Fechar ícone

8 dicas para veganos iniciantes

Seta Fina Esquerda ícone Seta Fina Direita ícone
8 dicas para veganos iniciantes

O dia 1º de Novembro é dedicado à comemoração da consciência vegana. O Dia Mundial do Veganismo, Dia Mundial Vegano ou World Vegan Day, em inglês, foi estabelecido em 1994 pela presidente da Vegan Society da Inglaterra, Louise Wallis. 

Essa data é um bom ponto de partida para quem está pensando em veganizar ou para quem quer saber um pouco mais sobre o veganismo. Se você está querendo fazer essa mudança de vida, nossa dica é: comece hoje!

Porém, sabemos que não é tão simples e pra muita gente virar vegano significa uma mudança importante no estilo de vida, ainda mais para quem vive com não veganos em casa e precisa apaziguar a família na hora das refeições. 

Preparamos 8 dicas pra você começar a pensar o veganismo e te mostrar que não é uma mudança radical, e que você não precisa simplesmente acordar vegano e sabendo tudo. É uma jornada e cada um tem o seu ritmo! Vamos lá?


#1 Comece simples

O Veganismo vai muito além da alimentação. É um estilo de vida baseado em reduzir ao máximo a exploração dos animais, e isso pode ter um enfoque mais ambiental, mais social ou mais voltado para os animais. Se você não consegue nesse momento parar de consumir alimentos de origem animal por algum motivo, comece eliminando a crueldade do seu cotidiano de outras formas.

Uma boa sugestão é começar pelos cosméticos. Priorize as marcas menores, que produzem de maneira artesanal e cuidadosa. Elimine da sua vida marcas que estão ligadas a testes com animais e pare de usar produtos que contenham ingredientes de origem animal na composição. 

Vale para sabonetes, xampus, hidratantes, produtos de skincare e maquiagem em geral e também o que você usa na limpeza da sua casa! Pesquise marcas éticas e tenha uma faxina mais consciente. Se puder, faça seus próprios produtos de limpeza. 

#2 Assista a documentários e leia livros

Se informar sobre o assunto é uma ótima maneira de ter mais entusiasmo e foco na transição. E daí vai depender muito de que tipo de abordagem você prefere. Existem documentários pesados, com cenas chocantes (que infelizmente são nada além da verdade) e outros mais leves, apresentando dados e explicando de maneira didática os impactos do consumo de produtos de origem animal.

Entre eles estão os conhecidos “Terráqueos” e “Cowspiracy”, o recente “Dieta dos Gladiadores” e os brasileiros “Sem Carne, Por Favor!” e “Sob a Pata do Boi”.

Há também vários livros, e você pode começar pelas leituras se for uma preferência. Sugerimos clássicos como “Comer Animais” e “Nós Somos o Clima” de Jonathan Safran Foer, “A Política Sexual da Carne” de Carol J. Adams e “Por que amamos cachorros, comemos porcos e vestimos vacas” de Melanie Joy.

#3 Fuja do “ou tudo ou nada”

Muitas pessoas ficam frustradas por não conseguirem do dia para a noite se tornarem veganos perfeitos. Infelizmente, a realidade é que na sociedade em que vivemos é quase impossível ter uma vida 100% vegana. Sempre dependeremos de algum produto direta ou indiretamente - os medicamentos são um importante exemplo. Não podemos descuidar da nossa saúde, mas só por isso vamos desistir do veganismo?

Fuja de ambientes que disseminam “verdades absolutas” e uma relação tóxica com o veganismo. Tem muita gente mais preocupada em julgar o veganismo alheio do que ajudar os animais. Ande na direção oposta: procure por pessoas, veganas ou não, que te incentivam de maneira positiva!

É muito importante entender que cada um tem as suas possibilidades. Talvez agora você não consiga fazer tudo que gostaria, mas seja gentil e entenda a sua jornada. Comece com o que está ao seu alcance agora e vá avançando enquanto pode. Celebre as vitórias e não olhe para trás. 

