Para inspirar: 5 marcas gringas que estão usando o upcyling e ressignificando a produção de moda

Seta Fina Esquerda ícone
Para inspirar: 5 marcas gringas que estão usando o upcyling e ressignificando a produção de moda
O que designers estão fazendo por ai quando o assunto é upcycling? Nós demos uma vasculhada boa nesse universo para descobrir as ideias mais legais pelo mundo e contar aqui para vocês. É claro que essa lista com 5 nomes é pequena perto do tanto de iniciativas que vêm usando o upcycling como guia para produção de itens de moda, mas ela serve para entendermos como as possibilidades são muitas. Do bom e velho jeans e tecidos antigos a discos de vinis, passando por velas de barcos. Conheça os materiais e os designs por trás de cada nome.   1 - Re/Done A Re/Done é uma marca californiana responsável por remodelar jeans antigos. Tudo começou em 2014, com algumas peças vintage de jeans Levi’s 501. O processo consiste em lavar, descosturar, remodelar e recosturar cada calça jeans. Por trás da marca estão os deninheads Sean Barron e Jamie Mazur. Como os jeans são de reuso, cada peça tem uma lavagem diferente, com desgastes e marcas únicas. Nesses dois anos de existência, a Re/Done já conquistou milhares de fãs não só em Los Angeles, a sede da marca, mas também por todo os EUA. Agora a marca conta também com moletons no estilo americano antigos e remodelados. 14615725_974634899331878_5224453560922173033_o   2 - Anekdot Com base em Berlim, a marca de underwear Anek. aos poucos vai conquistando mulheres pelo mundo. Para fazer as lingeries são usados tecidos que sobram de fábricas que encerraram suas atividades, retalhos, estoque parado, erros de produção e aviamentos vintage. As peças são feitas a partir dos tecidos que Sofie, a sueca por trás da marca, tem na mão. Inclusive, a escolha de lingeries não foi por acaso ou puro gosto. Para poder usar pequenos pedaços de tecido, sem precisar recorrer ao patchwork, nada melhor que pequenas peças como sutiãs e calcinhas. 13988077_697844637031207_2807321274463531077_o   3 - Salty Bolsas e mochilas feitas a partir de velas de barcos. Esse é o principal material da grega Salty que começou as atividades em 2013. Cada bolsa vem com a história do barco ao qual a vela pertencia. Outra preocupação é garantir vida realmente longo aos materiais: a modelagem e costura são pensadas para serem facilmente desmontadas e transformadas em novas bolsas. Eles também produzem peças especiais, por encomenda. Então quem quiser garantir uma Salty sem o couro que serve de alças para as bolsas, pode. Há também outros produtos como necessaires e porta iPads, por exemplo, que são veganfriendly. 12888621_1124375727614386_1781717320032176835_o   4 - Vinylize A marca da Hungria começou muito antes de upcycling ser um termo amplamente entendido. Em 2000, olhando para uma coleção de discos de vinil do seu pai Zachary Tipton teve a ideia de reciclar vinis velhos – bastante abundantes até hoje – em novos materiais. Os primeiros vinis usados foram discos garimpados em mercados de pulgas em Budapeste. Mas não foi fácil transformar o plástico mais durável do mundo em algo novo, foram anos de pesquisa. Hoje, 17 anos depois, a Vinylise conta com uma gama de modelos para agradar todos os gostos – dos mais arrojados aos mais clássicos. Tudo preto claro. Atualmente, a marca está com uma produção especial de 480 pares feitos com vinil transparente, ou seja, vinil em seu estado virgem. 1897839_952004298155197_8798193949423446697_n   5 - Doodlage Se você pensou que a Índia não contava com marcas independentes, autorais e feitas com responsabilidade, pensou errado. Apesar do mercado indiano ter sido invadido por roupas descartadas de lugares como EUA e Europa, eles têm uma cultura de moda pulsante que conta designers, artesãos e tecelãos. 14203300_1338493009514220_5212324998370594002_n A fundadora da Doodlage, Kriti Tula, ficou incomodada com a quantidade de tecidos descartados que ela viu durante seu estágio em uma empresa de exportação. Foi dai que surgiu a ideia de começar a trabalhar com esses tecidos em peças únicas e de alto valor agregado. Hoje, a principal matéria-prima da marca são tecidos descartados e material desperdiçado. Outra política da Doodlage é manter uma produção derperdício-zero com cada sobra sendo reintegrada de novo na produção.

Deixe um comentário

x