Fechar ícone

Como promover o consumo consciente no dia do consumidor?

Seta Fina Esquerda ícone Seta Fina Direita ícone
Como promover o consumo consciente no dia do consumidor?

Vem aí o Dia do Consumidor, que pode se desdobrar em Semana do Consumidor, mas nada mais é do que uma data no calendário do varejo onde marcas fazem várias promoções visando vender mais. 


Para muita gente, assim como a Black Friday, essa época é ideal para aproveitar precinhos e garantir alguns produtos que estavam na lista de desejos, mas não eram acessíveis. Já para outros, essa é uma época marcada por compras por impulso e arrependimento.


Não é segredo que promoções e descontões são um gatilho para quem não tem como prática refletir e repensar sobre o consumo. Preços baixos são tentadores e acabam fazendo muita gente comprar o que não precisa, ou o que nem queria, mas "não poderia deixar passar”. Só que isso é um problema, não só financeiro para quem está gastando mais do que deveria, mas também para o meio ambiente.


As compras por impulso estão entre as principais responsáveis por guarda-roupas lotados de roupas que nunca são usadas e são também responsáveis por um imenso número de devoluções poucas semanas após a compra, o que gera uma bola de neve.


Para muitas empresas, é mais fácil descartar as peças devolvidas do que reinseri-las de alguma forma no estoque. E isso é o combustível para aquilo que a gente já conhece: incineração de roupas gerando gases tóxicos, sobrecarga dos aterros sanitários com peças que levam centenas de anos para se decompor ou, ainda, a terceirização do descarte têxtil, que pode inclusive gerar problemas sociais, como contamos aqui


Por conta destes e outros fatores atrelados ao consumismo, o dia 15 de Março, antes apenas Dia do Consumidor, se tornou também o Dia do Consumo Consciente - data criada pelo Ministério do Meio Ambiente em 2009. 


A criação dessa data tem a ver com o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 12, que visa “Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis”. Entre as metas estão a redução substancial da geração de resíduos por meio da prevenção, redução, reciclagem e reuso até 2030.


Quando falamos em moda, pensar em um consumo mais consciente é bater de frente com a lógica do fast-fashion e eliminar da vida o consumo impulsivo de tendências passageiras em peças de má qualidade, que só contribuem para a maior geração de resíduos, e que em muitos casos são produzidas por pessoas em condições degradantes de trabalho. 


Não estamos dizendo que você não deve aproveitar descontos para comprar algo que quer e precisa - pelo contrário, sabemos que essas datas são importantes e fazem parte do planejamento de muita gente, que espera por uma queda nos preços para finalmente garantir algo que estava namorando há muito tempo.


Se você está querendo consumir de forma melhor, mas ainda não sabe por onde começar, nossa sugestão é dar uma olhadinha nessas dicas e começar colocando em prática o que você conseguir e, pouco a pouco, adotar mais itens:

Se pergunte quem fez suas roupas

Não é só durante o Fashion Revolution que essa questão deve ser levantada. Como falamos aqui, a revolução na moda é sistêmica e não dura 1 semana. As marcas precisam ser transparentes e se responsabilizar por todos os elos na cadeia de produção das suas peças. E essas informações devem estar disponíveis durante o ano todo, para que você possa se informar e saber se vale ou não a pena investir o seu dinheiro na empresa. 


Compre menos, escolha bem, faça durar

A frase de Vivienne Westwood já foi tão repetida que parece clichê, mas segue sendo verdade! A chave para um consumo mais consciente é justamente escolher o que você vai levar para casa, entendendo como cada material funciona em termos de durabilidade e sustentabilidade (falamos mais disso aqui!), fazer a manutenção das peças, consertando, ajustando e tomando todos os cuidados na hora de lavar (saiba como aqui) e, antes de mais nada, investido somente no que for necessário, sem exageros. 


Apoie marcas engajadas, transparentes e responsáveis

Se você puder, optar por comprar de marcas menores e mais sustentáveis é sempre uma boa ideia. Dessa forma, você está fortalecendo esse mercado, apoiando quem merece seu apoio e garantindo que a sua compra teve o melhor impacto possível para as pessoas, o planeta e os animais. 


Compre de segunda mão

Sabemos que para muitas pessoas montar um guarda-roupas exclusivamente de marcas sustentáveis não é uma realidade, então encorajamos a compra de segunda mão. Além de garantir o reuso de peças que já existem, fortalecendo a economia circular, os brechós são excelentes para encontrar roupas exclusivas, fazer uma imersão em décadas passadas e ainda economizar uma graninha. Falamos mais deles aqui!


Pratique o autoconhecimento 

Nada como saber do que você gosta para saber comprar só o que você vai usar! A jornada de autoconhecimento pode não ser fácil para todo mundo, e a ajuda de uma consultoria de imagem pode ser bem-vinda. Não, não estamos falando em consultorias naquele estilo defasado de reality show em que a pessoa joga tudo que tem fora. Hoje há muitos profissionais que trabalham com consumo consciente e promovem a autoestima e a autonomia através da consultoria. 


Considere um armário cápsula 

Já falamos sobre eles aqui, se você quiser saber mais. O armário cápsula, quando olhado pelo viés sustentável, tem a grande vantagem de estimular o uso do que já temos, comprar menos e fazer escolhas mais inteligentes, sem cair nas armadilhas das promoções e liquidações. 


Planeje suas compras 

Parece simples, mas faz toda a diferença na sua vida. Se você souber do que precisa e colocar isso no seu planejamento financeiro, não tem perigo de uma promoção te pegar de surpresa e te fazer gastar mais do que deve ou entupir o guarda-roupas de coisas desnecessárias. Se você sabe que precisa de uma calça jeans básica e somente isso, ela será comprada com a maior tranquilidade, sem risco de arrependimento. 


Cobre transparência e posicionamento das marcas!

Se você tentou se informar sobre alguma marca que quer comprar e não encontrou informações, não deixe de cobrar! Fique de olho em definições vagas, ações que têm cheiro de greenwashing e outras mentiras que às vezes gostamos de acreditar para comprar sem peso na consciência. Transparência é um grande diferencial que deve ser levado em conta na hora de consumir. 

Deixe um comentário