A luta antirracista também se faz com seu voto

Seta Fina Direita ícone
A luta antirracista também se faz com seu voto

"Quando a mulher negra se movimenta, toda a estrutura da sociedade se movimenta com ela" - Angela Davis

2020 foi o ano em que o Brasil e o mundo repetiram que não basta não ser racista, é preciso ser antirracista. Em plena pandemia, manifestações ocuparam as ruas e as redes sociais em apoio ao movimento Black Lives Matter - Vidas Negras Importam. Agora, com a chegada de mais uma eleição no Brasil, é hora de colocar a luta antirracista em prática mais uma vez e eleger quem se preocupa com aquilo que a gente acredita.

E se tem um lugar onde representatividade faz muita diferença, é no legislativo. Em ambientes onde ainda imperam bancadas como a da bala, a evangélica e a ruralista, conseguir eleger pessoas preocupadas com os direitos dos grupos minorizados e que lutam por mais igualdade social é muito importante.

Neste ano, há muitas opções de voto em mulheres, pessoas negras e LGBTQIA+ nas principais cidades do país. A gente acredita que colocar mais mulheres negras nas Câmaras de Vereadores é um passo importante para mexer nas estruturas da sociedade. E, mais do que isso, é fundamental analisar as propostas apresentadas e escolher quem está realmente comprometida com essas causas. Saber o que cada candidatura propõem ajuda na tomada de decisão e é importante para poder cobrar resultados de quem vencer.

Se informe, vote com consciência, cobre os eleitos. A luta é constante e cada voto conta.

Deixe um comentário

x