#4 Busque inspiração 

Há vários perfis de veganos no Instagram e você com certeza vai encontrar algum (ou alguns) que se encaixe melhor na sua realidade. Tem gente que fala sobre veganismo popular, tem gente que foca em receitas fáceis, outras mais elaboradas, tem gente que fala sobre nutrição e como ter uma alimentação vegana saudável, tem gente que fala sobre todos os aspectos do veganismo, tem perfil mais ativista, perfil mais informativo, tem quem fale sobre muita coisa além do veganismo… Se jogue nas @! 

#5 Faça uma transição sustentável

A maneira mais fácil de se frustrar com o veganismo é cortar de um dia para outro tudo que você come e tentar encontrar substitutos pra já. Não caia nessa! Pense em uma transição onde você primeiro acrescenta alimentos, e depois vai cortando o que não quer mais consumir. 

Você pode começar com um dia vegano na semana. Depois 3, depois uma semana por mês e gradativamente ir mudando a sua rotina. Para quem trabalha fora de casa pode ser um desafio depender do refeitório da empresa ou dos restaurantes que tem perto, por exemplo. Comece aos poucos para não ficar sem comer e considere levar marmitas!

Lembre-se de que o reino vegetal tem muito mais possibilidades de alimentação do que o que estamos acostumados a pensar. Você vai se surpreender como vai comer bem sem precisar de carne, leite, ovos no dia a dia rapidamente, e logo não sentirá mais falta. 

#6 Se aventure na cozinha

Na mesma ideia de começar simples para não se frustrar, nossa proposta aqui é aprender antes de mais nada a veganizar os seus pratos preferidos. Descubra como fazer de maneira diferente o que você já gosta e já tem o costume de comer. 

Muita gente começa logo por pratos elaborados, com uma lista de ingredientes difíceis de encontrar e acaba sendo difícil, ainda mais para quem não tem o costume de cozinhar. Opte pelo clássico feijão com arroz, macarrão com molhos vegetais, legumes assados, etc. E depois vá aumentando o grau de dificuldade conforme for aprendendo.

#7 Não comece buscando substitutos

É muito comum alguém começar no veganismo e tentar fazer as compras do mesmo jeito que fazia antes, mas procurando por versões veganas e substitutos dos alimentos. Aí moram grandes perigos: os preços e a frustração.

Produtos industrializados que prometem entregar a versão vegana de alguma coisa costumam ter um preço mais elevado e isso cria a ilusão de um veganismo caro e inacessível. O que você deve fazer é focar nos alimentos vegetais que cabem no seu bolso, como grãos,cereais, leguminosas, frutas e verduras e outras fontes de proteínas tradicionais.

Também tem a frustração em relação aos sabores. Muita gente acha que vai trocar um pelo outro e vai dar tudo certo. Não é bem assim! A alimentação à base de plantas é sobre descobrir novos sabores, e não substituir. 

#8 Cuide da sua saúde 

Todo mundo precisa manter os exames em dia, independente da alimentação. Muito se fala sobre a vitamina B12, como se a falta dela fosse um problema exclusivo dos veganos, mas não é! A deficiência está muito mais relacionada com a má absorção devido distúrbios gastrintestinais e idade, entre outros, do que por restrições alimentares.

Aproveite o momento da transição para procurar um nutricionista compreensivo, fazer os exames e ver como anda a sua absorção de nutrientes e saúde em geral. O veganismo pode sim ser aliado de uma vida mais saudável, mas isso vai depender de você!

Batata frita, cerveja, salgadinhos e vários ultraprocessados industrializados não possuem nada de origem animal, mas não significa que você vai viver disso, né? Prefira alimentos de verdade e faça mais feira. 

Já se sentindo mais confiante para começar essa caminhada? Conte com a gente! Aqui no blog temos várias receitas, dicas e matérias para você entender melhor o veganismo [https://insectashoes.com/blogs/blog/tagged/veganismo

 

Deixe um comentário