Fechar ícone

Produtos de limpeza naturais: hora de começar a usar!

Seta Fina Esquerda ícone Seta Fina Direita ícone
Produtos de limpeza naturais: hora de começar a usar!

Estamos tão desconectados da natureza que muitas vezes esquecemos que o mar (ou rio mais próximo) começa no ralo da nossa casa. Parece exagero, mas é verdade. Toda a água que escorre e vai para o esgoto encontra seu caminho para rios, lagos, mares e corpos hídricos, e muitas cidades brasileiras ainda não contam com tratamento adequado de esgotos. 

 

Isso significa que todos os detergentes e produtos de limpeza que são usados na sua casa e vão pelo ralo também seguem este caminho. Talvez você já tenha visto alguma imagem de um rio coberto por espuma, como o Tietê, em São Paulo. Esta não é a primeira vez que isso acontece, e esse tipo de problema é relativamente comum.

 

Essa espuma branca é resultado de produtos despejados na água, como sabão, detergentes e até shampoos. Em épocas de estiagem, o nível do rio fica mais baixo, a movimentação da água aumenta e essa agitação provoca a espuma. 

 

Além de assustar, a espuma pode dispersar no ar gases tóxicos que causam irritação na garganta, contaminantes e bactérias presentes na água do rio. 

 

Mas aí você vai pensar: como esses produtos são despejados na água? Justamente em pias e ralos nas casas das pessoas durante banhos, faxinas e lavagens de louça aparentemente inocentes. 

 

Ué, mas se é de limpar, como polui?

 

Os produtos de limpeza “evoluíram” muito ao longo dos anos, tornando-se cada vez mais eficientes contra as sujeiras mais resistentes. E isso significa que a concentração de substâncias químicas encontradas neles só aumentou. Cada vez mais potentes e, ao mesmo tempo, mais nocivas.

 

Os mais conhecidos são os tensoativos, substâncias que diminuem a tensão entre dois líquidos (por exemplo, água e gordura). No Brasil, é lei que todos os detergentes tenham tensoativos biodegradáveis, de acordo com a ANVISA - antes disso, detergentes utilizavam apenas tensoativos sintéticos derivados do petróleo. 

 

Os agentes tensoativos chegam a rios e lagos e interferem nas taxas de aeração, e esses ecossistemas dependem da oxigenação para se manterem equilibrados. Como a substância é feita para “quebrar” a gordura e deixá-la mais fácil de remover, as aves aquáticas em contato com ela perdem o revestimento de óleo de suas penas, não conseguem boiar normalmente e podem se afogar.

 

Também temos os agentes sequestrantes e quelantes. Os fosfatos são os mais usados, mas quando vão parar em mananciais favorecem a proliferação excessiva de algas pois são nutrientes para elas. A proliferação de algas interfere no equilíbrio do ecossistema e diminui o oxigênio dissolvido na água, do qual outras espécies e formas de vida dependem. 

 

No Brasil há limites para o uso de fósforo e seus derivados nos produtos. O Conselho Nacional do Meio Ambiente criou a resolução CONAMA 359/05, que estabeleceu o limite máximo de 4,80%.

 

Os espessantes também são utilizados para reduzir a tensão superficial da água e fazer mais espuma. Só que essa espuma, como já falamos, não é significado de limpeza, e sim de uma grande quantidade de produtos químicos desnecessários na água. 

 

Ainda nem falamos nas fragrâncias e nos corantes, que além de serem utilizados somente para dar uma aparência (ou um cheiro) mais interessante ao produto podem conter Compostos Orgânicos Voláteis (VOCs), que apresentam sérios riscos à saúde respiratória. 

 

E o cloro, queridinho das faxinas? O cloro é uma substância tão perigosa que a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos reconhece como pesticida, já que seu principal objetivo é eliminar organismos vivos. As substâncias que contém cloro não matam só as bactérias, mas também destroem células e tecidos no nosso organismo e emitem gases que afetam os pulmões. 

 

Quais produtos usar para uma limpeza natural?

 

Você tem algumas opções para mudar este cenário pra já e parar de despejar substâncias nocivas no esgoto e na sua casa. A primeira é fazer os seus próprios produtos de limpeza! É simples, muito mais barato e você ainda pode escolher se vai ter perfume e qual será o cheirinho da sua faxina.

 

Aqui demos uma receitinha de desinfetante caseiro de limão e já pode ser o primeiro passo. Você também pode fazer seu próprio lava roupas e desinfetante multiuso, adotar o sabão de coco em barra para lavar a louça e aderir à bucha vegetal e as esponjas inox. 

 

Mas se você prefere a praticidade de comprar o produto pronto, felizmente hoje já existem várias marcas que trabalham com produtos de limpeza naturais, veganos e com direito a embalagens reutilizáveis.

 

Algumas das marcas mais conhecidas no mercado são a Positiva, empresa B e vegana, a Onda Eco, com produtos de origem vegetal e mineral, totalmente biodegradáveis, a Vinagreen, que usa álcool extra neutro orgânico e biodegradável, a Garoa, que tem todos os seus ingredientes abertos e explicados no site, e a YVY, que tem um formato super interessante de assinatura, com produtos concentrados em cápsulas que você dilui sem precisar de embalagens novas. 

 

É legal também falar que existem várias outras marcas além dessas que citamos, então vale pesquisar e descobrir qual se encaixa melhor na sua rotina. Outra coisa muito valiosa é a preocupação dessas empresas com a questão das embalagens - boa parte delas conta com o selo Eureciclo ou trabalha com logística reversa!

 

Limpeza com produtos e ingredientes naturais pode ser uma mudança brusca para muita gente, justamente porque fomos “educados” para achar que espuma e fragrâncias intensas são o normal. Mas garantimos que o exercício vale a pena, não só pela questão ambiental, mas também pela sua saúde, da sua família e dos seus bichinhos. 

Deixe um comentário