Seu Carrinho
Fechar alternativas ícone
Frete Ok

Quantos escravos trabalham para você?

Seta Fina Esquerda ícone
Quantos escravos trabalham para você?
O Slavery Footprint vai te ajudar a saber quantos escravos trabalham para você. Quantos escravos trabalham para você? Para mim, em média, são 56 escravos. Quem me ajudou a chegar na minha “pegada de escravos” foi o site slaveryfootprint.org, que faz parte da campanha Made In A Free World, uma iniciativa que começou com o músico e diretor Justin Dillon e o governo Americano em 2011. A campanha Made In A Free World tem como objetivo unir pessoas para cobrar empresas que tomem partido na luta contra a escravidão, e incentivar os consumidores a comprarem de empresas que conseguem rastrear e garantir um produto sem vestígios de mão de obra escrava. Apesar da escravidão ter sido abolida há anos, a verdade é que ela não foi, de fato, extinguida, ela apenas tomou novas formas. Estima-se que cerca de 29 milhões de pessoas vivam em condições de escravidão no mundo, dessas 55% são mulheres e 26% crianças. Quando falamos em escravidão, costumamos pensar em algo muito distante de nós, como pessoas na Índia ou na Ásia produzindo coisas que não têm nada a ver conosco. Talvez a conexão mais próxima de trabalho escravo que fazemos seja com o universo da moda e seus últimos escândalos envolvendo roupas baratas sendo produzidas por pessoas que ganham tão pouco e vivem tão mal que a condição de trabalho em que se encontram é chamada de “análoga à escravidão”. Mas  a verdade é que os “escravos da moda” representam apenas uma porcentagem bem pequena dos escravos modernos. Enquanto uma boa parte dos escravos do século 21 são mulheres e crianças na indústria do sexo trabalhando como prostitutas, escravas sexuais e atrizes pornô,  a maioria trabalha em campos e minas para produzir produtos como algodão, café, cacau, açúcar, cobre, pedras preciosas, borracha, arroz, camarão... A lista não para e a verdade é que são produtos que compramos diariamente: do café da manhã ao nosso smartphone, praticamente tudo conta com traços de trabalho escravo. slaves Para tomar qualquer atitude em relação ao assunto e consumir de maneira mais consciente, o primeiro passo é tomar consciência do problema e entender que nós fazemos parte dele, e por isso uma das primeiras coisas que o Slavery Footprint sugere é que você faça o teste e descubra quantos escravos trabalham para você. São apenas 11 passos e durante cada um deles várias informações de dados e estatísticas sobre o trabalho escravo no mundo vão aparecendo na tela. Ao final, depois de você entender que a escravidão está mais perto do que você realmente imaginava, o site sugere que você cobre as empresas para que elas coloquem em prática ações que visem abolir, de vez, o trabalho escravo na sua cadeia de produção. Mas talvez o mais legal do projeto todo seja o fato dele ser extremamente realista e saber que um mercado que fatura anualmente 150 milhões de dólares com a escravidão precisa de muito esforço e muito tempo para ser mudado, e até chegarmos na perfeição de um mundo 100% livre, cada pessoa libertada, cada criança, conta. Além do Slavery Footprint, o Made In A Free World criou o projeto FRDM®, um software que rastreia fornecedores e aponta riscos de escravidão na cadeia de produção, ideal para compradores e empresários de diversas áreas. A iniciativa conta também com o projeto de campo em Ghana, que liberta crianças que trabalham 17 horas por dia na indústria da pesca no lago Volta, e na Índia, onde crianças a partir de três anos trabalham em minas de mica, um tipo de mineral usado na indústria cosmética. made111 É, sem dúvida, uma batalha difícil, trabalhosa e demorada, mas possível. Faça o teste, depois conte para nós quantos escravos trabalham para você e como você pretende tomar partido nessa luta.

Deixe um comentário

x