Seu Carrinho
Fechar alternativas ícone
Frete Ok

#FeitoNoBrasil: Ttrappo

Seta Fina Esquerda ícone
#FeitoNoBrasil: Ttrappo
Desde 2012, a marca carioca Ttrappo vem conquistando seu espaço dentro do segmento de moda autoral nacional. Rafael Joaquim, estudante de Design de Moda, prova que a cidade maravilhosa esbanja criatividade muito além da Zona Sul. “Zona Oeste, a Zona Norte, o pós urbano, o afrontamento pós túnel, gritam aos quatro cantos sobre a cultura e o refinamento esquecidos atrás do Rebouças. O AFROntamento pode e clama por uma moda própria, que as grandes grifes infelizmente não entendem e nem parecem querer comunicar”, contextualiza Rafael. Desse AFROntamento surgiu a Ttrappo. Primeiro, era um brechó na sala da casa de Rafael, que sempre gostou de festas e começou a promover eventos para vendar as peças garimpadas. Logo depois, ele vislumbrou outra oportunidade: transformar essas peças garimpadas em algo completamente  novo. O resultado descolado e divertido dessa mistura entre brechó e upcyling, com o propósito pulsante de resgatar as raízes da beleza e do movimento negro, talvez seja a melhor definição para Ttrappo hoje. De olho na gringa, Rafael cita a Yevu, marca com DNA vinculado a causas sociais de Gana, como maior referência para seu trabalho com a Ttrappo. As peças são criadas por Rafael e  toda a produção é feita em Realengo, Zona Oeste do Rio de Janeiro pelas mãos de três costureiras de bairro, que têm seus ateliês e produzem para Ttrappo e outras marcas. Quando a produção é maior e precisa de reforço, principalmente no final do ano, Rafel recorre às mulheres da Cooperativa Costurarte, em Santa Cruz. 11120920_942401219131590_7581150410835565502_o Devido à grande quantidade de material de descarte recebido da indústria, a marca criou duas linhas. Trappo e Trappo Pop’s. A primeira conta com coleções cápsulas de peças produzidas com grades metros de tecidos recebidos pela marca como descarte têxtil. Já  a Ttrappo Pop’s é o vínculo com a origem da marca: camisas garimpadas em brechós, ateliês e confecções e ressignificadas por Rafael. Para o designer, esse movimento afro fervilhando e ganhando espaço também na moda é maravilhoso.  “Nós negros, jovens designers e empreendedores estamos  preocupados em trazer em nossas criações visibilidade à estética afro brasileira. Não queremos mais alfabetizar as grandes marcas brasileiras na questão racial. Então estamos criando o nosso! Descobrindo que temos grandes talentos em nossas favelas e fazendo um trabalho lindo e autêntico”. Acompanhe a Ttrappo pelo Instagram e Facebook.

Deixe um comentário

x