Descarte de roupas: como fazer do jeito certo?

Seta Fina Esquerda ícone
Descarte de roupas: como fazer do jeito certo?

Você sabe para onde vão as peças que você compra após o descarte de roupas? Bom, para começar, esse negócio de “jogar fora” não existe. Tudo que é descartado ou “jogado no lixo” vai parar em algum lugar. E é aí que a coisa começa a complicar. Que lugar misterioso é esse?

Para te ajudar a entender o descarte de roupas velhas e como isso impacta o meio ambiente, preparamos um conteúdo com algumas informações sobre o assunto. Saiba mais a seguir.

O descarte de roupas e os impactos no meio ambiente

A indústria da moda e a sustentabilidade possuem uma relação conflitante. De um lado está um setor que produz novas peças de forma incessante para o consumo rápido, sem levar em conta os impactos na natureza. Do outro, uma ideia que preza por um desenvolvimento que não esgote os recursos e não promova a poluição ou a exploração de trabalhadores.

Durante o Copenhagen Fashion Summit, maior evento sobre moda e sustentabilidade que existe atualmente, foram divulgados dados sobre o descarte de roupas: 92 milhões de toneladas de lixo têxtil foram produzidos em 2015 no mundo. 

Devido ao descarte incorreto de roupas velhas, os resíduos das peças podem entupir bueiros, impermeabilizar o solo e causar ainda mais poluição quando são queimados, causando impactos na saúde humana por conta dos químicos e tinturas utilizados nos tecidos. Vale lembrar que o descarte incorreto de tecidos é crime ambiental, de acordo com a Lei nº 12.305/2010.

Por conta dos efeitos da indústria têxtil no meio ambiente, cada vez mais consumidores têm cobrado práticas sustentáveis de marcas e empresas. Apesar de já vermos algumas adequações, ainda há um longo caminho pela frente para que possamos notar mudanças concretas, principalmente em relação às fast fashion.


O descarte de roupas no Brasil

Agora é hora de entender um pouco mais sobre o descarte de roupas no Brasil. Segundo dados da Prefeitura de São Paulo, estima-se que, por aqui, são geradas cerca de 170 mil toneladas de resíduos têxteis por ano. A grande maioria vai para lixão ou aterro, podendo levar centenas de anos se decompondo e liberar gases e substâncias tóxicas no solo e nas águas subterrâneas.

Infelizmente, a reciclagem de roupas velhas não é uma prática comum no país. Aliás, é raridade. De todo o descarte de lixo, apenas 58% vai para aterros sanitários — que são legais e “ambientalmente corretos”. O resto vai para lixões e aterros controlados, sendo que os primeiros contam com pessoas em situações degradantes catando resíduos. 

Hoje, temos 1.775 desses aterros no país, mas aí vem uma boa notícia (que é uma promessa de melhoria a longo prazo): segundo a Política Nacional dos Resíduos Sólidos, famosa PNRS, existe uma coisa chamada responsabilidade compartilhada. 

Isso significa que tanto o consumidor quanto os fabricantes, os importadores e todos os envolvidos na cadeia produtiva tem responsabilidade legal de encaminhar de forma correta os produtos. 

Como reciclar roupas velhas?

Num mundo ideal, as roupas seriam feitas com tanto cuidado que seria possível transformá-las em comida no fim do ciclo de vida.  Mas, por enquanto, a gente tem que lembrar de estender ao máximo esse ciclo. E quando não quiser mais, não jogar no lixo. Veja como você pode reciclar roupas velhas.

Considere reformar as roupas usadas

Antes de jogar a roupa no lixo, veja se é possível reformá-la para usar mais vezes, aumentando o tempo de uso. Aqui, você pode até soltar a criatividade e transformar as peças usadas em outras totalmente diferentes.

Opte pela doação de roupas

Uma boa forma de fazer o descarte de roupas corretamente é optar pela doação, caso as peças ainda estejam em bom estado. Assim, além de evitar a produção de lixo, você pode deixar outras pessoas muito felizes, dando a elas o que vestir.

Conheça iniciativas de reciclagem de roupas

Caso nenhuma solução dê certo, você ainda pode destinar as peças à reciclagem, como fazemos com os calçados aqui da Insecta. Sabemos que ainda há poucas empresas que fazem parte da logística reversa, mas vale a pena pesquisar e ficar por dentro de iniciativas que realizam o descarte de roupas de forma sustentável.

Insecta: o produto verde é aquele que já existe

Aqui na Insecta, a gente dá o exemplo de um descarte de roupas e calçados sustentável, sabia? Se você não quer mais o seu sapato, por qualquer que seja o motivo, a gente recebe ele de volta para encaminhar da melhor maneira possível para o reaproveitamento e, dessa forma, contribuir para uma economia circular e responsável.

Comentários sobre esta postagem (1)

  • out. 31, 2019

    Olá, estou fazendo um trabalho para a faculdade e queria saber quem escreveu esse artigo.
    Obrigada!

    — Ayane

Deixe um comentário


X vinnu_lennartc

Opssss

A gente tá trabalhando em algumas novidades e por isso a loja estará instável das 15h as 24h.

Logo, logo estaremos de volta, tá!