Os Novos Goianos

Seta Fina Esquerda ícone
Os Novos Goianos
Simplificar a cena independente brasileira ao eixo centro-sul do país é coisa do passado. Hoje, existem mentes brilhantes criando músicas incríveis e desconstruindo ritmos Brasil à fora. Goiânia, por exemplo, que sempre foi conhecida por lançar duplas sertanejas e bandas stoner (de rock super pesado) agora é lar dos que cantam em português e que se identificam claramente com elementos de MPB e com a Tropicália. Essa é uma lista de bandas que vão te provar que Goiás vai muito além das violas: Boogarins O Boogarins nasceu quando Benke Ferraz e Dinho Almeida resolveram gravar uma música e enviar pra gringa. O “problema” é que aconteceu o que eles não esperavam: os caras do selo Other Music Recording, distribuído pela Fat Possum Records (responsável por nomes como Iggy Pop, Band of Horses, Black Keys) curtiram muito o som deles e fecharam um contrato de três discos. Foi ai que a dupla teve que virar quarteto. Quanto ao som, se hoje os Mutantes fossem gravar um álbum no Clube da Esquina eles se chamariam Boogarins. Assim o Tame Impala (outra influência clara da banda) ficaria sem chances. Brincadeiras a parte, a banda é o resultado dessas três fortes influências. E são os Boogarins os principais “culpados” pela visibilidade que a cena de Goiânia anda tomando. Quanto mais eles aparecem, mais as suas bandas “irmãs” também ficam conhecidas. Mas por que “irmãs”? A Carne Doce e a Luziluzia nada mais são que uma extensão dos goianos. Cada uma com um estilo próprio, mas com integrantes em comum. Carne Doce Formada pelo casal Salma e Malcloys + metade do Luziluzia, a Carne Doce mistura indie rock, psicodelia e ritmos regionais. Mesmo com um só disco lançado, já dá pra perceber que vai ser uma daquelas bandas de identidade forte, sabe? A voz brutal de Salma ajuda muito nesse quesito e as letras intimistas feitas pelo casal também são um prato cheio para que o público se identifique com a banda. Luziluzia Boogarins + Riverbreeze = Luziluzia. Enquanto o Carne Doce foca no vocal sobreposto ao instrumental, a Luziluzia aposta em vocais densos e guitarras altas. Ecos, delays e reverbs são usados para cumprir com a díficil missão de unir pop com psicodelia. E olha, eles fazem isso muito bem. Boogarins + Carne Doce = Benzin <3 A parceria entre as duas bandas rolou no primeiro disco do Carne Doce, mas o som também vai estar presente no segundo disco do Boogarins - que está previsto pra ser lançado esse ano. Bananada Essa semana rola em Goiânia o Festival Bananada. O evento reúne todas as bandas citadas aqui + Caetano Veloso, Criolo, Pato Fu, Maurício Pereira, Karol Conká e muito mais. O festival acontece a semana inteira e tem como marca registrada ser itinerante. A proposta deles é ocupar a cidade com shows e outras atividades culturais. Imagina só passar uma semana inteira com show todo o dia. Demais, né? Mas a pergunta que fica é: será que no meio do festival não aparece mais um projeto paralelo desses malucos?

Deixe um comentário

x