Seu Carrinho
Fechar alternativas ícone

Algumas Razões Pelas Quais Precisamos de Mais Mulheres Em Posições de Liderança

Seta Fina Esquerda ícone
Algumas Razões Pelas Quais Precisamos de Mais Mulheres Em Posições de Liderança
Das grandes corporações ao Congresso Nacional, mulheres são minorias em cargos de liderança e isso é um fato. Basta procurar para achar pesquisas mostrando que apenas 2% dos altos cargos das 500 maiores empresas do mundo na lista da Forbes são ocupados por mulheres (Forbes). Procurando mais um pouco vamos ver também que já tem estudo mostrando que, no Brasil, mulheres ocupam apenas 11,5% dos altos cargos nas 50 maiores empresas brasileiras (Instituto Ethos) e não precisamos fazer nem muito esforço para encontrarmos dados mostrando que somos minoria na política e que para nossa voz ser ouvida ali, precisamos criar estratégias. Entretanto, do outro lado, já temos estudos e pesquisas mostrando a importância da diversidade nos ambienteis de trabalho e também na política. Temos iniciativas desmistificando algumas áreas tidas como “naturalmente mais masculinas” e temos também gente questionando até o porque de em áreas criativas, onde mulheres supostamente deveriam ser maioria, elas também são minoria. Ou seja. Vivemos a desigualdade, mas estamos cada vez a aceitando menos e cada vez mais entendendo que ela não é natural, divina ou biológica. Quando pensamos em sustentabilidade e a importância do olhar generificado para as questões ambientais e climáticas, o panorama também é de questionamento e também mostra que, se queremos um mundo sustentável, nós precisamos necessariamente de mulheres em posições de liderança.   Nações Com Mulheres Na Política Tendem A Ser Mais Sustentáveis Emissões de gases de efeito estufa por habitante são menores em nações onde as mulheres têm um status político mais alto. Nações com maiores proporções de mulheres no Parlamento têm mais chances de ratificar tratados ambientais do que outras nações. Ambas essas informações são encontradas no livro Gênero: Uma Perspectiva Global, das autoras Raewyn Connel e Rebecca Pearse. Nele, as autoras dedicam um capítulo inteiro à analise de alguns trabalhos que vêm sendo feitos no âmbito do gênero relacionado às mudanças climáticas e trazem uma série de teorias, pesquisas e estudos que mostram a importância de afinar o debate ambiental e a filosofia feminista.   Responsabilidade Social É A Segunda Natureza Da Mulher Empreendedora Em se tratando de iniciativas privadas como projetos e empresas, as mulheres empreendedoras são mais empáticas, filantrópicas além de serem mais propensas do que homens a terem um negócio onde elas possam seguir uma paixão pessoal e gerar impacto positivo no mundo. Geri Stengel, colunista da Forbes e especialista em empreendedorismo feminino, observa por meio de diversas referências e pesquisas como a responsabilidade social e ambiental constantemente afetam as decisões das mulheres à frente dos seus negócios. Com cada vez mais mulheres deixando empresas de terceiros e grandes corporações para investirem em um negócio nos quais elas acreditam (The Economist), Stengel observa que as mulheres empresárias estão preparadas para gerar um impacto maior e mais positivo na sociedade.   Quando Homens Fazem As Regras, As Mulheres Não Avançam A frase acima é da autora Joanna L. Krotz que já escreveu livros como “Fazer Filantropia Conta: Como As Mulheres Estão Mudando O Mundo” e “Igualdade Não Significa Ser Igual: Por que Se Comportar Como Uma Mulher Pode Mudar Sua Vida E Crescer Seu Negócio”. Tanto nos negócios quanto na política, se não lutarmos e criarmos ambientes diversificados, não há possibilidade para um futuro de igualdade. A autora ressalta que, inclusive na mídia, a exclusão das mulheres e do que as mulheres têm feito e criado na última década no âmbito do empreendedorismo e filantropia é constante e que até mesmo a narrativa excludente precisa ser questionada, pois dificulta o avanço. women-empowerment Nota: Em tempo, é preciso ponderar,  porém, que nesse texto introdutório fizemos apenas um recorte de gênero sem aprofundar nas questões de raça, bastante importante para o cenário brasileiro.

Deixe um comentário

x