Fechar ícone

Brechós e recommerce: a caminhada para uma moda circular já começou!

Seta Fina Esquerda ícone Seta Fina Direita ícone
Brechós e recommerce: a caminhada para uma moda circular já começou!

Aqui na Insecta acreditamos na força dos brechós como verdadeiros propulsores da circularidade na moda. Os brechós são sensacionais, porque graças aos preços mais amigáveis, permitem o acesso de mais pessoas a opções diferentes de roupas, fugindo da massificação, além de ajudarem a estender a vida útil de peças que já existem. 

Como já contamos aqui no blog em nosso guia sobre Economia Circular, prolongar o uso das coisas que já existem é um ponto importantíssimo para a circularidade. Ou seja, essa lógica não é apenas sobre transformar resíduos em insumos, mas também sobre fazer o possível para que eles nem existam em primeiro lugar.

Dessa forma, roupas, sapatos e produtos que já estão aí podem ter seu uso prolongado de várias maneiras. A revenda pode acontecer no brechó tradicional, onde uma loja se responsabiliza por receber e triar peças usadas, mas também diretamente do dono das peças para os consumidores (vide aplicativos e sites de venda tão comuns hoje em dia). Uma alternativa que vem ganhando força é a revenda da própria marca, onde peças já usadas ganham uma nova chance. 

O relatório Overproduction: Taboo in Fashion mostrou que 1 em cada 5 peças de roupas produzidas são descartadas sem nunca serem usadas. No Brasil, a cada ano são confeccionados cerca de 8,9 bilhões de peças, o equivalente, em média, a 42,5 por habitante. Isso é muita peça novinha sendo jogada fora, sendo que poderia ganhar um novo dono e ter seu ciclo explorado até o fim! 

Dizem que se parássemos de fazer roupas hoje, teríamos peças para todo mundo pelos próximos 200 anos. Mas o que isso significa? Que peças feitas com materiais sintéticos como poliéster e nylon podem levar até 200 anos para se decompor. Em 2018, a produção mundial de fibras foi de aproximadamente 107 milhões de toneladas, com destaque para as sintéticas (62,3%). É um ciclo de vida mais longo que o nosso (!!!) sendo tratado como algo descartável. 

Mas apesar de tudo isso, felizmente estamos presenciando um super crescimento do mercado de reuso. Segundo o Sebrae, o comércio de segunda mão cresceu 48,5% de 2019 para 2020. Além das lojas físicas, há também o fortalecimento do recommerce, que nada mais é do que o varejo digital de peças de segunda mão, o "comércio reverso” como estão chamando. 

De acordo com a GlobalData, o mercado de recommerce deve dobrar até 2024, ultrapassando o segmento de vendas tradicionais. A expectativa é que o segmento de revendas se quintuplique nos próximos cinco anos, enquanto o varejo deve encolher. Já falamos aqui, mas sempre vale lembrar: há previsões de que em 2029 o mercado total de produtos usados cresça quase duas vezes mais do que o fast fashion!

Quando pensamos no meio ambiente, os ganhos proporcionados pelos brechós são imensos! O estudo Second Hand Effect, encomendado pela OLX, revelou que as transações feitas em 2019 na plataforma pouparam a emissão de 5,7 milhões de toneladas de CO2 na atmosfera. Isso é o mesmo que parar o tráfego de veículos na cidade do Rio de Janeiro por 14 meses. 

No relatório do gigante do recommerce ThredUp, também há dados interessantes: segundo eles, comprar peças usadas ao invés de novas reduz em 82% as emissões de CO2, considerando toda a cadeia produtiva! 

Segundo o relatório Fios da Moda, as empresas têxteis são a linha de frente na preservação do valor dos materiais e produtos produzidos, ou seja, somos grandes responsáveis por dar continuidade ao que nós mesmos fizemos e colocamos no Planeta. 

Um modelo do qual já somos adeptas na Insecta é o sistema de devolução, a famosa logística reversa, onde recebemos de volta os besouros usados em troca de um descontinho para que você possa garantir um sapato novo. E foi dentro dessa lógica que surgiu uma ideia de expandir esse sistema: além do fim do ciclo, a continuação do ciclo!

Os Insectas usados que chegam para gente no programa de fechamento de ciclo muitas vezes estão com pouquíssimo uso, em ótimas condições. Não vimos sentido em desmontar e reciclar um produto em bom estado, sendo que nós mesmas sempre falamos em estender o uso do que ainda pode ser usado. Dar um “fim” a algo que ainda tinha muito potencial pela frente iria contra os nossos princípios.

Daí nasceu nosso tão aguardado brechó! A partir de agora, quando recebermos os sapatos para o fim de ciclo, nossa equipe fará uma avaliação cuidadosa para entender em qual momento ele está:

Quase Novo: sem marcas de uso nem cheiro, praticamente sem uso mesmo;

Boa Condição: já foi usado, tem poucas marcas de uso, mas não está sujo nem tem cheiro;

Fim de Ciclo: bem usado, com marcas de uso, desgastes e cheiros. 

Os Quase Novos e em Boas Condições serão higienizados e colocados à venda com precinhos especiais, para que possam ganhar novos lares e começar novas caminhadas.

E para quem curtiu a novidade, vale lembrar: o recém inaugurado brechó da Insecta conta com peças de roupa em ótimo estado, desde o PP ao EGG. 

Vem com a gente nessa caminhada circular! 

https://edgexpo.com/2017/09/05/edge-fast-fact-non-biodegradable-clothes-take-20-to-200-years-to-biodegrade/ 

https://textileexchange.org/wp-content/uploads/2021/04/Textile-Exchange_Annual-Report_2019.pdf 

https://reports.modefica.com.br/fios-da-moda/ 

https://www.thredup.com/resale/ 

https://materiais.olx.com.br/she 

Deixe um comentário