Fechar ícone

Por que apostar no tecido de fibra de banana?

Seta Fina Esquerda ícone Seta Fina Direita ícone
Por que apostar no tecido de fibra de banana?

A banana é a queridinha do Brasil. Fruta mais consumida no país, é também a mais produzida no mundo, cultivada em mais de 125 países. Por aqui, sua produção só fica atrás da laranja, chegando a aproximadamente 7 milhões de toneladas por ano. 

Somos fãs da banana. Ela é nutritiva, saborosa e versátil, pode ser consumida in natura, pode acompanhar refeições salgadas, pode ser doce e a sua casca pode até fazer as vezes da “carne” em receitas veganas. E além de tudo isso, pode também ser matéria-prima para a indústria têxtil, se tornando uma fruta que impacta até a moda!

Pois é! O pseudocaule da bananeira é a base da produção de uma fibra resistente que pode ser aproveitada para criar um tecido ecológico e biodegradável. 

Mas isso não é nenhuma novidade, já que essa parte da planta já é usada há séculos por comunidades de artesãos e povos originários em várias partes do mundo. Tecidos de fibra de bananeira eram muito usados no Japão e no Nepal, por exemplo, para fazer tapetes, cordas e até para substituir a seda! Na Índia e nas Filipinas, há registros de uso do material desde o século 13, produzindo tecidos à mão e utilizando teares de madeira tradicionais.

Essa fibra forte e resistente infelizmente acabou perdendo sua popularidade principalmente com o surgimento de outras fibras de cultivo e produção mais convenientes, como algodão e seda, sem falar, claro, no advento dos fios sintéticos. 

Por que voltar a falar no tecido de bananeira?

Atualmente, é na Índia, Filipinas e Japão que a fibra de bananeira é mais utilizada na indústria têxtil. Algumas empresas desenvolveram fios e tecidos feitos com uma mistura de algodão e papel de abacá, também conhecido como “cânhamo de Manila” - uma espécie de planta nativa das Filipinas do mesmo gênero da bananeira.

Se a bananeira é presente em tantos países do mundo e já demonstrou ao longo da história ter tantas potencialidades, a gente quer mais é ver tecido de bananeira pra todo lado!

Você que nos acompanha já sabe como adoramos descobrir alternativas mais sustentáveis ao que já existe por aí. E a fibra de bananeira é um ótimo exemplo disso! A fibra tem um grande potencial para ser usada na moda.

Além de ser biodegradável, a fibra de bananeira é considerada uma das mais fortes fibras naturais. E ainda tem uma grande vantagem em termos de versatilidade: dependendo da parte do caule da bananeira a qual foi tirada, ela pode originar fios com maior ou menor espessura, variando também na maleabilidade e resistência. 

O tecido feito da bananeira é tão forte e durável quanto qualquer tecido como cânhamo, bambu ou outras fibras naturais, que são muito mais faladas por aí, inclusive!

Outra grande vantagem é na fase da produção. Se a gente comparar com o algodão, por exemplo, o tecido feito da bananeira requer muito menos água e agrotóxicos. O algodão é uma planta de plantio e cultivo muito problemático se não for orgânico e com um manejo totalmente responsável. A indústria de algodão envolve uma grande quantidade de defensivos agrícolas e uso intensivo de água. Já o cultivo de banana é bem diferente. 

Além disso, não são geradas emissões de gases do efeito estufa para produzir a fibra individualmente, pois ela vem justamente do reaproveitamento de algo que seria resíduo agrícola.

E por falar nisso, tá aí outra super vantagem: pode gerar ótimas parcerias entre os bananicultores e interessados na produção têxtil. É uma produção sustentável, renovável e circular!

A fibra de bananeira e a economia circular 

Por volta de 500 mil hectares de banana são plantados no Brasil atualmente, mas a colheita da fruta gera toneladas de resíduos. Isso acontece porque as bananeiras precisam ser cortadas de forma estratégica para que os frutos voltem a crescer. Esse processo gera um desperdício de cerca de 40% dos caules descartados.

E como isso se encaixa na economia circular? Simples: como já explicamos aqui no blog, na economia circular o conceito de resíduo deixa de existir porque tudo é aproveitado. Se não for aproveitado pela própria indústria que gera esses resíduos, pode ser então repassado para outros interessados. Esse é o caso!

Os bananicultores e comunidades que vivem do cultivo da banana precisam lidar com esse problema de uma grande quantidade de caules descartados. Do outro lado, designers e empresas têxteis têm o interesse em encontrar novos materiais, mais sustentáveis e com uma redução radical nos impactos negativos. O match perfeito!

Desse jeito, todos se beneficiam, e entram também nesse círculo os artesãos que trabalham transformando a fibra da bananeira em fios e tecidos. No fim do processo produtivo, são várias pessoas impactadas de forma positiva, uma grande quantidade de resíduos deixando de existir e produtos muito mais ecológicos ganhando vida. 

Um exemplo de empresa que trabalha nessa lógica é a Ana Banana. O grupo trabalha com fibras da bananeira para fazer fios e tecelagem (ou seja, produzir tecidos!). A empresa é especializada na extração da fibra de bananeira na microrregião de Joinville, onde fica a cidade de São Francisco do Sul, principal produtora de banana em Santa Catarina. 

Por lá, a Ana Banana reaproveita resíduos da produção dos bananicultores junto com artesãos locais e desenvolve tecidos incríveis, totalmente naturais e biodegradáveis. A gente curtiu tanto que resolveu transformar em sapato. Fique de olho que logo, logo o resultado dessa parceria está chegando por aqui! 

Deixe um comentário