um sapato pronto, novinho e cheiroso, nem imagina todas as mãos e processos que ele precisou passar. Só que nem todo mundo sabe disso, porque nem todo mundo conhece uma fábrica de sapatos, né? Por isso que a gente resolveu levar todo mundo pra conhecer a nossa fábrica.

 

A cadeia de produção dos sapatos é longa, cheia de processos, pessoas e detalhes. Cada fábrica tem o seu jeito de trabalhar, o seu maquinário e o seu foco. O nosso é na produção mais artesanal, feita com processos mais manuais que valorizam os saberes dos profissionais. Temos pessoas que entendem de fazer sapatos além de apenas operar máquinas. Queremos um produto feito com cuidado e queremos cuidar de quem faz os nossos produtos. Então, a partir de hoje, quando você olhar pro seu Scarabeus, vai saber que tudo isso aconteceu até ele chegar na loja todo cheirosinho:

  • Corte à mão das peças que compõem o sapato: gáspea, laterais, traseiro, lingueta, forros, contrafortes, couraças e avesso
  • Chanfrar couraças e contrafortes
  • Preparar e Costurar: peças do cabedal e do forro
  • Unir forro ao cabedal
  • Colar couraça e contraforte no cabedal
  • Conformar contraforte
  • Perfurar o cabedal
  • Colocar ilhoses
  • Fixar palmilha na fôrma
  • Pregar altura na fôrma
  • Passar cola na palmilha e no cabedal para montar
  • Montar o cabedal à mão
  • Rebater a planta
  • Rebater o traseiro
  • Cortar a sola
  • Lixar a sola
  • Passar cola na sola e na vira
  • Colar a vira na sola
  • Lixar o contorno da sola
  • Passar cola na sola
  • Passar cola no cabedal
  • Secar o adesivo nas duas superfícies
  • Reativar o adesivo nas duas superfícies
  • Colar a sola no cabedal
  • Prensar a sola no cabedal
  • Desenformar o calçado
  • Limpar e revisar o calçado
  • Colocar atacador
  • Colocar bucha
  • Colocar vareta
  • Encaixotar

UFA! Isso que não falamos dos tecidos, palmilhas e solados, que são produzidos cada um em uma fábrica especializada. São mais de 30 processos que envolvem cerca de 20 pessoas operando ao todo 19 máquinas. Não é pouca coisa. E dependendo do modelo, pode variar. As Argias são mais trabalhosas por terem várias partes, e ainda tem todo o cuidado para que o velcro não encoste na sua pele quando você estiver usando.

Como a nossa especialidade é pensar sapatos e estampas, deixamos a produção pra quem entende disso. Trabalhamos com fábricas terceirizadas, que são nossas parceiras nessa empreitada de fazer sapatos o mais sustentáveis quanto possível.

E como garantir que todas essas pessoas estão trabalhando de forma correta, com remuneração, férias, condições de trabalho e todos os direitos em dia? Fazemos auditorias periódicas e temos responsáveis sempre em contato com as fábricas pra ter certeza de que está tudo certo por lá.

E por que estamos te contando tudo isso? Bom, em primeiro lugar porque temos um compromisso com a transparência e queremos que você conheça a fundo o produto que está comprando. E achamos que todas as marcas deveriam fazer isso (produzir como manda o figurino & dividir as informações).

Esse é um dos objetivos principais do Fashion Revolution, que hoje chega ao seu quinto ano. Há 5 anos ocorreu a tragédia no edifício Rana Plaza, momento que deixou ainda mais urgente a necessidade de uma revolução na moda.  Aqui nós contamos mais sobre esse movimento e você pode acompanhar o que está rolando durante essa semana nas redes sociais. Mas mais importante de tudo é levar essa ideia pra todos os dias. Vamos revolucionar a cadeia da moda juntos?

Continue lendo
x