Sustentabilidade: Entendendo A Teoria E A Prática

Seta Fina Esquerda ícone
Sustentabilidade: Entendendo A Teoria E A Prática
Nós falamos tanto sobre sustentabilidade atualmente, mas a dúvida que fica é: será que nós sabemos o que essa palavrinha significa? Quando você pensa em sustentabilidade, o que te vem à mente? Papel reciclado? Mudas de árvores? As lixeiras coloridas da coleta seletiva? Primeiro, vamos falar de teoria. Em relação à definição teórica, há variáveis de significado quando o assunto é ‘sustentabilidade’, porém a mais conhecida de todas talvez seja a estabelecida em 1987 durante a Comissão Mundial Sobre Meio Ambiente E Desenvolvimento sobre ‘desenvolvimento sustentável’: "O desenvolvimento que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a capacidade das gerações futuras em satisfazerem as suas próprias necessidades." Mas, mesmo que a definição de ‘desenvolvimento sustentável’ tenha sido amplamente usada como sendo igual à definição de ‘sustentabilidade’, uma coisa não é igual à outra. Sendo assim, uma definição ampla sobre sustentabilidade é: “A habilidade de continuar a ter um determinado comportamento por um período indeterminado de tempo”. Entretanto, para alguns, tanto a sustentabilidade como o desenvolvimento sustentável dependem do tripé divididos em ‘economia’, ‘sociedade’ e ‘meio ambiente’. Ou seja, para garantir tanto as necessidades do futuro quanto uma determinada prática por tempo indeterminado é preciso balancear serviços, crescimento industrial, crescimento agropecuário e uso eficiente da força de trabalho (economia) com equidade, empoderamento, mobilidade social, participação e preservação cultural (social) com biodiversidade, recursos naturais, integridade dos ecossistemas e águas e ar limpos (meio ambiente).  

Uma Nova Perspectiva: Os Limites Planetários (Planetary Boundaries)

Ao olhar para o tripé do desenvolvimento sustentável e para os pilares da sustentabilidade, é fácil perceber que eles são colocados no mesmo nível de importância. Porém, sem um meio ambiente capaz de suportar o desenvolvimento humano não há sociedade, nem economia. Através desse ângulo de visão, entendemos que o meio ambiente é a base da sustentabilidade, enquanto o desenvolvimento econômico e social acontecem em cima dessa base. Com isso em mente, por mais que alguns ainda defendam a ideia dos pilares e do tripé da sustentabilidade, ela é tida como ultrapassada por muitos especialistas no tema. Hoje, a real sustentabilidade é vista por muitos pelos olhos dos limites planetários, ou seja, fronteiras que não podem ser cruzadas em se tratando de meio ambiente, pois colocam o desenvolvimento humano em risco "O que há de novo sobre o conceito é que, ao invés de compreender o ambiente, a economia e a sociedade como três pilares do desenvolvimento sustentável, ele deixa claro que o desenvolvimento sustentável só pode ter lugar dentro do espaço operacional seguro identificados pelas realidades biofísicas de limiares naturais críticos.” – ONU   Entendendo A Sustentabilidade Na Prática Na prática, sustentabilidade tem que prezar pelo bem estar ambiental em primeiro lugar, mas não pode excluir as questões sociais nem econômicas. Soluções realmente sustentáveis não devem perder de vistas as barreiras planetárias que não podem ser cruzadas e, ao mesmo tempo, devem promover bem estar para toda a sociedade. Um exemplo prático de uma ‘sustentabilidade míope’ é quando pensamos em soluções limitadas, e isoladas, para os problemas da moda - como só usar roupas de segunda mão e não comprar mais roupas novas. No quesito ambiental, usar o que já existe é a saída mais sustentável, mas, por outro lado, virar de costas para questões da mão de obra e como reposicionar os 40 milhões de trabalhadores diretos envolvidos na produção de moda é excludente e pouco eficiente, logo, é uma solução insustentável. É importante entender que não há saída única para problemas múltiplos. Soluções realmente sustentáveis, e que gerem impacto, precisam ser bem pensadas e elaboradas de frente para todos os problemas do mundo hoje – das mudanças climáticas à desigualdade social. Por conta de sua complexidade, a sustentabilidade falha tremendamente na prática. Não só por isso, há diversos especialistas que garantem que a luta maior da sustentabilidade deve ser em criar um novo sistema econômico onde pessoas e meio ambiente sejam respeitados. Naomi Klein, David Harvey, Fred Magdoff e John Bellamy Foster, Anneleen Kenis, entre outros, falam, há anos, que dentro do sistema capitalista é impossível garantir sustentabilidade. Na moda, Tansy Hoskins, por exemplo, defende que uma indústria que nasceu a partir de desigualdades e que é responsável por fortalecer o capitalismo é incapaz de ser transformada sem olharmos para o sistema econômico vigente. Talvez eles estejam certos, afinal, 4 das 9 barreiras dos limites planetários já foram cruzadas, a desigualdade social só se aprofunda e cada vez mais a o capital e, consequentemente o poder (de decisão), ficam na mão de poucos. “Entretanto, nós devemos reconhecer que mesmo se tudo que precisa ser feito dentro do capitalismo for feito, isso não resolverá o problema fundamental – um sistema econômico que causa danos sociais e ambientais na própria forma como ele funciona” – What Every Environmentalist Needs To Know About Capitalism. aaaa

Deixe um comentário

x