Seu Carrinho
Fechar alternativas ícone

35 milhões de brasileiros não têm água potável

Seta Fina Esquerda ícone Seta Fina Direita ícone
35 milhões de brasileiros não têm água potável

Se você abre a torneira e a água corre imediatamente, transparente, abundante, e sabe que vai estar lá quando você quiser, não tenha dúvida: você faz parte de uma parcela privilegiada da população.


Sabia que 35 milhões de brasileiros não têm acesso a água potável? 

Esse número apavorante é do Ranking do Saneamento Básico – 100 Maiores Cidades – 2018, do Instituto Trata Brasil, com dados Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS).  

E não para por aí: quase metade da população (48%) não tem esgotos sequer coletados, o mínimo do saneamento básico. Mesmo com microplástico, veneno e tudo, quem tem acesso ilimitado a água está incrivelmente melhor do que a maioria.   

Quando a gente tem água em abundância no dia a dia, acaba esquecendo da sua importância. Faz um tempo rolou uma polêmica no nosso Instagram: trouxemos o dado de que lavar louça na máquina reduz o gasto de água em relação a lavar à mão. Surgiram vários questionamentos mega importantes - nem todo mundo pode ter máquina, o gasto de energia, as peças plásticas, o lixo eletrônico e a logística reversa dos fabricantes, entre outros. E tá todo mundo mais do que certo, viu?

Mas também vieram muitas dicas e ideias para gastar menos água nesse momento cotidiano que às vezes a gente faz no piloto automático.

A @juschagas lembrou que a gente pode usar uma bacia para coletar a água da torneira, ensaboar a louça, enxaguar na bacia e dar uma última passada com água limpa, também na bacia.

Aproveitamos pra trazer outras dicas pra você gastar menos água no dia a dia sem esforço:  

  • Feche a torneira enquanto ensaboa as mãos, escova os dentes, faz a barba, etc…
  • Ao enxaguar a louça, faça em grupos, e não peça por peça. 
  • Tome banhos mais curtos, pulando o momento de contemplação dos mistérios do universo (você pode pensar na vida enquanto se seca).
  • Varra a calçada ou o pátio ao invés de usar mangueira. Se for preciso, use um balde com água reaproveitada. 
  • Conserte vazamentos para não gastar água que você nem chega a usar.
  • Lave frutas e verduras em uma bacia com bicarbonato de sódio.
  • Use pouco detergente em qualquer situação.
  • Recolha a água da chuva para regar as plantas ou lavar o quintal.
  • Reaproveite a água do cozimento dos alimentos.
  • Enquanto a água do chuveiro esquenta, deixe um balde no box. Use essa água para a descarga, lavar o pátio, regar plantas (quando esfriar, claro), lavar o chão… 
  • Repense o consumo de carne e derivados de animais (pensou que a gente não ia lembrar disso?).

É bom lembrar que nós, meros mortais, não chegamos nem perto do gasto de água de uma indústria, da produção de uma calça jeans ou dele mesmo, o agronegócio. Tem até aquela piada: “não esquece de fechar a torneira pra economizar água pro agronegócio gastar.”

Mas nessas pequenas ironias a gente vê uma certa derrota, um “se não conseguir salvar o mundo, não vou fazer mais nada”.

Só que não podemos nunca desistir, e a mensagem que deve ficar é, além das pequenas ações individuais, procurar por soluções coletivas.

Em muitas cidades do Brasil já existe o IPTU verde, que dá descontos para imóveis residenciais, comerciais, mistos, institucionais e industriais que adotem estratégias ecológicas. O valor do desconto vai de 5% até a isenção total do imposto, dependendo da cidade.

As construções podem usar medidas como captação da água da chuva para reuso, painéis fotovoltaicos, separação dos resíduos e encaminhamento para reciclagem, plantio de árvores nativas, entre várias outras pequenas mudanças que são boas pra todo mundo. Você pode usar o temido momento da reunião de condomínio para sugerir a implementação de práticas sustentáveis no seu prédio, vila, condomínio, ou onde você morar, e ajudar a correr atrás desse isenção, que é bacana pro seu bolso e pro planeta.

E se na sua cidade não tiver IPTU verde ou afins, não desista. Cobre da prefeitura, se reúna com vizinhos e amigos e faça o melhor que pode.   

Indo além do IPTU, exigir ações efetivas dos governantes (mesmo que às vezes pareça que estamos falando sozinhos) é o que devemos fazer para que mais pessoas tenham acesso a água e condições dignas de vida.

Não deixe de se informar e saber o que está acontecendo na sua cidade, participe de protestos, se articule, mesmo que pela internet.  

Comentários sobre esta postagem (10)

Deixe um comentário