Música Sem Fronteiras

Seta Fina Esquerda ícone
Música Sem Fronteiras
Com a internet, o mundo tem ficado cada vez mais globalizado. Nesse sentido, a mistura de culturas nunca esteve tão presente. E é tão legal quando encontramos artistas que conseguem unir ritmos de lugares diferentes não só no seu som, mas também no idioma de suas letras! Listamos os nossos favoritos, que cantam em mais de um idioma e tem a multiculturalidade enraizada tanto no som quanto na trajetória. Vem conhecer essas histórias:   1 - Devendra Banhart Não é difícil entender de onde vem a veia multicultural do Devendra Banhart. O cantor tem pai americano e mãe venezuelana. Nasceu em Houston, nos Estados Unidos, cresceu em Caracas, na Venezuela, e foi fortemente influenciado pela música popular brasileira na adolescência. Junte todas essas referências e você entenderá porque os álbuns dele são tão ricos culturalmente - tanto de idiomas quanto de ritmos. Inclusive, o último álbum dele dá uma atenção especial para a linguagem. Além de trazer faixas cantadas em inglês e espanhol, a palavra “Mala”, que dá nome ao disco, aparece em 4 idiomas (português, espanhol, kurdo e eslovaco) e tem significados completamente diferente em cada um deles (mala, ruim, casa e teve). Devendra 2 - Rodrigo Amarante Assim como “Mala”, “Cavalo”, primeiro disco solo do Rodrigo Amarante, também foi lançado em 2013 e batizado com um nome que carrega diversos significados: diz respeito a simbologia, espiritualidade e ao próprio animal, que também pode ser interpretado como um veículo. Qualquer semelhança com o álbum do Devendra é sim uma coincidência. Amarante tocou na banda dele por anos, Noah Georgesson produziu ambos os discos e o Devendra faz backing vocals nesse álbum. Pra completar o intercâmbio cultural, o álbum é cantado em português, inglês e francês! Rodri 3 - Sofi Tukker Quando o grude “Drinkee” viralizou no Spotify, o Sofi Tukker logo se tornou uma incógnita. Afinal, o duo é formado por uma alemã e um americano e as músicas são cantadas em português? Fomos atrás da história deles e descobrimos que Sophie Hawley-Wied é fã do Brasil e que a letra da música vem do poema “Relógio”, escrito pelo poeta carioca Chacal nos anos 1970. Incrível, né? Eles já lançaram mais duas outras músicas: “Matadora”, também em português, e “Hey Lion”, em inglês, e ambas tem uma forte influência de ritmos latinos e africanos. Infelizmente o EP da dupla só chega no final do primeiro semestre. O que será que vem por aí? SoffiTukker 4 - Ibeyi Ibeyi em iorubá significa irmãos gêmeos. Já na música a palavra dá nome a dupla formada por Lisa-Kaindé e Naomi Díaz. As gêmeas nasceram em Paris, na França, mas passaram a infância em Havana, em Cuba. Filhas do cubano Anga Díaz, percussionista do Buena Vista Social Club, e da francesa-venezuelana Maya Dagnino, as garotas são multiculturais desde o berço. E, claro, que essa mistura de culturas iria influenciar no som do projeto. A dupla reúne na sua música referências do jazz cubano, da soul music americana e cantam em iorubá e em inglês. Se você ainda não ouviu essa mistura riquíssima de ritmos e idiomas, corre pra dar play! Ibeyi (1) 5 - Àsgeir Já pensou em ouvir um álbum em islandês? Pera, o Àsgeir facilitou esse trabalho pra você. O islândes de 23 anos lançou em 2004, “In The Silence”, uma versão em inglês do álbum “Dýrð í dauðaþögn”, de 2012. Que ideia incrível! Assim como o disco :) asgeir 6 - Regina Spektor Regina Spektor nasceu em Moscou quando a Rússia ainda era União Soviética. Na época da Perestroika, período em que os cidadãos judeus tiveram permissão para emigrar pra outros países, a família da cantora se mudou para o Bronx, bairro de Nova York onde mora desde os 9 anos. Desde essa época, Regina toca piano. Não é a toa que a cantora é uma das pianistas mais incríveis da atualidade. E o melhor: ela consegue mesclar com a maior naturalidade música clássica com música pop. Quem nunca ouviu “Fidelity” e teve que dar repeat, que atire a primeira pedra. Regina Outra coisa legal sobre o trabalho dela é que as músicas são geralmente cantadas em inglês, mas  vez que outra nós somos pegos de surpresa por versos em russo, francês e até mesmo latim. Partiu encontrar essas passagens? 7 - Selton Há 10 anos, os porto-alegrenses Ramiro Levy, Daniel Plentz, Ricardo Fischmann e Eduardo Stein faziam intercâmbio em Barcelona, na Espanha, e se encontraram pra fazer música. Do encontro surgiu a ideia de escapar dos trabalhos convencionais e tentar ganhar dinheiro tocando covers de Beatles numa praça famosa da cidade. Acontece que a banda ganhou tanta notoriedade, que um dia um produtor da MTV italiana convidou eles pra trocarem Barcelona por Milão, na Itália, e gravar um disco. Hoje eles são bem conhecidos em terras italianas e cantam em português, italiano e inglês. Selton 8 - Manu Chao Manu Chao é tão do mundo, que fica difícil adivinhar onde ele nasceu. Pois bem, a resposta é França! Manu cresceu bilíngue e é filho de pai galego e mãe basca. Ao longo da sua carreira, seja solo ou no grupo grupo Mano Negra, o francês sempre utilizou a cultura como tema central dos seus trabalhos. Não é a toa que os seus discos solo são cantados em diversos idiomas: galego, inglês, francês, espanhol e português. E fizeram sucesso não só na América Latina e na França, mas como no mundo inteiro <3 ManuChao    

Deixe um comentário

x