Música Nordestina Pra Todo Brasil Ouvir

Seta Fina Esquerda ícone
Música Nordestina Pra Todo Brasil Ouvir
Estamos cansados de saber que o nordeste brasileiro é um dos mais bonitos do mundo. E não é que além de vibes pra lá de positivas, praias lindas e gente receptiva, a região também possui uma cena alternativa efervescente? Ao contrário do que a grande mídia vende, o nordeste não se limita ao axé e o forró. Todo ano são lançadas bandas que vão desde o reggae até a música experimental vindas de lá. Vem conhecer as que ganharam o <3 do besouro nos últimos tempos:   - Karina Buhr (BA) Karina Buhr é baiana, mas aos 8 anos se mudou pra Recife. Ainda nos anos 1990, começou a cantar ao lado de bandas como Comadre Fulozinha e Eddie. Foi só em 2010 que a garota partiu pra carreira solo, que já lhe rendeu vários prêmios. Não é à toa: Karina é uma artista completa. Fez teatro a vida inteira, lançou livro no ano passado e ainda arranja tempo pra compôr e cantar como ninguém. O seu último álbum, “Selvática”, foi lançado em 2015 e mistura rock, ritmos regionais e letras feministas. Claro que o resultado não poderia ser outro senão incrível. E o melhor: ele está disponível gratuitamente no site da cantora Karina Buhr   - Mahmed (RN) A Mahmed é uma banda instrumental de Natal com influências que vão da música eletrônica experimental ao rock barulhento. Se você não é lá muito chegada em um som instrumental, precisa apostar nessa banda aqui. O primeiro disco deles foi lançado no ano passado e encabeçou diversas listas de melhores do ano. “Sobre A Vida Em Comunidade” é uma viagem experimental muito bonita que tem tudo a ver com o verão. O álbum cria um ambiente calmo e passa rápido como uma brisa. Tá esperando o que pra ouvir? Mahmed   - Mombojó (PE) É uma pena que o Mombojó esteja há quase 15 anos em atividade e tanta gente ainda não conheça o som deles. O grupo de Recife tem 5 discos na bagagem, que são presença confirmada na trilha da Insecta. Nesse tempo de carreira, a banda passou por poucas e boas. Foram aposta na cena alternativa brasileira com o disco “Nadadenovo”, de 2004, e três anos depois perderam um colega. O último sinal de vida dos pernambucanos é de 2014 e se chama “Alexandre”, que eles mesmos descreveram como “mais música e menos canção”. Um álbum improvisado, experimental. Não indicado pra quem curte achar resposta em tudo (ou também pode servir como um exercício de desconstrução desse hábito - isso quem escolhe é você) :) Mombojó   - Cidadão Instigado (CE) Cidadão Instigado é Fernando Catatau. O guitarrista é a alma da banda: cria os arranjos, compõe e dá vida as canções. Músicas que têm como influência clara os clássicos do rock dos anos 1970 (Led Zeppelin, Pink Floyd, Neil Young) e da música regionalista nordestina que de vez em quando chega a beirar o estilo brega. A banda contabiliza mais de 20 anos de existência e 4 discos lançados. “UHUUU!”, de 2009, é essencial pra quem quer entender a música psicodélica criada no Brasil. E o recém lançado “Fortaleza” é imperdível: uma homenagem cheia de riffs lisérgicos à cidade onde a banda nasceu. Cidadão Instigado   - Maglore (BA) Os baianos da Maglore surgiram em 2009 e lançaram seu segundo disco no ano passado. De “Vamos Pra Rua” até “III”, a banda evoluiu demais. Nesse meio tempo de dois anos entre os lançamentos dos discos, os garotos acharam um caminho pra misturar a sonoridade da música popular brasileira com a de bandas de rock alternativo como Arctic Monkeys e Los Hermanos. Prova disso é a faixa “Se Você Fosse Minha”, do álbum III, que capta essa vibe meio indie meio MPB da banda. Maglore   - Johnny Hooker (PE) Você até pode acabar não curtindo o trabalho de Johnny Hooker, mas sair ileso ao final das músicas do pernambucano é difícil. Ele é exagerado, dramático, performático. Assim como a “santíssima trindade” que elege como seus maiores ídolos: Madonna, David Bowie e Caetano Veloso. Embora ele jure de pé junto que não foi influenciado por Ney Matogrosso, tá na cara que o seu figurino, maquiagem e a sua atitude tem tudo a ver com a de Ney - principalmente na fase dos Secos & Molhados. No ano passado Johnny, que também é ator global, lançou o seu primeiro disco: “Eu Vou Fazer Uma Macumba Pra Te Amarrar, Maldito!”. Não diferente da sua figura, o álbum é super emocional. É do tipo pra dar o play, chorar, rir e no final sair com a alma lavada. Johnny Hooker   - Russo Passapusso (BA) Russo Passapusso é um nome pra não esquecer. O baiano já fazia apresentações explosivas com os grupos Baiana System, Bemba Trio e Ministereo Público, mas foi quando iniciou a sua carreira solo que decolou. Reunindo pitadas de MPB, rock dos anos 1970, soul, samba, rap, dub e letras autobiográficas, Russo encontrou um som pra chamar de seu. O primeiro álbum “Paraíso da Miragem”, de 2014, é o resultado dessa mistura de sonoridades e foi produzido por Curumim, Lucas Martins e Zé Nigro. No disco também rolam participações especiais Anelis Assumpção, Thalma de Freitas e BNegão. RussoPassapusso

Deixe um comentário

x