Glossário Básico Da Moda Ética : Os 9 Termos Mais Comuns Da Indústria

Seta Fina Esquerda ícone
Glossário Básico Da Moda Ética : Os 9 Termos Mais Comuns Da Indústria
Você está querendo saber, entender e consumir moda ética e consciente, mas não sabe muito bem por onde começar? Ainda não entendeu direito a diferença entre reciclado e upcyling? Nós esclarecemos aqui para vocês os 9 termos mais comuns da moda ética e o que exatamente eles significam.
  1. Eco-Friendly
A moda eco-friendly tem um olhar voltado para preservação do meio ambiente durante todo o processo de produção do produto. Por exemplo, marcas que optam por tingimentos naturais, biodegradáveis e de fontes renováveis, prestam atenção e minimizam seu consumo de água e energia, reduzem sua pegada de carbono produzindo local, e pensam em saídas para ter um processo de produção menos impactante possível.
  1. Zero Waste
“Desperdício zero” significa que a marca se preocupa em não gerar (ou gerar o mínimo possível) de lixo têxtil. Cerca de 15% de todos os tecidos consumidos pelas empresas são enviados para aterros sanitários. Só na região do Bom Retiro e Brás, em São Paulo, são produzidos em média 20 toneladas de lixo têxtil POR DIA. Quando uma marca une design e tecnologia com o objetivo de reduzir o desperdício de material, ela poupa todo uma cadeia que teria que produzir novos materiais para suprir a demanda de produção, além de deixar de enviar toneladas de tecidos para aterros sanitários. Marcas “zero waste” também utilizam embalagens reutilizáveis para embrulhar seus produtos, que são pensados para durar muitos e muitos anos – o desperdício zero é pensando do começo da produção até o consumo.
  1. Made Local
Incentivar o “made local”, ou seja, o feito local, é uma das formas mais fáceis de aderir ao movimento de moda ética e consciente. Isso porque é muito simples saber se uma empresa produz no seu próprio país, basta olhar na etiqueta. Nós já contamos porque comprar moda feita no Brasil é ativismo por aqui. Mas vamos deixar uma dica para quando você querer muito um produto gringo, que não tem no Brasil de jeito nenhum: certifique-se de que a empresa que você  está comprando produz em seu país de origem e se orgulha disso. Incentivar a moda local e consciente de outros países vale também! feito aqui
  1. Fair Trade
Para um produto ser considerado fair trade, ou troca justa, é necessário seguir diversas regras estipuladas pelo Fair Labor Association (FLA), ou Associação do Trabalho Justo. São elas: normas e guias que garantem salários justos, segurança de trabalho, ambiente livre de assédio, e o direito de lutar coletivamente por condições que oferecem a estrutura necessária para desenvolver rendimento justo e aumento de posição social. A maior parte das ações de trabalho fair trade na moda estão localizadas em comunidades em zonas de risco social na África e Ásia.
  1. Feito À Mão
Produtos feitos à mão valorizam a produção individual de cada peça e representam uma moda mais lenta, exatamente o oposto do fast-fashion de hoje.  Marcas e empresas que valorizam o produto feito à mão também colaboram para que técnicas manuais tradicionais continuem sendo perpetuadas através de novas gerações de artesãos. Processed with VSCOcam with f2 preset
  1. Vegan
Nós já falamos sobre os impactos da produção de artigos de origem animal na moda e porque optar por produtos veganos. De forma resumida, produtos vegan-friendly visam bem estar social para humanos, não-humanos e meio ambiente através de uma relação harmoniosa estabelecida com base no respeito.
  1. Reciclado
Produtos reciclados colaboram para reduzir o número de lixo no mundo. Hoje já é possível, por exemplo, transformar garrafa pet em jeans e outros tecidos para moda, e reutilizar o algodão de peças antigas em novos tecidos de algodão. Isso sem contar em outras possibilidades menos comuns, como a de transformar borracha usada em sola de sapato, processo esse que é, inclusive, utilizado aqui pela Insecta.
  1. Orgânico
Um produto orgânico, seja para alimentação, moda ou beleza, tem que seguir diretrizes rígidas de certificações como USDA ou IBD que atestam, basicamente, que o produto é produzido da maneira mais natural possível. O algodão orgânico, por exemplo, é livre de transgênicos, pesticidas e outros tóxicos, e costuma ser regado através das chuvas, consumindo bem menos água do que o algodão tradicional. Além disso, durante o processo de produção do tecido não são usados químicos e outros produtos tóxicos.  Produtos feitos com matéria-prima orgânica também garantem uma série de outras regras que tem a ver com boas condições de trabalho, produção responsável e que incentiva a preservação de todo ecossistema local. Lembra quando falamos do algodão e seus impactos na vida das pessoas e do meio ambiente? O algodão orgânico é uma boa saída para o problema. Processed with VSCOcam with f2 prese
  1. Upcyling
Sem tradução para o português, o upcycling é o método de transformar materiais que já existem em produtos novos, mas sem que eles precisem passar por um processo de reciclagem. Para aplicar o upcycling é preciso boa dose de criatividade e técnicas de design. Usar tecidos de roupas antigas para fazer sapatos, do jeito que a Insecta faz, é um método de upcyling, por exemplo. Outra técnica é transformar lonas de guarda-chuvas em forros de bolsas, e outra que todo mundo conhece e é a mais antiga de todas: transformar retalhos de roupas em colchas coloridas e novinhas. Muitas avós já manjavam de upcycling bem antes dele ser um processo da moda ética tão essencial para o mundo.

Deixe um comentário

x