A Reciclagem Entra Na Era Dos Aplicativos Para Aumentar Engajamento

Seta Fina Esquerda ícone
A Reciclagem Entra Na Era Dos Aplicativos Para Aumentar Engajamento
Sempre que falamos sobre reciclagem parece haver três questões responsáveis por dificultar o processo todo: informação, praticidade e viabilidade. Por mais que haja campanhas de reciclagem, lixeiras de cores diferentes e muitas cooperativas, a esmagadora maioria da população não sabe sobre a importância da reciclagem e nem entende como isso funciona, não sabe o que é realmente reciclável e o que não é e muito menos como o lixo deve ser separado e para onde ele deve ser levado no caso de não haver coleta seletiva no bairro. Depois entra a questão da praticidade, já que o descarte correto não é facilitado pelas prefeituras nem pelos estabelecimentos. Tente descartar remédios vencidos ou as tão polêmicas pilhas e você vai entender o quão difícil é dar o devido destino aos resíduos, mesmo que eles valham dinheiro e possam entrar no ciclo de produção novamente. Por fim, a viabilidade é outro problema crucial que dificulta a reciclagem. Muitas coisas não são financeiramente viáveis de serem recicladas, como o caso do isopor. Falta tecnologia que facilite o processo, compensando o tempo e a energia gastos durante o processo. Entretanto, no Brasil, ainda estamos lidando com as duas primeiras questões: informação e praticidade. Estima-se que 30% do lixo no país é reciclável, mas a taxa de reciclagem é de apenas 3% provando que falta envolvimento da população e falta de ações que tornem a reciclagem uma prática diária. Existem algumas empresas e ONGs empenhadas em fazer isso acontecer, como é o caso do Instituto GEA, focado em lixo eletrônico, e o Ecóleo, responsável por destinar corretamente o óleo de cozinha. smartphone-lost Para trazer informação e praticidade quando o assunto é reciclagem, os aplicativos de smartphones podem, sem dúvidas, desempenhar um papel essencial para maior engajamento e as ONGs e empresas já estão de olho nisso. No último dia 17/05, Dia Mundial da Reciclagem, a Vitaliv, uma das três principais fabricantes de óleos vegetais e que opera a maior usina de biodiesel do país, também responsável pela ONG Ecóleo, lançou o Aplicativo Vitaliv. O aplicativo lista e mapeia empresas recicladoras de óleo comestível e aponta as estações de coleta mais próximas. Por enquanto, o app só mapeia as regiões Centro e Oeste de São Paulo, mas a ideia é expandir o alcance. O óleo comestível descartado é usado na produção de biodiesel, sabão, tintas, vernizes e velas o que garante reaproveitamento total dos resíduos e diminui a necessidade do uso de matérias primas fósseis para suprir essa demanda.  No Brasil, são 700 milhões de litros descartados incorretamente. Além dos prejuízos nas tubulações e sistemas de esgoto, cada 1 litro de óleo contamina 25 mil litros de água. Atualmente são reciclados 1,6 milhão de litros anualmente, cerca de 10% do total. vitalivoleo_1000 Além do impacto ambiental negativo e na perda do que poderia ser usado como matéria prima no descarte incorreto, o sistema de reciclagem do óleo deixa de gerar milhares de empregos. Atualmente, são 2 mil empregados nessa área, número que poderia ser muito maior se atingíssemos 100% de reciclagem do produto no Brasil. Além do aplicativo da Vitaliv, você pode se informar mais e garantir o destino correto do óleo comestível usado também por meio da Óleo Sustentável, ONG Trevo e Instituto Triângulo. Outros apps que podem facilitar a vida na hora de reciclar são o Rota da Reciclagem, Recicla RJ e Zero Impacto. Para quem não sai do celular, não tem mais desculpa.  

Deixe um comentário

x