A Compostagem É Para Todo Mundo E Tem Um Monte De Iniciativas Pensando Nisso

Seta Fina Esquerda ícone
A Compostagem É Para Todo Mundo E Tem Um Monte De Iniciativas Pensando Nisso
Na semana passada nós falamos sobre reciclagem e como é importante ficar atento para entender o impacto dos resíduos no meio ambiente e consequentemente na nossa vida. Aproveitamos e demos dicas de aplicativos que podem te ajudar a localizar os pontos de coleta e cooperativas mais próximas de você para coleta e reciclagem de materiais como lixo eletrônico, óleo de cozinha, etc. Há um tempo, falamos, inclusive, sobre descarte de roupas e acessórios. Mas e o lixo orgânico, responsável por representar mais da metade de todo o lixo gerado, como é que fica? O lixo orgânico – restos de alimentos, cascas, papel de pão, etc – apesar de ter características biodegradáveis, quando vai parar em aterros sanitários, ambientes anaeróbicos, apodrecem e geram gases responsáveis pelo efeito estufa. Ou seja, o que era para voltar para natureza em forma de adubo e vida, prejudica o meio ambiente e toda a forma de vida. Para resolver esse problema, iniciativas vêm atentando para a importância da compostagem, um processo simples, barato e que diminuiria pela metade o volume de lixo se fosse adotado pela iniciativa pública e privada.  A compostagem é um processo natural de degradação que transforma compostos orgânicos em adubo ou combustíveis por meio da digestão anaeróbica ou biogaseficação1. Em países como Suécia, Canadá e Estados Unidos, algumas cidades adotaram um processo de coleta seletiva onde todo o lixo orgânico é compostado de maneira industrial. Ou seja, os cidadãos são responsáveis por separar o lixo orgânico e a prefeitura fica responsável por recolher e compostar esse material. No Brasil, a VideVerde, no Rio de Janeiro, é a primeira empresa de compostagem licenciada pelo INEA (Instituto Estadual do Ambiente) responsável por coletar e compostar resíduos orgânicos de empresas. Mas o grande lance é que a compostagem pode ser feita por qualquer cidadão ou empresa. Em São Paulo, o Shopping Eldorado composta os 70 quilos de resíduos orgânicos diários gerados pela sua praça de alimentação e usa o composto para adubar um telhado verde onde são plantados desde legumes, verduras, ervas e temperos até lavanda e gânzia. telhadoverdeeldorado Da mesma maneira, condomínios tanto residenciais quanto empresariais, escolas e hotéis podem colocar a compostagem em prática. O importante é fazer a separação correta do lixo e ter um responsável por cuidar da composteira. A Morada da Floresta desenvolve sistemas de compostagem para condomínios, empresas, escolas, hotéis e outros estabelecimentos de maior porte e é uma dica para quem quer implantar em um local com maior quantidade de resíduos. Já pra casas com pessoas ou famílias que fazem muita comida, o minhocário é uma excelente opção. Não é complicado, pode ser feito no quintal, na lavanderia ou na varanda. Dá para comprar a estrutura pronta ou reutilizar materiais. O importante é prestar atenção no que não pode ir na composteira, no material seco e nas minhocas, além de certificar que fico num lugar coberto, mas iluminado. Nós já falamos como compostar em casa por aqui. Iniciativas para facilitar a vida de casas com poucas pessoas ou que não fazem muita comida, logo uma composteira acabaria ficando sempre muito vazia, já estão surgindo também, como é o caso da Ciclo Orgânico, no Rio de Janeiro. Na matéria da Hypeness, eles explicam como funcionam: “você receberá um baldinho para depositar o seu lixo, que não provoca, aliás, mau cheiro nem atrai insetos. Semanalmente a equipe buscará de bicicleta a sua coleta, que será levada até uma das sete composteiras localizadas no Parque do Martelo, zona Sul do Rio de Janeiro”. ciclo1 Com o exemplo dessas iniciativas, fica mais fácil se mexer para garantir um novo ciclo para nossos resíduos orgânicos não é? Então organiza sua casa, seu escritório e até mesmo sua escola para repensar compostagem. Já tem muita gente que pode te ajudar nessa jornada.

Comentários sobre esta postagem (1)

  • dez. 21, 2019

    quero receber novidades de técnicas sobre compostagem

    — ademir capra

Deixe um comentário

x