Peixes sentem dor e precisam de proteção

Seta Fina Esquerda ícone Seta Fina Direita ícone
Peixes sentem dor e precisam de proteção

Mais uma vez o assunto entra em pauta. A notícia do momento começa assim: “Whether or not fish feel pain has been debated for years. But the balance of evidence says yes. Now the question is, what do we do about it?” (Peixes sentirem ou não dor vem sendo debatido há anos. Mas o balanço das evidências diz sim. Agora a questão é: o que fazemos a respeito?) Nós temos uma resposta bem simples pra essa pergunta: chega-de-matar-peixes

ei, você. me erra.

O  que você provavelmente já ouvi falar é que eles não sentem dor consciente como os mamíferos e que as suas reações são apenas reflexos. Se dizia que por não terem um sistema nervoso tão complexo ou semelhante ao nosso, eram incapazes de sofrer. Só que parece que não é bem assim, não.  

Lá em 2003  Victoria Braithwaite, professora de biologia na Penn State University, foi co-autora de um estudo que mostrava como a anatomia dos peixes era sim complexa a ponto deles sentirem vários níveis de desconforto e dor. E segundo esse artigo aqui, cientistas concordam que grande parte dos vertebrados (incluindo alguns invertebrados) são sencientes e que um córtex cerebral semelhante ao nosso não é o único pré-requisito para isso.  

Ou seja, eles sofrem. E não sofrem pouco: os peixes criados em tanques vivem uma vida infernal. As criações em cativeiro são sujas, lotadas, com doenças, parasitas e os peixes ainda têm o seu desenvolvimento acelerado. De acordo com um estudo no Journal of Experimental Biology, o salmão criado em cativeiro cresce tão rápido que quase sempre fica surdo. Esse outro estudo fala sobre depressão em peixes que vivem confinados - não é brincadeira.  

eu tô bem triste ):

Mas mesmo assim, os peixes não contam a mesma proteção que outros animais. Tá certo que parece até piada, mas existem leis prevendo “abate humanitário” e ética no uso de animais em testes, entre outras formas de exploração. Essas leis teoricamente proíbem práticas que submetam os animais a crueldade. Aí pensa, se com os animais protegidos por essas leis a coisa é do jeito que é, como fica pros peixes, que raramente são considerados? As técnicas de abate de peixe envolvem sufocamento, congelamento, descargas elétricas e isso tudo quando eles não são carneados ainda vivos. E normalmente o que influencia no método é a qualidade da carne para consumo, e não a minimização do sofrimento. Pesado.  

E o consumo de peixes ainda traz uma longa lista de questões. A pesca predatória é um problema ambiental. Todos os anos entre 10 e 100 bilhões de peixes criados em cativeiro são mortos. Entre 1 e 3 trilhões de peixes são retirados do seu habitat. O número de peixes mortos todos os anos excede a quantidade de pessoas que já existiram na terra. Os cientistas já alertam sobre a real possibilidade de termos oceanos sem peixes em 2048. Ah, e não esquecemos das pessoas também, não. Trabalho forçado, tráfico humano e condições análogas à escravidão são algumas das incidências que você pode encontrar em diversos relatórios sobre o setor pesqueiro. Consumir peixes e frutos do mar é um problemão, bem longe daquela famosa ideia de "sou vegetariano mas como peixe".

Enquanto a lógica é ignorar o sofrimento animal, os peixes sofrem, o planeta sofre, todo mundo sofre. - Mas e nem peixe?  - Não. Nem peixe. Por favor.

Deixe um comentário

x